Barbosa Lessa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barbosa Lessa
Nascimento 13 de dezembro de 1929
Piratini
Morte 11 de março de 2002 (72 anos)
Camaquã
Cidadania Brasil
Ocupação folclorista, escritor, poeta, músico

Luiz Carlos Barbosa Lessa (Piratini, 13 de dezembro de 1929Camaquã, 11 de março de 2002) foi um folclorista, escritor, músico, advogado e historiador brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Escreveu cerca de 61 obras, entre contos, músicas e romances. Participou intensivamente do processo de construção do Movimento que registrou e difundiu a cultura gaúcha do homem do campo. Em 1948, ele com 19 anos de idade junto com um grupo de colegas do ensino secundário criaram o Movimento Tradicionalista Gaúcho e o primeiro CTG (Centro de Tradições Gaúchas) da História, definindo as características do que hoje é considerado o tipo "Gaúcho".

Dentre suas obras mais conhecidas destacam-se Rodeio dos ventos, um épico sobre como seria vida do povo gaúcho, e Os guaxos, pelo qual recebeu prêmio em 1959 da Academia Brasileira de Letras.

Ao mesmo tempo em que se dedicava à implantação do tradicionalismo, Lessa passou a pesquisar a música regional. Em 1957, criou a popular toada Negrinho do Pastoreio, canção é baseada na lenda do jovem escravo que, ao perder a tropilha de cavalos do patrão, é agrilhoado a um formigueiro para ser devorado pelos insetos. A canção de Barbosa Lessa foi cantada por dezenas de intérpretes, entre eles Inezita Barroso, Leopoldo Rassier e a dupla Kleiton & Kledir.

Notas e Referências

  1. «Biografia no Cravo Albin». dicionariompb.com.br. Consultado em 16 de junho de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]