Kleiton & Kledir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Kleiton & Kledir
Informação geral
Origem Pelotas, Rio Grande do Sul
País  Brasil
Gênero(s) MPB
Instrumento(s) voz, violão, violino
Período em atividade 1975 - presente
Página oficial Site Oficial
Integrantes Kleiton Alves Ramil
Kledir Alves Ramil

Kleiton & Kledir é uma dupla de músicos brasileira. São irmãos e nasceram em Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul. São cantores e compositores de música popular brasileira. São irmãos do também músico Vítor Ramil e primos do músico Pery Souza[1] .

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Kleiton e Kledir Alves Ramil começaram a estudar música muito cedo e, nos anos 70, lançaram com mais três amigos a banda Almôndegas. Foram quatro discos, uma infinidade de shows e a mudança para o Rio de Janeiro. Quando o grupo se dissolveu, os irmãos decidiram prosseguir a carreira em dupla.

Em 1980 saiu o primeiro disco da dupla. O sucesso foi imediato e os shows atraíam muitos por todo o Brasil. Lançaram cinco discos (mais um em espanhol) o que lhes rendeu disco de ouro e shows nos Estados Unidos, Europa e América Latina. Gravaram em Los Angeles, Nova Iorque, Lisboa, Paris, Miami e Buenos Aires. Suas composições foram gravadas por Simone, Nara Leão, MPB4, Caetano Veloso, Xuxa, Fafá de Belém, Nenhum de Nós, Zizi Possi, Ivan Lins, Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano, Leonardo, Belchior, Emilio Santiago, Cláudia Leitte e muitos outros. Também pelo mundo afora suas músicas ganharam versões de grandes artistas, como os argentinos Mercedes Sosa e Fito Páez, a cantora portuguesa Eugénia Melo e Castro e a japonesa Chile.

Kleiton & Kledir trouxeram definitivamente para a cultura brasileira a nova música gaúcha. Eternizaram um sotaque diferente, uma maneira própria de falar e cantar, com termos até então desconhecidos como "deu pra ti" e "tri legal". Segundo um crítico da época, parecia "uma dupla de ingleses, cantando numa língua que lembra o português". Acabaram se transformando em símbolos do gaúcho contemporâneo, do homem moderno do sul do Brasil, o que fez com que o governo do estado lhes conferisse o título de "Embaixadores Culturais do Rio Grande do Sul".

Em 1987, apesar de tanto sucesso, a dupla resolveu se separar. Depois de sete anos, retomaram a carreira. Lançaram os CDs Dois (Som Livre), Clássicos do Sul (Universal) e coletâneas que venderam mais de meio milhão de cópias. Estiveram em Paris apresentando uma série de shows no Museu do Louvre e viajaram duas vezes em turnê pelos EUA. No carnaval carioca de 2002 foram homenageados pela Escola de Samba Caprichosos de Pilares, que desfilou com um enredo inspirado na canção Deu pra ti.

Em 2008, preparavam a gravação de um novo disco de inéditas que deveria sair em 2009. Enquanto isso, seguem viajando por todo o Brasil com o show do CD/DVD Kleiton & Kledir – ao vivo, onde fazem uma releitura da carreira de tanto sucesso. O disco é um lançamento Som Livre/RBS - com produção do britânico Paul Ralphes – e recebeu o Prêmio TIM de Melhor Disco do Ano, na categoria canção popular.

O CD e DVD Autorretrato, lançado em 2009 é um projeto de músicas inéditas. O DVD, em formato documentário, reúne as músicas inéditas e as histórias que permeiam suas criações, contando um pouco da vida da dupla gaúcha. Autorretrato a música título, é uma conversa entre dois amigos, onde cada um desabafa e revela seus segredos.

No ano de 2011 lançam "Par ou Ímpar", seu primeiro CD infantil[2] . Deste trabalho lançam no ano seguinte o CD/DVD "Par ou Ímpar ao vivo" em parceria com o Grupo Tholl, contando ainda com a participação de Fabiana Karla.[3] . O CD do show musical Par ou Ímpar recebeu o Prêmio da Música Brasileira como Melhor Álbum Infantil, durante cerimônia no Theatro Municipal do Rio, em 12 de junho de 2013[4] , e o Prêmio Açorianos de Melhor CD Infantil, em Porto Alegre, dia 25 de junho de 2013[5] .

Em 2015 lançam pela Biscoito Fino seu novo CD "Com Todas as Letras" onde contam com participação de grandes escritores do Rio Grande do Sul como parceiros nas composições inéditas. Entre os escritores estão nomes como Caio Fernando Abreu, Luis Fernando Verissimo, Martha Medeiros, Fabrício Carpinejar, Letícia Wierzchowski, Daniel Galera, Paulo Scott, Cláudia Tajes, Alcy Cheuiche e Lourenço Cazarré[6] [7] . O disco é indicado ao Prêmio Açorianos nas categorias Álbum e Compositor de MPB[8] .

Discografia[9] [editar | editar código-fonte]

No Almôndegas
  • Almôndegas - (1975)
  • Aqui - (1975)
  • Alhos com Bugalhos - (1977)
  • Circo de Marionetes - (1979)
Pós-Almôndegas
  • Kleiton & Kledir - (1980)
  • Kleiton & Kledir - (1981)
  • Kleiton & Kledir - (1983)
  • Kleiton & Kledir - (1984)
  • Kleiton & Kledir en español - (1984)
  • Kleiton & Kledir - (1986)
  • Sim (Kleiton Ramil) - (1990)
  • Ao Vivo (Kledir Ramil) - (1991)
  • Dois - (1997)
  • Clássicos do Sul - (1999)
  • Kleiton & Kledir Ao Vivo - (2005) - disco ao vivo, também lançado em DVD
  • Autorretrato - (2009) - disco também lançado em DVD
  • Par Ou Ímpar - (2011)
  • Par Ou Ímpar (Ao Vivo) - (2012) - disco também lançado em DVD
  • Com Todas as Letras - (2015) - CD/DVD
Coletâneas
  • Minha História - (1995)
  • Personalidade - (1996)
  • Obras Primas - (1996)
  • Millenium - (1998)
  • Sem Limite - (2001)
  • A Arte de Kleiton & Kledir - (2005)
  • Warner 30 Anos: Almôndegas - (2006)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências