Cinquenta Anos Depois

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cinquenta Anos Depois
Autor(es) Emmanuel
Idioma Português do Brasil
País Brasil
Assunto Episódios da história do Cristianismo no século II
Editora Federação Espírita Brasileira (FEB)
Lançamento 1940
Páginas 349
Cronologia
Há Dois Mil Anos
Paulo e Estevão

Cinquenta Anos Depois é uma obra mediúnica psicografado pelo médium mineiro Chico Xavier, ditada pelo espírito Emmanuel, publicada pela Federação Espírita Brasileira em 1940. É o segundo romance mediúnico de Emmanuel, relatando sua reencarnação seguinte à de Publius Lentulus, do livro Há Dois Mil Anos.

Em Cinquenta Anos Depois, Emmanuel é o escravo judeu convertido ao cristianismo chamado Nestório, nascido em Éfeso no ano 131. De origem judaica, é escravizado por romanos que o conduzem ao país de sua anterior existência. Nos seus 45 anos presumíveis, mostra em seu porte um orgulho silencioso e inconformado. Apartado do filho, que também fora escravizado, volta a encontrá-lo durante uma pregação nas catacumbas onde tinha a responsabilidade da palavra. Cristão desde a infância, é preso e, por manter-se fiel a Jesus, é condenado à morte. Com os demais, ante o martírio, canta, de olhos postos no Céu e, no mundo espiritual, é recebido pelo seu amor de outrora, Lívia[1].

O romance, entretanto, tem como personagem principal a vida de Célia Lucius, nobre romana convertida ao cristianismo, que suporta as mais duras provas durante sua existência, tendo como pano de fundo as mudanças culturais e religiosas em Roma e seus impactos na sociedade.

Célia, expulsa de casa injustamente pelo pai, refugia-se em um monastério em Alexandria, no Egito, disfarçada como o Irmão Marinho. Ao morrer, descobrem que se tratava de uma mulher, muito abnegada e bondosa, que superou muitas injúrias, sempre com espírito cristão. Passou à história com o nome de Santa Marina, embora os detalhes de sua vida, de acordo com Emmanuel, tenham sido alterados[1][2][3].

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Francisco Candido Xavier (2001). 50 Anos Depois. episódios da história do Cristianismo no século II 29ª ed. Rio de Janeiro: Editora Federação Espírita Brasileira 
  • a b Xavier, Francisco. Cinquenta Anos Depois. [S.l.]: FEB 
  • Tavares, Flávio. Célia Lucius, Santa Marina. [S.l.]: Vinha de Luz 
  • «Cinquenta Anos Depois - Instituto Chico Xavier». Instituto Chico Xavier. 26 de janeiro de 2015