Argyll

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Argyll
Condado histórico
Geografia
Área Total 3110 km² (2º posição)
Região Escócia
Sede Administrativa Inveraray
ISO 3166-2 ARL
Demografia
Política

Argyll ( /ɑrˈɡl/) (arcaicamente Argyle, em gaélico escocês: Earra-Ghàidheal), às vezes anglicizado como Argyllshire, é um condado histórico e um condado de registro no Oeste da Escócia.

Argyll é de origem antiga e corresponde à maior parte do antigo reino de Dál Riata na Grã-Bretanha. Argyll também foi um bispado medieval com a sua catedral em Lismore, bem como um antigo condado e ducado, o Ducado de Argyll.

Faz limite ao norte com Inverness-shire, a leste com Perthshire e Dunbartonshire, e — separado pelo fiorde de Clyde — limita-se com Renfrewshire e Ayrshire ao sudeste e com Buteshire ao sul.

Entre 1890 e 1975, Argyll foi um condado administrativo com um conselho de condado. Sua área corresponde à maioria da atual área de conselho de Argyll e Bute, excluindo a ilha de Bute e a área de Helensburgh, mas incluindo as áreas de Morvern e Ardnamurchan da área de conselho de Highland.

Houve um distrito eleitoral de Argyllshire da Câmara dos Comuns do Parlamento da Grã-Bretanha de 1708 a 1800 e da Câmara dos Comuns do Parlamento do Reino Unido de 1801 a 1983. O distrito eleitoral foi nomeado Argyll a partir de 1950 e substituído em 1983 por Argyll e Bute.

Nome[editar | editar código-fonte]

O nome deriva do gaélico antigo airer Goídel (região de fronteira dos gaels). O autor do início do século XIII do De Situ Albanie explica que "o nome Arregathel significa margem (isto é, região de fronteira) dos escoceses ou irlandeses, porque todos os escoceses e irlandeses são geralmente chamados de Gattheli (ou seja, gaels), devido aos seus antigos chefes guerreiros conhecidos como Goídel Glas".[1]

No entanto, a palavra airer traz, naturalmente, o significado da palavra "costa" quando aplicada às regiões marítimas, de modo que o topônimo também pode ser traduzido como "Costa dos Gaels". Alex Woolf sugeriu que o nome Airer Goídel substituiu o nome Dál Riata quando a conquista nórdica no século IX separou a Dál Riata irlandesa e as ilhas de Alban da Dál Riata localizada na ilha da Grã-Bretanha. Esta última, renomeada Airer Goídel, contrastava com as ilhas costeiras de Innse Gall, literalmente, "ilhas dos estrangeiros". Elas eram assim chamadas porque do século IX ao XII, foram governadas por nórdicos-gaélicos, falantes do nórdico antigo.[1]

Argyll do Norte[editar | editar código-fonte]

O termo Argyll do Norte historicamente se referia ao que agora é chamado de Wester Ross. Ele adquiriu o nome Argyll do Norte quando foi povoado por missionários e refugiados de Dál Riata, com sede na abadia de Applecross. O cargo do abade era hereditário, e quando Ferchar mac in tSagairt, filho do abade, tornou-se Conde de Ross, a região de Argyll do Norte começou a adquirir o nome de Wester Ross. Ambos os nomes continuaram em uso até o século XV, quando "Wester Ross" se tornou o nome exclusivo.[1]

Shire, condado e distrito[editar | editar código-fonte]

Argyll c. 1854.

Historicamente, o termo shire é um pouco enganador, pois não deve ser confundido com um condado inglês. No latim medieval, este último era referido como um comitatus, que antes de 1889 um shire escocês nunca tinha sido. Na Escócia, o comitatus era, de fato, a região controlada como um Lordship (em oposição, por exemplo, a um Lairdship), como um mormaerdom, ou um antigo condado, e normalmente existia como um regality (embora este seja um termo mais amplo abrangendo também mais autoridades subordinadas). Shire, em vez disso, entrou em uso, na Escócia, para se referir à região em que um certo xerife operava; no latim medieval escocês, às vezes era chamado de vice-comitatus.[2]

Após a transferência das Hébridas e da costa continental adjacente da Noruega para a Escócia, pelo Tratado de Perth de 1266, Argyll foi atendido pelo xerife de Perth. Contudo, em 1293, o rei João Balliol criou o cargo de xerife de Kintyre. Em 1326 [2], Dougall Campbell, filho de Neil Campbell, foi recompensado pelo apoio do Clã Campbell a Roberto de Bruce; Dougall era neto do barão de Innis Chonnell, no centro da região de Argyll, então xerife de Argyll. No entanto, esse cargo só foi criado para supervisionar o território de Lorne (incluindo a ilha de Mull) confiscado do Clã MacDougall, a parte sul de Argyll permaneceu fazendo parte do quase independente Lorde das Ilhas até o final do século XV.[2]

