Augusto Silveira de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Augusto Carvalho (político))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Augusto Carvalho
Em 2007, após protocolar ação no Supremo Tribunal Federal contra a cobrança obrigatoria da contribuição sindical.
Deputado federal pelo  Distrito Federal
Período 1 de fevereiro de 2007
até atualidade
(2 mandatos consecutivos)
1 de fevereiro de 1987
até 31 de janeiro de 1999
(3 mandatos consecutivos)
Deputado distrital pelo  Distrito Federal
Período 1 de janeiro de 2003
até 31 de dezembro de 2006
Dados pessoais
Nascimento 27 de julho de 1953 (66 anos)
Patos de Minas, Minas Gerais
Partido Solidariedade
Profissão Bancário, Sociólogo
linkWP:PPO#Brasil

Augusto Silveira de Carvalho, mais conhecido como Augusto Carvalho (Patos de Minas, 27 de julho de 1953) é um sociólogo e político brasileiro.

Bancário concursado do Banco do Brasil e graduado em Sociologia pela Universidade de Brasília, Augusto Carvalho foi eleito presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília em 1980, após duas tentativas nos anos 70. Reeleito no mandato seguinte.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi eleito Deputado federal constituinte na primeira eleição direta ocorrida no Distrito Federal em 1986 pelo PCB, ajudando a elaborar a Constituição brasileira de 1988. Foi reeleito por mais dois mandatos consecutivos. Em 1992 seu partido se reformula e passa a se chamar PPS.

Em 1998 lançou-se candidato a uma vaga no Senado, mas sem sucesso. Em 2002 elege-se deputado distrital e em 2006 é eleito, pela quarta vez, à Câmara dos Deputados.

Destaca-se pelo fim da cobrança obrigatória da contribuição sindical e pela fiscalização da aplicação dos recursos públicos. Inclusive, criou em 2005 a ONG Contas Abertas, de monitoramento dos orçamentos do governo federal e distrital.

Em agosto de 2008 licenciou-se do cargo de deputado para assumir o cargo de Secretário de Saúde do governo do Distrito Federal. Em 2009, deixou o governo de José Roberto Arruda, voltando à Câmara dos Deputados.

Deixou o PPS e filiou-se ao Solidariedade em outubro de 2013[1], sendo um dos 8 candidatos a distrital eleitos em 2014.

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[2] Posteriormente, votou também a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[2] Em abril de 2017 foi contra a Reforma Trabalhista.[2][3] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer.[2][4]

Referências

  1. «Deputado deixa o PPS». Jornal de Brasília. 7 de outubro de 2013 
  2. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  3. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  4. Deutsche Welle; Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]