Bandeira do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Bandeira do Sul
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 1º de março
Fundação 1º de março de 1964
Gentílico sul-bandeirante
Lema "Honrarei esta terra , ó minha Bandeira do Sul!"
Prefeito(a) José dos Santos (PSDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Bandeira do Sul
Localização de Bandeira do Sul em Minas Gerais
Bandeira do Sul está localizado em: Brasil
Bandeira do Sul
Localização de Bandeira do Sul no Brasil
21° 43' 40" S 46° 23' 09" O21° 43' 40" S 46° 23' 09" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Poços de Caldas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Poços de Caldas, Campestre, Botelhos e Caldas[2]
Distância até a capital 440 km
Características geográficas
Área 46,917 km² [3]
População 5 340 hab. (MG: 583º) –  IBGE/2010[4]
Densidade 113,82 hab./km²
Altitude 989 máxima - 660 mínima m
Clima 20,70 °C Média anual
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,692 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 30 815,788 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 5 820,89 IBGE/2008[6]
Página oficial

Bandeira do Sul é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada pelo IBGE em 2015 era de 5 674 habitantes. Está localizada no Sul de Minas Gerais, confrontando ao norte com Botelhos, ao sul com Caldas, a leste com Campestre e a oeste com Poços de Caldas.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Bandeira do Sul teve como participantes, colaboladores primários de sua fundação José Bandeira de Carvalho, João Vilela de Carvalho, Pedro de Castro Muniz e Salvador Flores. Porém, a ideia de formar uma vila entre as terras de Poços de Caldas e Campestre, em virtude da enorme distância entre as duas cidades, nasceu de José Bandeira de Carvalho. Diante de seu idealismo adquiriu alguns alqueires na região denominada Marambaia, para a futura colonização dos terrenos.

A economia do município consiste basicamente na agricultura e pecuária, e a principal fonte de renda, no passado, eram as indústrias de cerâmicas e olarias. Hoje o cenário mudou, existem inúmeras fábricas de costuras gerando centenas de empregos aos cidadãos bandeira sulenses além de indústrias de laticínios e o setor metalúrgico da cidade vizinha de Poços de Caldas.

Igreja Católica[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Diocese de Guaxupé. O atual pároco é o Pe. José Natal (2014). Padre Agostinho Damem, que foi pároco nesta cidade é considerado o maior benfeitor desta região, dentre as obras idealizadas e financiadas por ele, com ajuda de empresas belgas, destaca-se o Hospital Dona Paulina Damen Kockx. O Padre Agostinho teve a Honra de ser Contemplado com uma Estátua de concreto de Tamanho estendido, bem na Entrada da Praça matriz.

Pontos Turísticos[editar | editar código-fonte]

A cachoeira do Rio Pardo.

Acidente com trio elétrico[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de fevereiro de 2011, um acidente grave em Bandeira do Sul, deixou 18 mortos e mais de 50 pessoas feridas, em uma festa de pré-carnaval denominada "Carnaband". Segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), uma serpentina metalizada teria sido jogada em um cabo de energia. O cabo teria se partido e caído ao chão, atingindo também o trio elétrico. Moradores da cidade atribuem a culpa pelas mortes à CEMIG uma vez que a rede elétrica não possuía sistema de proteção para desligamento automático em caso de acidentes, como o que ocorreu. Segundo alegam os moradores de Bandeira do Sul, com a realização do evento, a CEMIG teria instalada um sistema de proteção da rede elétrica para evitar as constantes quedas de energia que ocorriam no município, sendo que esse sistema teria sido o responsável pelo religamento da energia elétrica quando os fios de alta tensão entraram em curto e se partiram quando tiveram contato com serpentinas metalizadas. Os cabos de alta tensão, mesmo partidos, foram religados pelo sistema por três vezes, causando toda a tragédia.

A prefeitura de Poços de Caldas enviou para o resgate 40 profissionais da saude e cerca de 25 viaturas entre ambulâncias e SAMU, além da apoio dos Hospitais Santa Casa, Pedro Sanches,São Domingos e Unimed. As cidades de Campestre e Botelhos também colaboraram enviando ambulâncias. As primeira vítimas foram socorridas por Policiais Militares que trabalhavam no evento.[7][8]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (2009). «Mapa Político do Estado de Minas Gerais» (PDF). Consultado em 5 de dezembro de 2009 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 15 de junho de 2015 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  7. «Cerca de 2.000 pessoas vão a velório de vítimas do acidente com trio elétrico em MG». noticias.r7.com  Texto "acessodata 28 de fevereiro de 2011" ignorado (ajuda)
  8. «Acidente com trio elétrico deixa mortos e feridos no Sul de MG». g1.globo.com. Consultado em 28 de fevereiro de 2011 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.