Bandeira das Marianas Setentrionais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira das Marianas Setentrionais
Bandeira das Marianas Setentrionais
Aplicação
Proporção 1:2
Adoção 4 de julho de 1946
Cores
  Azul
  Branco
Cinza
Tipo Nacionais

A bandeira das Marianas Setentrionais foi adotada a 4 de Julho de 1976.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Até 1972, o território não possuía bandeira própria. Ao longo da história, bandeiras de diferentes países ou territórios foram usadas localmente.

Perído colonial[editar | editar código-fonte]

Polícia na Nova Guiné alemã por volta de 1885. Na foto, à esquerda, a bandeira do Império Alemão, à direita a Bandeira da Companhia Alemã da Nova Guiné

Com a chegada de Fernão de Magalhães em 1521 e a consequente processo de colonização, o arquipélago passa a fazer parte da Capitania-Geral das Filipinas em 1565. Consequentemente, a bandeira da Espanha foi usada durante esse período, já que a capitana não possuía bandeira própria.[2]

Essa situação só mudou quando foi constituído protetorado da Nova Guiné Alemã. Assim, as bandeiras do Império Alemão usada juntamente com a da Companhia Alemã da Nova Guiné passam a ser oficialmente usadas.

Protetorados[editar | editar código-fonte]

Bandeira japonesa em Saipan. Imagem retirada do livro japonês "Fotografias da Micronésia de ontem"
Sede governamental do Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas com a bandeira da ONU, do protetorado e dos Estados Unidos

Com a derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial, o território é transferido para o Japão que incorpora o arquipélago ao Mandato do Pacífico Sul. Nesse período, a bandeira oficial foi a bandeira do Império do Japão.[2] Contudo, além dessa, havia uma bandeira branca com o selo regional designado pelo governo japonês para uso local.

Após a Segunda Guerra Mundial e a derrota japonesa, as Ilhas Marianas do Norte passaram a fazer parte do Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas, juntamente com Palau, Ilhas Marshall e Micronésia. O protetorado usou a Bandeira das Nações Unidas antes de adotar uma bandeira própria em 1965. A bandeira de 1965 consiste em um anel de seis estrelas brancas em um campo azul, onde as estrelas simbolizavam os seis distritos do antigo protetorado; as Marianas, as Ilhas Marshall, Yap, Chuuk, Pohnpei e Palau.[3] Esse padrão de desenho no qual há a predominância de um fundo azul permaneceu até a atualidade.

Bandeira própria[editar | editar código-fonte]

A primeira bandeira distinta para as Ilhas Marianas do Norte, uma estrela branca e uma pedra latte em um campo azul, foi adotada oficialmente em 1972 pelo Distrito das Ilhas Marianas do Norte e em 1976 pela "Northern Mariana Islands Commonwealth Constitution". A grinalda foi adicionada em 1981.[3][4]

O desenho atual foi originalmente projetada por Taga durante o ano de 1985. Ainda no mesmo ano, eles finalizaram o rascunho da bandeira na última convenção constitucional do arquipélago.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

O brasão das Ilhas Marianas Setentrionais apresenta os mesmos elementos figurativos da bandeira

A bandeira consiste e um retângulo 2:3 na cor azul com o desenho de uma pedra latte centralizado sobreposta por uma estrela branca de cinco pontas e, em volta, uma grinalda chamada mwáár.[6] Segundo a lei que define as características da bandeira, a estrela e a pedra latte devem ter proporções de 24 polegadas de altura e 16 polegadas de largura se a bandeira tiver 78 polegadas de comprimento e 40 polegadas de largura, respectivamente.[7]

Também segundo a legislação, a pedra e a estrela são cercadas pelo mwáár tradicional, de 6 polegadas de largura - conforme proporções citadas acima, nas "cores tradicionais das flores" ylangi ylang, seyúr, angagha e teibwo.[7] Segundo o Vexilla Mundi, as cores da bandeira são, no Sistema Pantone: o fundo azul 286C; o latte, além do branco e do preto, é cinza 421C; o mwarmwar tem as cores verde 382C e verde 369C, magenta 239C, carmim 1788C, amarelo 102C, marrom 153C e cinza 421C.[6]

Cores padrão da Bandeira das Marianas Setentrionais
Cor Sistema Pantone CMYK RGB Hex
Branco 0.0.0.0 255, 255, 255 #FFFFFF
Preto 0.0.0.100 0, 0, 0 #000000
Azul 286C[8] 100.80.0.12[8] 0, 50, 160[8] #0032A0[8]
Verde 382C[9] 22.0.100.0[9] 196, 214, 0[9] #C4D600[9]
Verde 369C[10] 58.0.100.4[10] 100, 167, 11[10] #64A70B[10]
Magenta 239C[11] 14.81.0.0[11] 219, 62, 177[11] #DB3EB1[11]
Carmim 1788C[12] 0.93.82.0[12] 238, 39, 55[12] #EE2737[12]
Amarelo 102C[13] 0.0.100.0[13] 252, 227, 0[13] #FCE300[13]
Marrom 153C[14] 0.57.100.17[14] 190, 106, 20[14] #BE6A14[14]
Cinza 421C[15] 28.20.20.1[15] 178, 180, 178[15] #B2B4B2[15]

Simbolismo[editar | editar código-fonte]

Em comum com outros estados do Pacífico, tais como as Ilhas Marshall, Nauru e Estados Federados da Micronésia, a bandeira das Marianas Setentrionais é de um fundo azul. A inspiração veio, provavelmente, da bandeira das Nações Unidas, pois o arquipélago foi um protetorado da ONU de 1945 a 1972.

