Ciatalgia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ciatalgia
Glúteo esquerdo, com localização de artérias e nervo ciático.
Classificação e recursos externos
CID-10 M54.3-M54.4
CID-9 724.3
MedlinePlus 000686
eMedicine emerg/303
MeSH D012585
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

A ciatalgia, também conhecida como ciática, é uma dor na perna devido à irritação ou compressão do nervo ciático. Essa dor geralmente sente-se desde a parte posterior da coxa até à parte posterior da panturrilha, e pode se estender até aos quadris e aos pés. Para além da dor, pode haver entorpecimento e dificuldade de movimentação e controle da perna.

Embora a ciática seja uma forma de dor relativamente comum, o verdadeiro significado do termo é muitas vezes mal compreendido. Ciática é a série de sintomas, e não o diagnóstico para o que está irritando o nervo e causando a dor.

Causas[editar | editar código-fonte]

Foto do músculo piriforme, nervo ciático e glúteo médio.

A ciática é geralmente causada pela compressão de uma ou mais de suas raízes lombossacrais, mas pode ocorrer devido à compressão do próprio nervo ciático.

As causas mais prováveis são:

Hábitos e posturas não-saudáveis, como ficar um excessivo tempo sentado ou dormir em posição fetal, juntamente com alongamento e exercício físico insuficiente das áreas musculares e fásciais relevantes, podem ocasionar problemas vertebrais e no tecido laxo associados ao ciático.

Outras causas da ciática incluem infecções, tumores ou síndrome da cauda equina.

Hérnia de disco[editar | editar código-fonte]

Quando o centro líquido de um dos últimos discos intervertebrais lombares ou dos primeiros sacrais incha e se desloca, ele pode rasgar o anel fibroso externo e derramar o interior laxo do canal da coluna vertebral comprimindo uma raiz nervosa contra a lâmina ou pedículo de uma vértebra, causando uma neuralgia. Este líquido do "núcleo pulposo" pode provocar inflamação e inchaço de tecidos adjacentes e provocar ainda mais compressão da raiz nervosa no espaço confinado no canal espinal circundante. O dermatoma dolorido indica a raiz afetada. A dor é similar a choques rápidos e intensos ao longo do nervo.[1]

Na gravidez[editar | editar código-fonte]

Ciática também pode ocorrer durante a fase tardia da gravidez, seja como resultado do útero pressionando o nervo ciático, seja secundariamente em decorrência da tensão muscular ou compressão vertebral associados ao peso extra e mudanças de postura.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

Entre 13% e 40% das pessoas tem ciatalgia ao longo da vida, mas apenas 1,6% tem casos mais graves. Geralmente analgésicos específicos, repouso e fisioterapia são suficiente para resolver o problema. A grande maioria dos casos são causados por herniações.[2]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Nervo cervical na altura da coxa.

Uma vez que várias condições podem comprimir as raízes do nervo ciático e causar ciática, as opções de tratamento geralmente diferem. O tratamento da causa por trás da compressão é geralmente a prática mais eficiente. Quando a causa é devida ao disco intervertebral lombar prolapsado ou com hérnia, pesquisas têm mostrado que em 90% dos casos há recuperação mesmo sem tratamento. Fisioterapia, reeducação postural e repouso aceleram a recuperação.

Medicamentos[editar | editar código-fonte]

Analgésicos anti-inflamatórios não-esteroides, opioides e relaxantes musculares tem pouca eficácia em reduzir a dor [3] Quando a causa é síndrome piriforme injeções de toxina botulínica para imobilizar o local podem ajudar a reduzir a dor e funcionalidade.[4]

Em uma revisão bibliográfica internacional, Corticosteroides e o anticonvulsivante gabapentina foram os analgésicos mais eficientes descritos, mas apenas a curto prazo.[5] Injeção epidural e antidepressivos tiveram poucos resultados.

Cirurgia[editar | editar código-fonte]

Quando a causa é hérnia, a remoção de parte do disco intervertebral geralmente resulta em melhora a curto prazo, mas não é mais eficiente que outros tratamentos mais convencionais a longo prazo. [6] Para tumores e abscessos pode ser o melhor tratamento.

Terapias alternativas[editar | editar código-fonte]

Terapias alternativas foram úteis a curto prazo, mas não tiveram resultado significativo em casos crônicos, e é importante lembrar que muitos casos resolvem independente de tratamento.[7]

Algumas dicas de prevenção para a dor ciática incluem a prática de esportes, manter a postura apropriada, usar sapatos adequados, dormir em colchões confortáveis e evitar o sobrepeso. O calor pode ajudar a amenizar a dor ciática, portanto, banhos quentes ou aplicação de bolsas térmicas na região podem amenizar a dor.[8]

Referências

  1. Bhat, Sriram (2013). SRB's Manual of Surgery. p. 364. ISBN 9789350259443.
  2. http://bja.oxfordjournals.org/content/99/4/461
  3. Pinto, RZ; Maher, CG; Ferreira, ML; Ferreira, PH; Hancock, M; Oliveira, VC; McLachlan, AJ; Koes, B (2012 Feb 13). "Drugs for relief of pain in patients with sciatica: systematic review and meta-analysis.". BMJ (Clinical research ed.) 344: e497. PMC 3278391. PMID 22331277.
  4. Waseem, Z; Boulias, C; Gordon, A; Ismail, F; Sheean, G; Furlan, AD (2011 Jan 19). "Botulinum toxin injections for low-back pain and sciatica.". Cochrane database of systematic reviews (Online) (1): CD008257. doi:10.1002/14651858.CD008257.pub2. PMID 21249702.
  5. http://www.bmj.com/content/344/bmj.e497
  6. Valat, JP; Genevay, S; Marty, M; Rozenberg, S; Koes, B (2010 Apr). "Sciatica.". Best practice & research. Clinical rheumatology 24 (2): 241–52. doi:10.1016/j.berh.2009.11.005. PMID 20227645.
  7. Leininger, Brent; Bronfort, Gert; Evans, Roni; Reiter, Todd (2011). "Spinal Manipulation or Mobilization for Radiculopathy: A Systematic Review". Physical Medicine and Rehabilitation Clinics of North America 22 (1): 105–125. doi:10.1016/j.pmr.2010.11.002. PMID 21292148.
  8. Dor Ciática

Ver também[editar | editar código-fonte]