Russo (assistente de palco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Russo
Nome completo Antônio Pedro de Souza e Silva
Nascimento 7 de julho de 1931
Florianópolis, SC  Brasil
Morte 28 de janeiro de 2017 (85 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Residência Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Assistente de palco

Antônio Pedro de Souza e Silva (Florianópolis[1], 7 de julho de 1931 - Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2017), mais conhecido como Russo, foi um assistente de palco da Rede Globo desde a época do Cassino do Chacrinha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Juventude e o início na mídia[editar | editar código-fonte]

Já aos 7 anos, bebia vinagre puro só para ganhar apostas e poder ajudar sua família de 12 pessoas.[carece de fontes?] Adolescente, ajudava com microfones na Rádio Tupi durante o dia e, de noite, trabalhava como trapezista de circo. Aos 14 anos, perdeu todos os dentes ao cair de rosto na borda do picadeiro. [1][2]

O ingresso na televisão[editar | editar código-fonte]

Em 1965, a convite de Abelardo Barbosa, o Chacrinha (1917-1988), saiu do anonimato ao tornar-se um animador de plateia de destaque na Rede Globo, no ar até a década de 1990.

Crescimento na carreira[editar | editar código-fonte]

Mais tarde trabalhou, entre outros, no Domingão do Faustão e em programas apresentados por Xuxa. Trabalhava nas produções de três programas: TV Xuxa, Estrelas e Caldeirão do Huck.[3]

Afastamento[editar | editar código-fonte]

Demitido da Rede Globo em março de 2014, entrou em depressão por não se conformar com o fato de não poder trabalhar após prestar serviços como assistente de palco por 46 anos - mesmo após ter se aposentado.

Na versão da empresa[editar | editar código-fonte]

A emissora tomou a decisão alegando que Russo já não tinha condições físicas de trabalhar. "Pelo Russo, ele morreria lá", disse Adriana Mello, esposa do contrarregra.[4] No entanto, mesmo sem contrato, seguiu recebendo apoio da ex-empresa, sobretudo na fase em que estava isolado e desanimado. "Eles foram um pouco generosos, e até ofereceram psicólogo, mas o Russo não quis", explicou Adriana.[5]

Problemas de saúde e falecimento[editar | editar código-fonte]

Em 27 de setembro de 2011, veio a ser internado ao sentir fortes dores no peito, e em 3 de outubro é submetido a uma cirurgia de ponte de safena.[6] O seu coração teve cinco pontes de safena implantadas, operação a que reagiu bem,[7] recebendo alta em 13 de outubro.[8] Em novembro de 2015, sofre um AVC.[9]

Faleceu em 28 de janeiro de 2017[10] de falência de múltiplos órgãos devido a complicações decorrentes de infecção pulmonar, e o seu corpo foi sepultado no Cemitério São João Batista no dia seguinte, 29 de janeiro.[11]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.