Em 1476, João MacDonald, Lorde das Ilhas, renunciou à posse de Kintyre e Knapdale (incluindo a região entre Loch Awe e Loch Fyne) em favor da Escócia, e inicialmente Knapdale foi atentido pelo xerife de Perth. Porém, em 1481, foi colocado sob o controle de Tarbertshire — um xerifado expandido de Kintyre.[2]

A Reforma Escocesa, por coincidência, ocasionou a queda do Lorde das Ilhas, mas os MacDonalds – antigos lordes – eram fortes adeptos do antigo regime religioso. Os Campbells, ao contrário, eram fortes apoiadores das reformas, então, no início do século XVII, sob instruções de Jaime VI, os Campbells foram enviados para as ilhas de Islay e Jura – territórios dos MacDonalds – para subjugar os MacDonalds. O xerifado de Argyll era uma posição herdada, e permaneceu na família Campbell, e agora foi estendido para incluir Islay e Jura. A pressão dos Campbells neste momento fez com que o tribunal do xerifado fosse transferido de Tarbertshire para Inveraray, onde os Campbells tinham o tribunal para o xerifado de Argyll. Inevitavelmente, em 1633, o tribunal de Tarbertshire foi abolido, em favor do xerifado de Argyll.[2]

David II restaurou a autoridade dos MacDougalls sobre o território de Lorne em 1357, mas João MacDonald (chefe dos MacDougalls) já havia renunciado às pretenções sobre Mull (em 1354) em favor dos MacDonalds, para evitar possíveis conflitos. Os MacLeans eram uma família antiga baseada em Lorne (incluindo Mull), e após a renúncia, eles não tinham mais um Laird em Mull, então se tornaram os Lairds de Mull. Ao contrário dos MacDonalds, eles eram partidários fervorosos da Reforma, mesmo apoiando atos de desobediência civil contra o repúdio do rei Carlos II contra a Solemn League and Covenant. Archibald Campbell (Conde de Argyll) foi instruído pelo conselho privado a apossar-se de Mull e suprimir o comportamento não conformista; em 1680 ele ganhou posse da ilha, e transferiu sua autoridade para o xerife de Argyll.[2]

Em 1746, após as insurreições jacobitas, a Lei das jurisdições hereditárias aboliu a regality e proibiu o cargo de xerife de ser herdado. A governança local alinhou-se com a do restante da Grã-Bretanha. Os conselhos para a saúde, água, educação, direito dos pobre e assim por diante, foram criados para cada xerifado, semelhante ao modo como os condados agora eram governados na Inglaterra. Em 1889, os condados finalmente foram formalmente criados na Escócia, por uma Lei de Governo Local; eles deveriam ter os mesmos limites que os xerifados.[2]

Argyll ganhou assim um conselho de condado, que durou até 1975. Os condados vizinhos de Argyll eram: Inverness-shire, Perthshire, Dunbartonshire, Renfrewshire, Ayrshire e Bute. Renfrewshire e Ayrshire estão do outro lado do fiorde de Clyde, enquanto que Bute era um condado que compreendia as ilhas no fiorde.[2]

A cidade do condado de Argyll era historicamente Inveraray, que ainda é a sede do Duque de Argyll. Lochgilphead, mais tarde, reivindicou ser a cidade do condado, como sede do governo local para o condado a partir do século XIX. Porém, a cidade não era o maior povoado geograficamente, nem em termos populacional. As maiores cidades de Argyll eram (e são) Oban, Dunoon e Campbeltown.[2]

As Ilhas Small de Muck ou Muick, Rhum ou Rùm, Canna e Sanday fizeram parte do condado até serem transferidas para Inverness-shire em 1891 pela comissão de fronteira designada sob a Lei de Governo Local de 1889. A ilha de Egg ou Eigg já pertencia a Inverness-shire.[2]

O conceito de um Condado de Argyll cessou para fins do governo local em 1975, sendo sua área dividida entre as Regiões de Highland e Strathclyde. Um distrito de governo local chamado Argyll e Bute foi formado na região de Strathclyde, incluindo a maior parte de Argyll e a adjacente Ilha de Bute (antigo Condado de Bute era mais extenso). As áreas de Argyll de Ardnamurchan, Ardgour, Ballachulish, Duror, Glencoe, Kinlochleven e Morvern foram desmembradas para se tornarem partes do distrito de Lochaber, nas Terras Altas. Elas permaneceram nas Terras Altas após a revisão de 1996.[2]

Em 1996, foi criada uma nova área de conselho unitária de Argyll e Bute, com uma mudança nos limites para incluir parte do antigo distrito de Strathclyde de Dumbarton.[2]

Distrito eleitoral[editar | editar código-fonte]

