Campestre (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Campestre
"vira o santo"
Bandeira desconhecida
Brasão de Campestre
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 30 de agosto
Fundação 30 de agosto de 1911 (104 anos)[1]
Gentílico campestrense
Prefeito(a) Valdevino Felisberto dos Reis
(2013–2016)
Localização
Localização de Campestre
Localização de Campestre em Minas Gerais
Campestre está localizado em: Brasil
Campestre
Localização de Campestre no Brasil
21° 42' 39" S 46° 14' 45" O21° 42' 39" S 46° 14' 45" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [2]
Microrregião Poços de Caldas IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Divisa Nova, Botelhos, Bandeira do Sul, Caldas, Santa Rita de Caldas, Ipuiúna, Poço Fundo, Machado e Serrania.[3]
Distância até a capital 430 km
Características geográficas
Área 577,152 km² [4]
População 21 340 hab. IBGE/2013[5]
Densidade 36,97 hab./km²
Altitude 1300 m
Clima tropical de altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,698 médio PNUD/2010[6]
PIB R$ 235 974,173 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 11 321,51 IBGE/2008[7]
Página oficial
Prefeitura http://www.campestre.mg.gov.br

Campestre é um município brasileiro da Microrregião de Poços de Caldas, estado de Minas Gerais. Localiza-se a 422 Km da capital do Estado, Belo Horizonte. Sua população estimada em julho de 2013 era de 21 340 habitantes.[5]

O município foi criado em 1911, por desmembramento do município de Caldas, do qual era distrito.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Segundo a tradição, a primeira penetração em território do atual município foi feita por bandeirantes paulistas, nos primórdios da colonização do país. Posteriormente, o local se tornou ponto de passagem de romeiros que se dirigiam a Aparecida do Norte ou de viandantes que iam para Campanha (Minas Gerais). Assim, surgiram ranchos nos quais faziam pouso, e moradores foram sendo atraídos ao local, principalmente portugueses. A exploração da lavoura constituiu-se na principal atividade econômica local. Com o trabalho escravos, foram criadas as primeiras plantações, construíram-se as primeiras moradias e a cadeia. Em 1830, em terras doadas pelos irmãos Francisco José Muniz e Manoel José Muniz, foram construídos o cemitério e uma capela em louvor a Nossa Senhora do Carmo.[1]

A origem do topônimo se prende à existência, nos primeiros tempos, de uma área de campo, entre as matas, a qual foi aproveitada para a formação do povoado.[1]

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, era um distrito criado pela Lei Provincial nº 184, de 3 de abril de 1840, com a denominação de Nossa Senhora do Carmo de Campestre, sendo sua criação confirmada por Lei Estadual nº 2, de 14 de setembro de 1891. O distrito foi elevado a município pela Lei Estadual nº 556, de 30 de agosto de 1911, mediante desmembramento do município de Caldas.[1]

O Município de Campestre se compõe de um único distrito - o distrito-sede, criado em 1º de junho de 1912. Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1º de setembro de 1920, Campestre permanecia com um distrito. Embora o município já tivesse oficialmente o nome de Campestre, a Lei Estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, determinou que esse único distrito, denominado Nossa Senhora do Carmo do Campestre, também passasse a se chamar Campestre. [1]

Em 27 de dezembro de 1948, pelo dispositivo da Lei nº 336, Campestre ganhou mais um distrito, o de Bandeira, que seria mais tarde renomeado Bandeira do Sul, de acordo com a Lei nº 1039, de 12 de dezembro de 1953.[1]

O Município permaneceu com os dois distritos até 1962, quando o distrito de Bandeira do Sul foi elevado a município pela Lei nº 2764 de 30 de dezembro de 1962. [1]

Municípios limítrofes[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Café e gado são os principais produtos de economia local. O plantio de café é a principal atividade econômica do município, mas a fruticultura também vem se destacando. O território municipal contém reservas de ferro, caulim, mica, feldspato e amianto. [carece de fontes?]

Religiosidade[editar | editar código-fonte]

  • Igreja Católica

O município pertence à Diocese de Guaxupé.

Sede regional em Poços de Caldas

Sede regional em Botelhos, MG

Referências

  1. a b c d e f g h Campestre (MG) IBGE (s/data). Visitado em 28 de janeiro de 2015. "Elevada a Município pela Lei Estadual nº 556, de 30 de agosto de 1911. Desmembrada do Município de Caldas."
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  3. Mapas do IGA. Visitado em 16 de janeiro de 2010.
  4. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  5. a b Estimativa da População Residente, em 1° de julho de 2013 Diário Oficial da União p. 73. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (28 de agosto de 2013). Visitado em 24 de setembro de 2013.
  6. Ranking IDHM Municípios 2010 Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2013). Visitado em 15 de junho de 2015.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.