Antonio Flores Jijón

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antonio Flores Jijón
Antonio Flores Jijón
Presidente do Equador
Período 17 de agosto de 1888 - 30 de junho de 1892
Antecessor(a) Pedro José Cevallos
Sucessor(a) Luis Cordero Crespo
Dados pessoais
Nascimento 23 de outubro de 1833
Quito, Equador
Morte 30 de agosto de 1915 (81 anos)
Genebra, Suíça
Primeira-dama Mercedes Jijón de Vivanco y Chiriboga
Partido Partido Progressista
Profissão Político

Antonio Flores Jijón (Quito, 23 de outubro de 1833Genebra, 30 de agosto de 1915) foi um advogado, escritor e político equatoriano.[1] Sob filiação do Partido Progressista, ocupou o cargo de presidente de seu país entre 17 de agosto de 1888 e 30 de junho de 1892.[2]

Quando ficou sabendo que o Imperador D. Pedro II, do Brasil e a monarquia foram depostas, disse as seguintes palavras: Permita que eu lhe ofereça meus pêsames: o Brasil acabou de cometer o erro mais fatal de sua história.

Referências

  1. Benites Vinueza, Leopoldo (1995). Ecuador: drama y paradoja. Quito: Editorial Libresa. ISBN 978-9978-80-337-0 
  2. «Official Website of the Ecuadorian Government about the country» (em espanhol). President's History. Consultado em 20 de junho de 2016. 
Precedido por
Pedro José Cevallos
Presidente do Equador
18881892
Sucedido por
Luis Cordero Crespo
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.