A partir de 1590, como uma das medidas que se seguiram à Reforma Escocesa, cada xerifado elegia comissionados para o Parlamento da Escócia. Além do comissionado representando Argyll, pelo menos um era enviado para representar Tarbertshire, Lachlan Maclean de Morvern.[3][4] Na sessão parlamentar de 1630, Coll Lamont, laird de Lamont, foi o comissionado de Argyll e Tarbert. [5])

Houve um distrito eleitoral de Argyllshire para o Parlamento da Grã-Bretanha de 1708 a 1801 e do Parlamento do Reino Unido de 1801 a 1983 (renomeado Argyll em 1950). O distrito eleitoral de Argyll e Bute foi criado quando o distrito eleitoral de Argyll foi abolido.[6]

Paróquias civis[editar | editar código-fonte]

Priorado de Oronsay, Oronsay, Hébridas Interiores, recebeu recentemente melhorias em antecipação à visita da rainha Elizabeth.
Litoral de Colonsay

As paróquias civis ainda são utilizadas para alguns fins estatísticos, e os dados separados do censo são publicados para elas. Como suas áreas estão praticamente inalteradas desde o século XIX, isso permite comparar os dados da população em um longo período de tempo.

Habitantes[editar | editar código-fonte]

Os sobrenomes mais comuns em Argyll no momento do Censo do Reino Unido de 1881 por ordem de incidência:[7]

  1. Campbell
  2. McDonald
  3. Cameron
  4. McLean
  5. McMillan
  6. McIntyre
  7. McDougall
  8. McCallum
  9. McKinnon
  10. McArthur

Clãs[editar | editar código-fonte]

  • Clã Campbell foi o clã principal desta região. O clã Campbell possui um grande número de Duques de Argyll.
  • Clã Gregor historicamente eram donos de uma grande porção de terras nesta região antes da proscrição de seu nome em abril de 1603, resultado de uma luta pelo poder com os Campbells.
  • Clã Lamont historicamente eram por vezes aliados e inimigos do clã Campbell, culminando no Massacre Dunoon. No século XIX, o chefe do clã vendeu suas terras e se mudou para a Austrália, onde vive atualmente.
  • Clã Malcolm também conhecido como MacCallum. A sede do clã Malcolm é o Castelo Duntrune nas margens do Loch Crinan.
  • Clã MacLean historicamente possui as terras na Ilha de Mull com sua sede no Castelo Duart.

Outros moradores notáveis[editar | editar código-fonte]

Na ficção[editar | editar código-fonte]

  • O romance de Rosemary Sutcliff, The Mark of the Horse Lord (1965), é passado em Earra Gael, ou seja, na Costa do Gael, quando o reino de Dál Riata sofre uma luta interna pelo controle da sucessão real e um conflito externo para defender suas fronteiras contra os caledônios.
  • As terras altas acima da aldeia de Lochgilphead foram usadas para uma cena no filme de 1963 From Russia with Love, estrelado por Sean Connery como James Bond.
  • O tema principal da música The Queen of Argyll é o de uma mulher bonita, de Argyll. A música foi cantada pela banda Silly Wizard.
  • O filme escocês de 1985 Restless Natives usou Lochgoilhead para filmar uma cena de perseguição, bem como algumas estradas fora da aldeia.
  • A governanta Elsie Carson, na série de televisão britânica de Julian Fellowes, Downton Abbey, é de Argyll.

Notas

  1. a b c Woolf, Alex (2004). «VIII». In: Omand, Donald. The Age of Sea-Kings, 900-1300. The Argyll Book (em inglês) ilustrada ed. Edimburgo: Birlinn. pp. 94–95. ISBN 9781841582535 
  2. a b c d e f g h i j k Omand, Donald (2006). The Argyll book (em inglês). Edimburgo: Birlinn. ISBN 1841584800. OCLC 69486798 
  3. «Records of the Parliaments of Scotland». www.rps.ac.uk (em inglês). Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  4. «Return of the name of every member of the lower house of parliament of England, Scotland, and Ireland, with name of constituency represented, and date of return, from 1213 to 1874; Part II: Great Britain, United Kingdom, Scotland, Ireland» (PDF). Parliaments of Scotland, 1357–1707 (em inglês). Command paper C.69-I. HMSO. 11 de agosto de 1879. pp. 539–556 
  5. Edward Porritt, Annie Gertrude Porritt (1903). «Patt V: Scotland; Chapter xxxv: The franchise in the counties». The Unreformed House of Commons (em inglês). Volume 2: Scotland and Ireland. University Press. p. 78. Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  6. «Records of the Parliaments of Scotland». www.rps.ac.uk (em inglês). Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  7. «Argyll Genealogy Resources & Parish Registers». forebears.co.uk. Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  8. Who Was Who in America, Historical Volume, 1607–1896 (em inglês). Chicago: Marquis Who's Who. 1963 

Referências