Argoncilhe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Portugal Vila de Argoncilhe 
  Freguesia  
Localização no concelho de Santa Maria da Feira
Localização no concelho de Santa Maria da Feira
Vila de Argoncilhe está localizado em: Portugal Continental
Vila de Argoncilhe
Localização de Vila de Argoncilhe em Portugal
Coordenadas 41° 01' 24" N 8° 32' 28" O
País Portugal Portugal
Concelho VFR1.png Santa Maria da Feira
Fundação 1086
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Manuel Pereira Santos
Área
- Total 8,7 km²
População (2011)
 - Total 8 422
    • Densidade 968 hab./km²
Gentílico Argoncilhenses
Código postal 4505
Orago São Martinho
Website www.jf-argoncilhe.com

Argoncilhe (São Martinho de Argoncilhe) é uma vila e freguesia portuguesa do concelho de Santa Maria da Feira. Argoncilhe tem 8422 habitantes e uma área de 8,7 quilómetros quadrados, e é a freguesia do concelho de Santa Maria da Feira mais próxima da cidade do Porto. Situa-se no extremo Norte do concelho, rodeada por Grijó, Seixezelo, Olival e Sandim, freguesias gaienses, e Nogueira da Regedoura, Mozelos, Sanguedo, Lourosa e Fiães, freguesias feirenses. A Vila de Argoncilhe dispõe de bons acessos rodoviários, EN1, A1, A41 e A32, o que permite à sua população chegar rapidamente quer a Santa Maria da Feira (10Km), a Espinho (8Km), a V. N. Gaia (13Km) ou ao Porto (16Km).

História[editar | editar código-fonte]

Campanário integrante da Capela de São Tomé (quase em ruína).

As origens mais remotas de Argoncilhe são, ao que tudo indica, a época pré-romana, e depois a romana, a crer na toponímia e nos achados arqueológicos, nomeadamente em Aldriz (lugar do Crasto), onde estariam localizadas várias "villas". Quanto à origem do nome, não é assim tão unânime. Existem mesmo duas versões, que apontam para duas possibilidades etimológicas distintas. Segundo a primeira, Argoncilhe deriva de "areucillus", por sua vez diminutivo de "areub" (arco), resultando depois, em latim, "arcucillus" e finalmente "arcucillis", ficando em última instância "Argoncilhe" (arquinho). Já a segunda, aponta Argoncilhe como genitivo do nome pessoal "Dragoncellus", tendo evoluído da seguinte forma: "Dragunceli" (1086), "Draguncelli" (1091), "Dragoncelli" (1100 e 1102), "Dragonzell" (1114), "Ecllesian Sancti Martini de Argoncilhi" (1320), "S. Martinho de Dragoncilhi" (1337).

Cruz Milenar de Argoncilhe.

O documento escrito mais antigo referenciando Argoncilhe aparece em 1086, atestando a doação, por Sancha Bermudes, de vários prédios da "villa de Eldriz" (Aldriz) à Igreja de S. Martinho. Poucos anos depois, em 1091, são Ragui Ramirez e Ruderico Gunsalvez a referir-se à freguesia, numa carta de partilhas estabelecida com D. Soeiro Formarigues, relativamente a bens junto ao monte da Pena (Outeiro da Pena), na "villa Dragoncelli". As referências sucedem-se ao longo dos anos, tal como a de 1100, com D. Soeiro Formarigues novamente interveniente, ao adquirir os bens da "villa de Dragoncelli" pertencentes a Elvira Gouviaz. Característica marcante da história medieval de Argoncilhe é a sua ligação precoce e intrínseca a Grijó. Em 1093, foi um dos sete padroados doados ao Mosteiro de Grijó, juntamente com Perosinho, Serzedo, Grijó, Travanca de Bemposta, S. Miguel de Travaçô e Teirol. Uma doação feita por D. Bernardo, Bispo de Coimbra, e reformada depois, em 1137, pelo Bispo D. João, nas igrejas do território do Porto (que entretanto se estendeu pelas terras da Feira), ou seja, Argoncilhe, Perosinho, Serzedo e Grijó. Uma situação que se manteve até 1686, altura em que a freguesia fica independente do Convento dos Crúzios de Grijó, até 1834.

Desde sempre, a agricultura foi a actividade principal de Argoncilhe, mas a partir do século XX surgiram as primeiras indústrias, na área das madeiras e da serralharia. A partir dos anos 30, aparecem, em maior número, as pequenas indústrias. Nesta altura, ganha importância o fabrico do prego para a tanoaria, responsável pela criação de um elevado número de postos de trabalho, bem como pela difusão das artes para a construção civil. A exploração do volfrâmio foi também um marco crucial na história da vila, entre 1939 e 1945, responsável por grandes negócios, mas também pela emigração para a Venezuela, Brasil, França e Alemanha.

