Ordem do Império Britânico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de CBE)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "GBE" redireciona para este artigo. Para línguas africanas, veja Línguas gbe.
Disambig grey.svg Nota: "OBE" redireciona para este artigo. Para Out Of Body Experience, veja OOBE.


Ordem do Império Britânico
CBE AEAColl.jpg
Classificação
País  Reino Unido
Outorgante Rainha Elizabeth II
Motto Por Deus e pelo Império
Tipo Ordem de Cavalaria
Descritivo Concedida por realizações nacionais ou regionais proeminentes
Agraciamento Militares e civis
Condição Ativa
Histórico
Criação 4 de junho de 1917
Primeira concessão 1917
Hierarquia
Inferior a Real Ordem Vitoriana
Superior a Várias, dependendo de classe
Imagem complementar Order of the British Empire (Military) Ribbon.png
Fita militar

Order of the British Empire (Civil) Ribbon.png
Fita civil

A Excelentíssima Ordem do Império Britânico (em inglês: Most Excellent Order of the British Empire) é uma ordem de cavalaria britânica, gratificando contribuições para as artes e ciências, trabalho com organizações de caridade e de assistência social, e serviço público fora do Serviço Civil.[1] Foi estabelecida em 4 de junho de 1917 pelo rei Jorge V e compreende cinco classes em divisões civis e militares, sendo as duas mais altas que fazem do destinatário um Cavaleiro se homem ou uma Dama se mulher.[2] Há também a Medalha do Império Britânico que é relacionada, cujos destinatários estão afiliados, mas não são membros da ordem.

As recomendações para apontamento à Ordem do Império Britânico foram feitas inicialmente na nomeação do Reino Unido, os domínios autônomos do império (futuramente a Commonwealth) e o vice-rei da Índia. Hoje, as nomeações continuam vindo de países da Commonwealth que participam da recomendação de honras (imperiais) britânicas. A maioria dos países da Commonwealth, como a Índia, o Paquistão e a Nigéria, cessaram as recomendações de apontamento na Ordem do Império Britânico quando criaram suas próprias honras. Alguns países, como o Canadá, ainda recomendavam os prêmios de galanteria da Ordem do Império Britânico quinze meses após a criação da Ordem do Canadá e a Austrália, que continuou a recomendar os prêmios meritoriais e galanteros da Ordem do Império Britânico por 15 anos após a criação da Ordem da Austrália.

Classes atuais[editar | editar código-fonte]

As cinco classes de nomeação para a Ordem são, em ordem decrescente de precedência:[3]

  • Knight Grand Cross of the Most Excellent Order of the British Empire (GBE) ou Dame Grand Cross of the Most Excellent Order of the British Empire (GBE)
  • Knight Commander of the Most Excellent Order of the British Empire (KBE) ou Dame Commander of the Most Excellent Order of the British Empire (DBE)
  • Commander of the Most Excellent Order of the British Empire (CBE)
  • Officer of the Most Excellent Order of the British Empire (OBE)
  • Member of the Most Excellent Order of the British Empire (MBE)

Estilos e nomeações honorárias[editar | editar código-fonte]

As duas mais altas classificações, de Knight ou Dame Grand Cross, e Knight ou Dame Commander, dão ao seus membros o direito de usar o título de Sir para homens e Dame para mulheres antes de seus nomes.[4] A maioria dos membros são cidadãos do Reino Unido ou os reinos da Commonwealth que usam o sistema imperial de honras e prêmios.[5]

As nomeações honorárias são apontadas para cidadãos de nações onde a rainha não é Chefe de Estado, e pode permitir o uso de letras pós-nominais, mas não o título de Sir ou Dame.[5] Ocasionalmente, nomeados honorários são, incorretamente, referidos como Sir ou Dame - Bob Geldof, por exemplo. Os nomeados honorários que mais tarde se tornaram um cidadãos de um reino da Commonwealth podem converter sua nomeação de honorário para substantivo e então aproveitem todos os privilégios de adesão à ordem, incluindo o uso do título de Sir e Dame para as duas primeiras classificações da ordem. Um exemplo é o locutor irlandês Terry Wogan, que foi nomeado Knight Commander honorário da ordem em 2005, e após uma candidatura bem-sucedida à cidadania britânica, realizada ao lado de sua cidadania irlandesa, foi nomeado membro substantivo e, posteriormente, denominado Sir Terry Wogan.[6][7]

História[editar | editar código-fonte]

O rei Jorge V fundou a odem para preencher lacunas no sistema de honras britânicas:

Em particular, o rei Jorge V desejava criar uma ordem para homenagear muitos milhares daqueles que haviam servido em vários papéis não combatentes durante a Primeira Guerra Mundial. Quando estabelecida, a ordem tinha apenas uma divisão. No entanto, em 1918, logo após a sua fundação, foi formalmente dividida em divisões militares e civis.[8] O lema da ordem é "Para Deus e o Império".[2]

