Grande Retirada (Rússia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Batalha de Varsóvia (1915))
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
A Grande Retirada
Primeira Guerra Mundial
Bundesarchiv Bild 183-R42025, Warschau, Einmarsch deutscher Kavallerie.jpg
Tropas alemãs entrando em Varsóvia
Data 17 de agosto a 14 de setembro de 1915
Local Galícia e Polónia
Desfecho Vitória alemã; russos conseguem se retirar
Combatentes
Áustria-Hungria Áustria-Hungria
Império Alemão Império Alemão
Rússia Império Russo
Comandantes
Império Alemão Erich von Falkenhayn
Império Alemão Erich Ludendorff
Rússia Nicolau Nikolaevich
Rússia Mikhail Alekseyev
Rússia Nikolai Ivanov
Forças
1 136 000 de soldados 1 200 000 de soldados, 6 000 canhões
Baixas
200 000 mortos, feridos ou desaparecidos 500 000 mortos, feridos ou desaparecidos
1 000 000 de prisioneiros

A Grande Retirada Russa ocorreu em 1915 durante a Primeira Guerra Mundial, onde as forças do Império Russo se retiram de Galícia e Polónia.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Durante este período, houve um grande acumular de forças militares a favor dos Impérios Centrais. Quatro novos exércitos alemães, o 11°, o 12°, o Exército de Niemen e o Exército de Bug|Bug, foram sendo empurrados para cima, dramaticamente para equilibrar o poder na área, com 13 forças centrais, contra 9 russas. Sob pressão do Kaiser, o general Falkenhayn cedeu à insistência de Hindenburg e Ludendorff, para que a ofensiva continuasse.

Stavka decidiu empreender uma retirada estratégica da linha de frente até que as indústrias de guerra se pudessem levantar.

A Ofensiva[editar | editar código-fonte]

Depois da Ofensiva Gorlice–Tarnów, no começo de junho de 1915, os grupos de Mackensen cruzaram o Rio San, e capturaram Przemyśl. Em 22 do mesmo mês, forças russas se retiraram da capital de Galicia, Lvov. Entre 23 e 27 de junho os alemães cruzaram Dniester. Em julho Mackensen teve que para o ataque, para se proteger de contra-ataques inimigos.

Em 13 de julho, os Poderes Centrais, abriram uma nova ofenssiva em todo a frente de batalha. Em desvantagem e ainda fora de equilíbrio, no sudoeste as linhas russas entram em colapso, e começam a bater em retirada de Ivangorod-Lublin-Chełm.

Uma coisa muito mais preocupante, dois exércitos foram muito pescinados no norte das linhas, uma vez lhe dando com a possibilidade de uma retirada total do exército russo.

Em 13 de julho todo o exército havia conseguido, avançar mais 160 km para o Rio Bug, deixando apenas uma pequena porção do Congresso da Polônia nas mãos do inimigo, que estava fixado em Varsóvia e na fortaleza Ivangorov. Em 22 de julho, os Poderes Centrais atravessaram o Rio Vístula. Em agosto o 4° Exército russo, deixou o local.

Continuando com sua retirada Varsóvia se tornou isolada, o 12° Exército Alemão (sob Gallwitz), aproveitou a oportunidade e conquistou a cidade entre 4 e 5 d agosto.

Novos ataques, empreendidos pelos alemães, moveram-se para o sul da Prússia, logo causando um colapso desta frente.

Depois de receberem reforços eles tomaram Brest-Litovsk em 25 de agosto. Em 19 de setembro as forças de Hindenburg, capturaram Vilna.