Arconte Desconhecido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Arconte, veja Arconte (desambiguação).
Arconte Desconhecido
Migração dos sérvios da Sérvia Branca
Príncipe dos Sérvios
Reinado Entre 610/680
Sucessor(a) Seu filho (incerto)
 
Dinastia Blastímero (progenitor)
Morte Antes de 680
Religião paganismo
Pai Proségoas

Arconte Desconhecido (em latim: непознати архонт; transl.: nepoznati arhont; непознати кнез, nepoznati knez),[1] também conhecido como Arconte Sérvio Desconhecido (неименовани српски архонт, neimenovani srpski arhont)[2] ou Arconte Sérvio (архонт Србин, arhont Srbin),[3] é um termo usado para mencionar o príncipe (arconte) que liderou os sérvios de sua terra natal aos Bálcãs durante o reinado do imperador Heráclio (r. 610–641), como citado pelo Sobre a Administração Imperial de Constantino VII (r. 913–959). A obra afirma que foi progenitor da primeira dinastia sérvia e que morreu antes da chegada dos búlgaros em 680.[4]

Vida[editar | editar código-fonte]

De acordo com Constantino, era filho de um senhor incerto. Em data desconhecida, tornou-se líder com seu irmão, também de nome incerto, e o Arconte decidiu reunir a maioria dos sérvios e pedir a proteção de Heráclio, que recebeu e assentou-os num lugar na província de Salonica que daquele momento em diante foi chamado Sérvia. Algum tempo depois, os sérvios decidiram partir e Heráclio mandou-os embora. Porém, quando cruzaram o Danúbio, mudaram de ideia e pediram ao imperador, através do estratego residente em Belgrado, para reassentá-los.[5]

Heráclio novamente concordou com o pedido e assentou os sérvios nas regiões, à época da escrita de Constantino, ocupadas pela Zaclúmia, Travúnia, Pagânia e a Sérvia propriamente, bem como o país canalita. Segundo o autor, esses países, apesar de pertenceram ao Império Bizantino, estavam desocupados, pois os invasores avares haviam obrigado os bizantinos dessas regiões a se refugiarem na Dalmácia e em Dirráquio. Heráclio então enviou anciões de Roma e batizou os sérvios, ensinando-os a performar os trabalhos de piedade e expondo-os à fé cristã.[6]

O Arconte faleceu em data desconhecida e foi sucedido por seu filho e seus descendentes. O primeiro príncipe de nome certo foi Venceslau (final do século VIII).[7] Alguns autores defendem que Dervano, o líder surbo do de 631/632, seria filho do Arconte Desconhecido.[8][9][10]

Referências

  1. Nikolić 1996, p. 26.
  2. Živković 2006, p. 22–23.
  3. Popov 2000, p. 53.
  4. Blagojević 2001, p. 14.
  5. Constantino VII 1993, p. 153.
  6. Constantino VII 1993, p. 153; 155.
  7. Blagojević 1989, p. 19.
  8. Vujić 1998, p. 40.
  9. Milojević 1872, p. 1.
  10. Novaković 1977, p. 337.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Blagojević, Miloš (2001). Državna uprava u srpskim srednjovekovnim zemljama. Belgrado: Službeni list Savezne Republike Jugoslavije 
  • Blagojević, Miloš; Petković, Sreten (1989). Srbija u doba Nemanjića: od kneževine do carstva: 1168-1371: ilustrovana hronika. Belgrado: TRZ "VAJAT 
  • Milojević, Miloš S. (1872). Odlomci Istorije Srba i srpskih jugoslavenskih zemalja u Turskoj i Austriji. Belgrado: U državnoj štampariji 
  • Nikolić, Dejan (1996). Svi vladari Srbije. Despotovac: Narodna Biblioteka Resavska Škola 
  • Novaković, Relja (1977). Odakle su Sebl dos̆il na Balkansko poluostrvo. Belgrado: Istorijski institut 
  • Popov, Čedomir (2000). Istorija srpske državnosti. Belgrado: Academia Sérvia de Ciências e Artes 
  • Vujić, Sava S.; Basarić, Bogdan M. (1998). Severni Srbi (ne)zaboravljeni narod. Belgrado: Samostalno Autorsko Izdanje 
  • Živković, Tibor (2006). Portreti Srpskih Vladara (IX—XII Vek). Belgrado: Instituto de Livros de Texto e Recursos Didáticos. ISBN 86-17-13754-1