Na fundação da ordem, a "Medalha da Ordem do Império Britânico" foi instituída, para servir como um prêmio mais baixo que concede aos destinatários afiliação, mas não os admite como membros. Em 1922, isso foi renomeado como a Medalha do Império Britânico. Parou de ser fornecida pelo Reino Unido como parte das reformas de 1993 para o sistema de honras, mas foi fornecida novamente em 2012, começando com 293 medalhas concedias para o Jubileu de Diamante da Rainha Elizabeth II.[9] Além disso, a medalha é fornecida pelas Ilhas Cook e por outras nações da Commonwealth. Em 2004, um relatório intitulado "Uma Questão de Honra: Reformar o Nosso Sistema de Honras" por um comitê da Câmara dos Comuns recomendou a eliminação progressiva da Ordem do Império Britânico, já que seu título era "agora considerado inaceitável", sendo pensada incorporar valores que são não mais compartilhados por muitos da população do país ".[10]

Composição[editar | editar código-fonte]

O monarca britânico é Soberano da Ordem e nomeia todos os outros membros da Ordem (por convenção, sob recomendação dos governos do Reino Unido e alguns reinos da Commonwealth). O próximo membro mais elevado é o Grão-Mestre, dos quais houveram três: Príncipe Eduardo, o Príncipe de Gales (1917-1936); a Rainha Maria (1936-1953); e o atual Grão-Mestre, o Duque de Edimburgo (desde 1953).

A Ordem é limitada a 300 Knights e Dames Grand Cross, 845 Knights e Dames Commander, e 8,960 Commanders. Não há limites aplicados ao número total de membros da quarta e quinta classes, mas não mais de 858 Oficiais e 1.464 Membros podem ser nomeados por ano. Estrangeiros nomeados como membros honorários não contribuem para a restrição de números como fazem os membros de pleno direito. Embora a Ordem do Império Britânico tenha, de longe, o maior número de membros das ordens de cavalaria britânicas, com mais de 100.000 membros vivos em todo o mundo, há menos nomeações para cavaleiros do que em outras ordens.[11]

Embora os homens possam ser feitos cavalheiros separadamente de uma Ordem de Cavalaria, as mulheres não podem, e assim o posto de Knight/Dame Commander da Ordem é o mais baixo grau de honraria feminina, e o segundo mais baixo de honraria masculina (acima de Cavaleiros Celibatários). Por isso, uma nomeação como Dame Commander é feita em circunstâncias em que um homem seria criado um Cavaleiro Celibatário. Por exemplo, por convenção, as juízas da Suprema Corte de Justiça são criadas Dames Commander após a nomeação, enquanto os juízes masculinos se tornam Cavaleiros Celibatários.

A Ordem tem seis funcionários: o Prelado; o Decano; o Secretário; o Registrador; o Rei de Armas; e o Ostiário. O Bispo de Londres, um antigo e relevante bispo na Igreja da Inglaterra, serve como o Prelado da Ordem. O Decano de São Paulo é o decano da Ordem ex officio. O Rei de Armas da Ordem não é membro do Colégio de Armas, assim como muitos outros oficiais heráldicos. O Ostiário da Ordem é conhecido como o Cavaleiro Ostiário do Bastão Roxo; ele não - ao contrário de seu equivalente à Ordem da Jarreteira, o Cavalheiro Ostiário do Bastão Negro - executa quaisquer deveres relacionados à Câmara dos Lordes.[12]

De vez em quando, os indivíduos são nomeados para um grau superior dentro da Ordem, cessando assim o uso de letras pós-nominais menores.

Referências

  1. «The honours system: Types of honours and awards - GOV.UK». www.gov.uk (em inglês). Consultado em 9 de setembro de 2017 
  2. a b «The Most Excellent Order of the British Empire | British order of knighthood». Encyclopedia Britannica (em inglês) 
  3. «A guide to the Order of the British Empire – Royal Central». royalcentral.co.uk (em inglês). Consultado em 9 de setembro de 2017 
  4. «Order of the British Empire | Definition of Order of the British Empire in English by Oxford Dictionaries». Oxford Dictionaries | English. Consultado em 9 de setembro de 2017 
  5. a b «Guide to the Honours». BBC. 1 de agosto de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2017 
  6. «Radio's Wogan becomes Sir Terry». news.bbc.co.uk. 6 de dezembro de 2005. Consultado em 9 de setembro de 2017 
  7. «CENTRAL CHANCERY OF THE ORDERS OF KNIGHTHOOD». The London Gazette (em inglês). 31 de dezembro de 2005. Consultado em 9 de setembro de 2017 
  8. «CENTRAL CHANCERY OF THE ORDERS OF KNIGHTHOOD.». The London Gazette (em inglês). 27 de dezembro de 1918. Consultado em 10 de setembro de 2017 
  9. «Birthday Honours: 'Working class' British Empire Medal revived». BBC News (em inglês). 16 de junho de 2012 
  10. A Matter of Honour: Reforming the Honours System (PDF). Volume I. Londres: The Stationery Office Limited. 2004. 73 páginas. Consultado em 10 de setembro de 2017 
  11. «Order of the British Empire». The official website of The British Monarchy. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  12. «The Most Excellent Order of the British Empire» (PDF). OBE Newsletter (em inglês). 8 páginas. 2015. Consultado em 16 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]