A chegada da electricidade à freguesia (1951) permitiu um avanço na modernização agrícola e industrial. A 9 de Julho de 1985, Argoncilhe foi aprovado o estatuto de Vila, e promulgado no dia 8 Agosto de 1985, um marco determinante. Desde essa data, tem vindo a apresentar um desenvolvimento significativo. Já no século XX, estas terras ficaram famosas pelas Aparições Marianas no lugar da Vergada. Aí se construiu uma Capela sob a invocação de Nossa Senhora das Graças. A vidente foi uma humilde leiteira do lugar (D.Guilhermina), que faleceu idosa (22 de Agosto de 1970), tendo as aparições acontecido todos os dias 25 de cada mês, durante muitos anos: de 1930 a 1970.Esta vidente teve também o privilégio da visão da Santíssima Trindade, na igreja do Porto, com a mesma invocação. Ainda hoje aqui se fazem peregrinações todos os meses do ano (dia 25), com a presença de muitas centenas de pessoas.

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes residentes [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
2 048 2 436 2 838 2 994 3 344 2 727 3 428 4 328 4 988 5 685 6 005 7 507 8 318 8 605 8 420
Distribuição da População por Grupos etários [2]
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 1604 1238 4827 936 18,6% 14,4% 56,1% 10,9%
2011 1295 984 4783 1358 15,4% 11,7% 56,8% 16,1%

Lugares de Argoncilhe[editar | editar código-fonte]

  • Aldriz, lugar já referenciado na Idade Media como Vila de Eldriz, porém remontará a época romana a crer pelos achados arqueológicos (lugar do Castro, Aldriz) onde estariam localizadas várias "villas".
  • Azenha, antropónimo relacionado com a posse e exploração agrícola do território já em épocas, possivelmente, pré-histórica mas certamente romana e visigótica. Neste Lugar aconteceram as Aparições Marianas (no final da Via Sacra). Aí foi construída a Capela de Nossa Senhora das Graças, comemorando este acontecimento. Celebrado com Peregrinação todos os dias 25 de cada mês.
  • Camalhões, com antropónimo de origem nos genitivos Cavalion«Cavallan«Cavallonis«Cavalhoes resultando na actual.
  • Carvalhal, como origem a mesma situação que Azenha.
  • Casal, referenciado em documento de D. Dinis de 1290.
  • Casinhas, é capaz de nos levar a uma estância pré-romana de que nos primeiros tempos de nacionalidade ou mesmo já na proto-história portuguesa apresentou ainda alguns restos de edificações castrejas que terão levado o povo a designá-las, por desconhecimento da sua origem, Casinhas - relacionadas com essa estância arqueológico-históricas.
  • São Martinho, centro da Vila e alberga a Igreja Matriz desde o século XVII.
  • Moinhos, referenciado no documento de 1290.
  • Ordonhe, referenciado no documento de 1290, como Ordonelli.
  • Outeiro da Pena. Em 1091 a Casa Ramirez Roderico Gonçalvez fazem uma partilha dos bens que possuem na Villa de Dragoncilli por baixo do Monte da Pena, hoje Outeiro da Pena.
  • Pereira, como origem a mesma situação que Azenha.
Pormenor da Ponte Romana, em Argoncilhe.
  • Poças, referenciado no documento de 1290. Antropónimo relacionado com a posse e exploração agrícola do território já em épocas, possivelmente, pré-histórica mas certamente romana e visigótica.
  • Quinta, como origem a mesma situação que Azenha.
  • Quintã, como origem a mesma situação que Azenha.
  • Ramil, é um lugar de origem antropónimo visigótico a partir do genitivo Ramenirus que deu também Ramiro. É presença da existência nesses primeiros séculos depois de Cristo de que houve ali na vila Ranemiri em 1009 a 1220. Também referenciado no documento de 1290.
  • Ribeira da Venda, onde se situa a capela de Santo António, de 1715.
  • Roçadas, lugar onde se encontra a Calçada e Ponte Romana.
  • Santa Isabel, lugar partilhado com as freguesias de Sandim e Olival, mas também intrinsecamente ligado ao lugar de Nossa Sr.ª do Campo.
  • São Domingos, os Cruzios do mosteiro de Grijó construíram aqui em 1581 a Capela de Nossa senhora das Neves, no mesmo lugar de uma outra.
  • Senhora do Campo, lugar (dos primórdios da Idade Média) onde se encontra a Capela de Nossa Senhora do Campo onde teve os seus princípios a primeira Paróquia de Argoncilhe.
  • Serzedêlo, Lugar referenciado no documento, de El' Rei D. Dinis, de 1290 como Sersedelo.
  • Souto.
  • Vergada, lugar onde existe a segunda Igreja da freguesia, Igreja do Cristo Rei. Uma Igreja da segunda metade do século XX.

