Castelo do Piauí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Castelo do Piauí
Palacete municipal da Biblioteca Municipal de Castelo do Piauí

Palacete municipal da Biblioteca Municipal de Castelo do Piauí
Bandeira indisponível
Brasão de Castelo do Piauí
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 12 de setembro de 1762 (256 anos)
Gentílico castelense
Prefeito(a) José Magno Soares da Silva (PT)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Castelo do Piauí
Localização de Castelo do Piauí no Piauí
Castelo do Piauí está localizado em: Brasil
Castelo do Piauí
Localização de Castelo do Piauí no Brasil
05° 19' 19" S 41° 33' 10" O05° 19' 19" S 41° 33' 10" O
Unidade federativa Piauí
Mesorregião Centro-Norte Piauiense IBGE/2008[1]
Microrregião Microrregião de Campo Maior IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes São Miguel do Tapuio, São João da Serra, Juazeiro do Piauí, Buriti dos Montes, Novo Santo Antônio e Sigefredo Pacheco.
Distância até a capital 184 km
Características geográficas
Área 2 063,960 km² [2]
População 19 715 hab. estimativa IBGE/2018[3]
Densidade 9,55 hab./km²
Altitude 239 m
Clima tropical típico
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,596 baixo PNUD/2000[4]
PIB R$ 70 266,478 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 682,34 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.castelodopiaui.pi.gov.br

Castelo do Piauí um município brasileiro do estado do Piauí. Localiza-se na microrregião de Campo Maior, mesorregião do Centro-Norte Piauiense. O município tem 19,715 habitantes (IBGE/2018)[3] e uma área de 2 063,960 km².

História[editar | editar código-fonte]

O território de Castelo do Piauí, antigamente denominado de Rancho dos Patos pertenceu inicialmente à freguesia de Santo Antônio do Surubim, atual cidade de Campo Maior. Os primeiros habitantes ali se instalaram no início do século XVIII e foi elevada à categoria de freguesia em 27 de novembro de 1742 sob invocação de Nossa Senhora do Desterro,[6] ao passar pelo Piauí, em visita pastoral pelo Bispo do Maranhão, D. Frei Manuel da Cruz (1960–1764),[7] transferiu de Piracuruca para a nova freguesia, o seu primeiro pároco, Padre José Lopes Pereira. Este, com apoio de fiéis, construiu uma grande capela, transformada na Igreja Matriz.[8]

Em 19 de junho de 1761 por Carta Régia o povoado Rancho dos Patos foi elevado à categoria de vila e sede municipal, com a denominação de Marvão,[9] que se destacou na luta pela independência do Brasil. Pelo mesmo, foi doado uma légua de terras, em quadro, para a formação do patrimônio.[6] A instalação do novo município deu-se no dia 12 de setembro de 1762, sendo a 6ª vila a ser criada na província do Piauí.[7] O nome Vila de Marvão foi modificado para Vila de Castelo em 1890 pelo Decreto-Lei Nº 02, de 22 de março do mesmo ano, mas em decorrência da Legislação Federal que proibia a duplicidade de nomes das cidades e vilas brasileiras, o município voltou à sua denominação primitiva de Marvão. Em 15 de dezembro de 1948 pelo Decreto Estadual Nº 147 foi elevado à categoria de cidade e passou a denominar-se Castelo do Piauí. Mas a instalação solene da cidade só ocorreu em 1º de janeiro de 1949. O nome Castelo tem origem na existência, no município, às margens do Rio Poti e da rodovia PI-115, de uma pedra em forma de castelo.[10]

Lista de prefeitos[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 05º19'20" sul e a uma longitude 41º33'09" oeste, estando a uma altitude de 239 metros. Possui uma área de 2.063,960 km² e sua população, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 19 715[3] habitantes.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • O Rio Poti separa o município de Castelo do Piauí do Município de São Miguel do Tapuio.
  • Existe ainda o Rio Cais, um rio não perene que deságua no Rio Poti.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Pedra do Castelo[editar | editar código-fonte]

Vista de frente da Pedra do Castelo

Localizado a cerca de 20 km a o Noroeste da cidade, a margem direita do Riacho da Palmeira, sendo que são 18 km de asfalto e 2 km de estrada vicinal, a 30 minutos de viagem. O terreno em volta do monumento é plano e arenoso, formado por vegetação de transição entre a caatinga e o cerrado, composta em sua maioria por: chapadas, faveiras, macambiras e cactos típicos da região (xique-xique e mandacaru).

Imagem das pinturas rupestres

A Pedra do Castelo guarda, além de lendas e histórias de fantasmas, pinturas rupestres que revelam a presença do homem por lá na pré-história. Em vários pontos é possível ver figuras geométricas e desenhos de animais estilizados, pintados de vermelho nas paredes.[11] Além de ser dividida por dentro em vários "salões" enormes, a Pedra tem arcos e torres, o que dá uma aparência de castelo medieval.

Cânion do rio Poti[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Cânion do rio Poti
Cânion do rio Poti

O Cânion do rio Poti, um grande cânion de rochas criado pela paisagem do rio Poti por uma fenda geológica situada na serra de Ibiapaba, entre o Piauí e o Ceará. O cânion estende-se pelos municípios de Crateús, no Ceará, Castelo, Buriti dos Montes e Juazeiro, no Piauí.[12] O aceso é feito através de duas estradas vicinais: uma pela cidade de Juazeiro do Piauí e outra pela cidade de Castelo do Piauí.

Biblioteca[editar | editar código-fonte]

Biblioteca Municipal Elza Brandão, localizada no palacete onde fora a prefeitura municipal.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b c «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 1 de novembro de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b «Castelo do Piauí - Biblioteca do IBGE» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 24 de março de 2019 
  7. a b Douglas Cordeiro, ed. (12 de setembro de 2015). «A história dos 253 anos de Castelo do Piauí». CASTELOEMFOCO. Consultado em 24 de março de 2019 
  8. «Paroquia de Nossa Senhora do Desterro comemora Jubileu de 275 anos». Portal Notícias Castelo Agora. 21 de novembro de 2017. Consultado em 24 de março de 2019 
  9. «Castelo do Piauí: Histórias de sua formação e seu povo». Campo Maior Em Foco. 31 de julho de 2015. Consultado em 24 de março de 2019 
  10. Geysa Silva, ed. (19 de outubro de 2018). «O forte potencial turístico de Castelo do Piauí». Portal O Dia. Consultado em 24 de março de 2019 
  11. «Riquezas do Piauí mostra belezas e mistérios da Pedra do Castelo». G1 PI. 3 de junho de 2016. Consultado em 24 de março de 2019 
  12. Aziz Nacib Ab'Saber (2000). Patrimônios da humanidade no Brasil. [S.l.]: Metalivros. 287 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Castelo do Piauí
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Piauí é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.