Oficialmente, a cor azul representa o Oceano Pacífico,[7] bem como a Fossa das Marianas.[3] A estrela branca simboliza a comunidade das Ilhas Marianas no contexto da micronésia,[16] além da proteção do arquipélago pelos Estados Unidos.[17]

O símbolo por trás da estrela é uma Pedra latte, um pilar de pedra ancestral, que é um símbolo do povo Chamorro e de suas construções antigas, especialmente a "Casa de Taga",[18][17] um sítio arqueológico da localizado na ilha de Tinian.[19] A pedra latte era um suporte para casas antigas, feitas de uma coluna (halagi) encimada por uma pedra angular (tasa). Suas origens são contadas na lenda de "Taga, o Grande",[17] Os Chamorro são uma das etnias indígenas antigas da região.

A grinalda, chamada mwáár foi adicionada em 1981, que simboliza o elo entre as ilhas e a sua história e tradições sagradas, honra e respeito. É feita com quatro flores diferentes ilang-ilang (Cananga odorata, em português, kananga do Japão), seyúr (Plumeria rubra, em português, jasmim-manga), ang'gha (Caesalpinia pulcherrima, e português, flor-de-pavão) e teibwo (Ocimum basilicum, em português, manjericão-de-folha-larga).[17][20]

Usos[editar | editar código-fonte]

Bandeira hasteada juntamente com a bandeira americana

Segundo o § 222 da lei da bandeira, no artigo que trata de sua disposição, essa deve:[21]

  1. A bandeira deve ser exibida ao ar livre apenas do nascer ao pôr do sol. Quando exibido em mastros, deve ser içada rapidamente e abaixada cerimoniosamente;
  2. Quando a bandeira for hasteada ou exibida juntamente com a bandeira dos Estados Unidos, exceto em uma única equipe ou adriça, ela será hasteada ou exibida abaixo ou à esquerda da bandeira dos Estados Unidos, quando virada para fora do edifício ou plataforma;
  3. Quando a bandeira for hasteada juntamente com a bandeira dos Estados Unidos em um único bastão ou adriça, ela tremulará abaixo da bandeira dos Estados Unidos.
  4. Quando a bandeira for hasteada sozinha, por ordem oficial, e a bandeira dos Estados Unidos estiver sendo hasteada a meio mastro, a bandeira deve também deve ser hasteada a meio mastro.

Segundo o § 223 da lei da bandeira, que trata da destruição e danos à bandeira, ninguém pode queimar, rasgar, cuspir, profanar, mutilar ou de alguma forma desonrar a bandeira. Qualquer pessoa que violar esta lei deverá, por condenação, ser presa por um período não superior a um ano ou multada em não mais de US$ 500, ou ambas.[22]

Referências

  1. https://www.crwflags.com/fotw/flags/mp.html
  2. a b Vexilla Mundi. «Northern Mariana Islands History.html». Consultado em 14 de junho de 2020 
  3. a b c «Northern Mariana Islands Flag». GraphicMaps. Consultado em 12 de junho de 2020 
  4. https://www.crwflags.com/fotw/flags/mp.html#change
  5. «Northern Mariana Islands Flag description - Government». www.indexmundi.com (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2019 
  6. a b «Northern Mariana Islands Flag». Vexilla Mundi. Consultado em 12 de junho de 2020 
  7. a b c «CMI Law, General provisions (§ 221)» (PDF). CNMI Law Revision Commission's. Consultado em 18 de junho de 2020 
  8. a b c d «Pantone 286C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  9. a b c d «Pantone 382C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  10. a b c d «Pantone 382C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  11. a b c d «Pantone 239C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  12. a b c d «Pantone 1788C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  13. a b c d «Pantone 102C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  14. a b c d «Pantone 153C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  15. a b c d «Pantone 421C». Pantone. Consultado em 18 de junho de 2020 
  16. https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/cq.html
  17. a b c d «Northern Mariana Islands». US Flags [dot] Design. Consultado em 18 de junho de 2020 
  18. https://www.guampedia.com/taga/
  19. Morgan, William N (1989). Prehistoric Architecture in Micronesia. University of Texas Press. p. 134. ISBN 978-0-292-76506-1
  20. Znamierowski, A. The Worl Encyclopedia of Flags. Lorenz Books, 2001.
  21. «CMI Law, General provisions (§ 222)» (PDF). CNMI Law Revision Commission's. Consultado em 18 de junho de 2020 
  22. «CMI Law, General provisions (§ 223)» (PDF). CNMI Law Revision Commission's. Consultado em 18 de junho de 2020