Escolas[editar | editar código-fonte]

Escola Básica do 1º ciclo de Aldriz.
E.B. 2/3 de Argoncilhe.

Sendo no concelho de Santa Maria da Feira a quarta freguesia com mais impacto a nível populacional, atrás apenas de duas freguesias cidades (Feira e Lourosa) e de São João de Ver, abrange no seu território várias escolas.

  • Pré-primária da Igreja
  • Pré-primária de S. Domingos
  • Pré-primária de Aldriz
  • Pré-primária de Ordonhe
  • Pré-primária do Carvalhal
  • Escola Primária da Igreja
  • Escola Primária de S. Domingos 1
  • Escola Primária de S. Domingos 2
  • Escola Primária de Aldriz
  • Escola Primária de Ordonhe
  • Escola Primária de Carvalhal
  • Escola EB 2/3 de Argoncilhe
  • Escola do CS e Paroquial de Argoncilhe
  • Lindinho
  • Colégio Terras Santa Maria da Feira

Desporto[editar | editar código-fonte]

Campo de Futebol da Associação Desportiva de Argoncilhe, A.D.A..

A Associação Desportiva de Argoncilhe é uma equipa da vila de Argoncilhe fundada em 1979. O clube atualmente disputa a 1ª Divisão Distrital de Aveiro. O seu estádio é o Campo Centro Social que tem capacidade para cerca de 3 000 pessoas. No seu historial tem um campeonato da 3ª Divisão conquistada em 1982. A equipa veste de preto, tem vários escalões de futebol e também dispõe de um pavilhão gimnodesportivo.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Nova Unidade de Saúde de Argoncilhe.
  • Unidade de Saúde 1 (Igreja)
  • Unidade de saúde 2 (Ordonhe)
  • Clínica Veterinária
  • Laboratório de Análises Clínicas (Igreja)
  • Laboratório de Análises Clínicas (Picôto)
Centro de Saúde de Argoncilhe


Coletividades[editar | editar código-fonte]

Grupo Musical Estrela de Argoncilhe, no centro da Vila.
  • Associação de Pais de Aldriz - Argoncilhe
  • Grupo de Jovens ELOS de Argoncilhe
  • Associação Desportiva de Argoncilhe
  • Casa da Gaia
  • Rancho Regional de Argoncilhe
  • Centro Social e Paroquial de Argoncilhe
  • Centro Columbófilo de Argoncilhe
  • Grupo Recreativo e Beneficente A Flor de Aldriz
  • Grupo Musical Estrela de Argoncilhe
  • Liga de Melhoramentos de Vergada
  • Associação Argoncilhe Jovem
  • Casa do Futebol Clube do Porto de Argoncilhe
  • Ajuda e Colo - Associação de Solidariedade
  • Associação Os Amigos Do São João de Pereira

Locais Mais Emblemáticos[editar | editar código-fonte]

Capela e Parte do Lago de São Pedro.

O património histórico e cultural de Argoncilhe é suficientemente rico para merecer uma atenção especial de todos os que se interessem pelo passado da vila. Baseado em monumentos religiosos e arqueológicos, testemunhos privilegiados do desenrolar dos séculos e da evolução temporal, Argoncilhe guarda no seu interior muitas "pérolas" que podem e devem ser visitadas.

Começando pela veia religiosa, que desde sempre influenciou sobremaneira todos os lugares e agregados populacionais, existe na freguesia muitos marcos, para além da inevitável e destacada Igreja Matriz, bem no característico coração da vila. As Capelas de São Domingos, de São Pedro de São Tomé (com o seu campanário), de Santo António, da Senhora do Campo, a Igreja de Cristo Rei, todas estas são sinais evidentes do culto local, transformado em monumento e legado para a posteridade.

A par da dominante religiosa, também outros espelhos arqueológicos se situam em Argoncilhe, tais como a característica Ponte Romana de Roçadas ou o Cruzeiro Milenar. Os pitorescos Moinhos de Água, que ainda podemos encontrar, dão uma graça própria a Argoncilhe e são parte importante da sua identidade histórica.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Parque Lazer de Argoncilhe, com uma vista outonal.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fachada Principal, barroca, da Igreja Matriz de Argoncilhe.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Argoncilhe