Corola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: se procura pelo automóvel, veja Toyota Corolla.
Corola de Rosa canina.

Corola (do termo latino corolla, "pequena flor") é o nome dado ao verticilo interno do perianto da flor, quase sempre vistoso. Está associada à proteção do androceu e do gineceu e à atração e seleção dos polinizadores. O conceito pode ser definido de forma mais sintética e simplista como o conjunto de folhas modificadas de uma flor (pétalas). As pétalas costumam estar dispostas livres entre sí ou fusionadas às outras. Quando fusionadas, a porção estreita basal recebe o nome de "tubo", a porção superior livre "limbo", e a abertura "fauce".[1]

Estão presente apenas em angiospermas.

Flores[editar | editar código-fonte]

Suas flores são geralmente coloridas e com diversas variações de coloração, tamanho e forma. Colorações "esverdeadas" costumam ser menos comuns. As cores são importantes na polinização pois atraem insetos que transportam o pólen do estame de uma flor, ao carpelo de outra flor.

Polinização[editar | editar código-fonte]

A polinização foi tema de inúmeros estudos por parte do naturalista inglês Charles Darwin, contribuindo de forma substancial na formulação de sua Teoria evolutiva (publicada em 1859 com o nome de A Origem das Espécies)[2].

Galeria[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 481.
  2. Analysis of theory of evolution of corolla elongation involving pollinating species - acessado em 25 de julho de 2008 (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]