Caverna de Altamira e arte rupestre paleolítica do norte da Espanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Caverna de Altamira e arte rupestre paleolítica do Norte da Espanha *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Techo de Altamira (replica)-Museo Arqueológico Nacional.jpg
Teto de Altamira (reprodução) - Museu Arqueológico de Espanha
País Espanha
Critérios N (i) (iii)
Referência 310
Coordenadas 43° 22' 57.1" N 4° 06' 58.2" O
Histórico de inscrição
Inscrição 1985  (9ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Caverna de Altamira e arte rupestre paleolítica do norte da Espanha é a denominação sob a qual se encontram agrupadas 18 cavernas situadas em diferentes regiões do norte da Espanha que são representativas do apogeu da arte rupestre paleolítica, desenvolvido na Europa entre 35 000 e 11 000 a.C. . A principal destas cavernas é a Caverna de Altamira, situada dentro do município de Santillana del Mar, em Cantábria (Espanha). Nela conserva-se um dos ciclos pictóricos mais importantes da Pré-História. Pertence aos períodos Magdaleniano e Solutreano, dentro do Paleolítico Superior. O seu estilo artístico constitui a denominada escola franco-cantábrica, caracterizada pelo realismo das figuras representadas. A Caverna de Altamira foi declarada Patrimônio da Humanidade em 1985. Em 2008 este sítio do Patrimônio da Humanidade foi ampliado para incluir outras 17 cavernas situadas também na Cornija Cantábrica, ao norte da Espanha, e que apresentam também mostras destacadas de arte rupestre do Paleolítico. As cavernas ficam distribuídas por três comunidades autônomas diferentes Astúrias, Cantábria e País Basco.[1]

Estas 18 cavernas são parte de um conjunto maior denominado habitualmente como "Arte rupestre paleolítica do norte da Espanha", se bem que são a únicas por enquanto incluídas pela UNESCO:[2]

Código Nome Lugar Ano Coordenadas Zona
protegida
[Ha]
310-001 Caverna de Altamira Santillana del Mar 1985 43° 22′ N 04° 07′ O 16
310-002 Caverna de Candamo Candamo 2008 43° 27′ N 6° 4′ O 99,97
310-003 Caverna de Tito Bustillo Ribadesella 2008 43° 27′ N 5° 4′ O 243,38
310-004 Caverna de la Covaciella Cabrales 2008 43° 19′ N 4° 52′ O 11,336
310-005 Caverna de Llonín Peñamellera Alta 2008 43° 19′ N 4° 38′ O 17,37
310-006 Caverna de El Pindal Rivadedeva 2008 43° 23′ N 4° 31′ O 69,37
310-007 Caverna de Chufín Riclones 2008 43° 17′ N 4° 27′ O 16,65
310-008 Caverna de Hornos de la Peña Tarriba (San Felices de Buelna) 2008 43° 15′ N 4° 1′ O 25,05
310-009 Caverna de El Castillo - (Cavernas do monte Castillo) Puente Viesgo 2008 43° 17′ N 3° 57′ O 68,93
310-010 Caverna de Las Monedas - (Cavernas do monte Castillo) Puente Viesgo 2008 43° 17′ N 3° 57′ O 68,93
310-011 Caverna de La Pasiega - (Cavernas do monte Castillo) Puente Viesgo 2008 43° 17′ N 3° 57′ O 68,93
310-012 Caverna de Las Chimeneas - (Cavernas do monte Castillo) Puente Viesgo 2008 43° 17′ N 3° 57′ O 68,93
310-013 Caverna de El Pendo Camargo 2008 43° 23′ N 3° 54′ O 63,79
310-014 Caverna de La Garma Omoño e Carriazo 2008 43° 25′ N 3° 39′ O 100,07
310-015 Caverna de Covalanas Ramales de la Victoria 2008 43° 14′ N 3° 27′ O 1374,4
310-016 Caverna de Santimamiñe Cortézubi 2008 43° 20′ N 2° 38′ O 98,8
310-017 Caverna de Ekain Deba 2008 43° 14′ N 02° 16′ O 14,59
310-018 Caverna de Altxerri Aia 2008 43° 16′ N 02° 08′ O 15

Referências

  1. Ontañón Peredo, Roberto (2009). Instituto de Patrimonio Histórico Español. Ministério de Cultura. Governo da Espanha, ed. «La ampliación de una declaración: el Arte Rupestre Paleolítico de la Cornisa Cantábrica» (PDF ou HTML). Patrimonio Cultural Español (em espanhol ou inglês) (2): 179-191. Consultado em 2 de agosto de 2012 
  2. «Cave of Altamira and Paleolithic Cave Art of Northern Spain : Maps». UNESCO World Heritage Centre (em inglês). Consultado em 26 de agosto de 2012