EFACEC

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tipo SGPS, SA
Slogan Tecnologia que Move o Mundo
Indústria Energia, Engenharia, Mobilidade
Fundação 1948
Sede Arroteia - Leça do Balio Portugal
Locais Portugal, Espanha, Europa Central, EUA, América Latina, Brasil, Magrebe, África Austral e Índia
Pessoas-chave Ângelo Ramalho (CEO)
Empregados 2 400
Valor de mercado Aumento EUR 500 milhões
Website oficial http://www.efacec.pt/

A Efacec (pronúncia: "ê-fá-séque") designa o conjunto das empresas que hoje se constituem como a Efacec Power Solutions.[1]

Criada em 1948, a Efacec é uma empresa portuguesa que opera nos sectores da energia, da engenharia e da mobilidade.[2] Com um perfil exportador, a Efacec tem referências em mais de 90 países[3] e uma presença regular em mais de 60, sendo líder mundial no mercado de infraestruturas de carregamento rápido para veículos elétricos.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Criada em 1948, a Efacec nasce da união do grupo estrangeiro ACEC (Ateliers de Construtions Électriques de Charleroi), e de um dos maiores grupos empresariais portugueses à data, a CUF (Companhia União Fabril).[5]

A História do projeto Efacec inicia-se porém em 1905, com a inauguração da «Moderna, Sociedade de Serração Mecânica de Madeiras». Em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial, a Efacec produz os primeiros motores elétricos fabricados em Portugal.[6]

Em 1921, é fundada a Electro-Moderna, Lda., constituindo a base de arranque da Empresa Fabril de Máquinas Eléctricas. Em 1948, é fundada a sociedade Empresa Fabril de Máquinas Eléctricas, S.A.R.L., com o capital distribuído entre a Electro-Moderna, os ACEC, a CUF e outros acionistas. Este fabricante de motores, impulsionado por António Ricca Gonçalves, acaba por  inaugurar aquela que viria a ser a Efacec moderna.[7]

Em 1958, os ACEC compraram a posição do Grupo CUF, tornando-se no acionista maioritário, situação que se mantém após 1969, data da primeira entrada da Efacec em Bolsa.[8] Entre 1966 e 1973, a Efacec vê crescer 2,5 vezes a sua área fabril e 6 vezes o seu volume de encomendas.

Em 1976, a Efacec arranca com a sua atividade na área dos Sistemas de Tração e entrega o primeiro transformador trifásico de 420 kV, 315 MVA, com 450 toneladas de peso, a maior unidade trifásica construída em Portugal.

Em 1981, a Efacec regista 4 milhões de contos em vendas internas e externas. Em 1990, o número sobe para os 25 milhões e, em 1998, para os 48 milhões.[9] Em 1998, a Efacec atinge 237.753 milhões de euros, tendo o mercado externo atingido os 84.046 milhões de euros e um resultado antes de impostos de 6 milhões de euros.[10]

Em 1999, a Têxtil Manuel Gonçalves entra no capital da empresa, com uma tomada de posição de 10,682% do direito de voto.[11] A 2 de março de 2000, o Grupo José de Mello adquiriu ao IPE uma posição de 10,56% dos direitos de votos da Efacec. E é assim que a herança do Grupo CUF reaparece, 42 anos depois, na História da Efacec.[12]

Em 2003, a Efacec define três grandes áreas de atividade, como resultado da avaliação estratégica que mereceu o acordo dos seus acionistas de referência: Soluções para a Energia, Soluções para Transportes e Logística e Soluções de Engenharia e Serviços. Em setembro de 2005, os grupos Têxtil Manuel Gonçalves e José de Mello lançaram uma OPA sobre o capital da Efacec ainda disperso em bolsa.[13]

Em 2007, com o apoio dos seus dois accionistas (GJM e TMG), desenvolve-se um novo modelo organizacional com dez Unidades de Negócio: Transformadores; Aparelhagem de Média e Alta Tensão; Servicing de Energia; Engenharia; Automação; Manutenção; Ambiente; Renováveis; Transportes e Logística.

Entre 2007 e 2010, o volume de negócios da Efacec ultrapassa os mil milhões de euros, compra várias empresas em todo o mundo e arranca vários projectos de raiz, como a construção de uma nova fábrica de transformadores nos EUA[14], crescendo em todos os indicadores e oferecendo soluções tecnologicamente avançadas em todo o mundo.

No final de 2014, a Efacec Power Solutions passou a constituir um grupo de empresas que reúne todos os meios de produção, tecnologias e competências técnicas e humanas para o desenvolvimento de actividades nos domínios das soluções de Energia, Engenharia, Ambiente, Transportes e Mobilidade Eléctrica, abrangendo ainda uma vasta rede de filiais, sucursais e agentes espalhados por quatro continentes.

A 23 de outubro de 2015, o controle acionário da Efacec Power Solutions passou a pertencer à Winterfell Industries[15], passando os antigos controladores, Grupo José de Mello e Têxtil Manuel Gonçalves (TMG), a accionistas minoritários. A Efacec fecha 2015 com prejuízos de 20 milhões de euros, voltando aos lucros em 2016 com o volume de negócios a atingir os 440 milhões de euros.[16]

No início de 2016 o grupo de Matosinhos lançou o programa Efacec 2020 com o objetivo de “repensar o grupo nas suas diferentes vertentes, nomeadamente produtos e serviços, competências, mercados, clientes, organização e modelo de governo". Até 2020 a Efacec Power Solutions quer crescer em volume de negócio e estar entre as três marcas líderes no domínio da inovação e tecnologia. [17] Nesse ano, a Efacec fechou o último exercício com lucros de 4,3 milhões de euros, contra prejuízos de 20,5 milhões de euros. A faturação do grupo Efacec em 2016 fixou-se em 431,5 milhões de euros, mais 15,5 milhões do que no ano anterior, com as exportações a gerarem 76% do total.[18][19][20]

Órgãos Sociais e Equipa de Gestão[editar | editar código-fonte]

Conselho de Administração[editar | editar código-fonte]

  • Mário Filipe Moreira Leite da Silva - Presidente
  • Vanessa Ferreira Loureiro - Vogal
  • Francisco Dias Pereira de Sousa Talino - Vogal
  • Manuel António Carvalho Gonçalves - Vogal
  • Rui Alexandre Pires Diniz - Vogal
  • Miguel Maria Pereira Vilardebó Loureiro - Vogal
  • Ângelo Manuel da Cruz Ramalho - Vogal
  • Francisco José Meira da Silva Nunes - Vogal
  • João Paulo dos Santos Pinto - Vogal
  • António José Gonzáles Almela - Vogal
  • Luís Henrique Marcelino Alves Delgado - Vogal
  • Fernando José Mota Lourenço - Vogal

Comissão Executiva[editar | editar código-fonte]

  • Ângelo Manuel da Cruz Ramalho - Presidente
  • Francisco José Meira da Silva Nunes - Vogal
  • João Paulo dos Santos Pinto - Vogal
  • António José Gonzáles Almela - Vogal
  • Luís Henrique Marcelino Alves Delgado - Vogal
  • Fernando José Gomes Mota Lourenço - Vogal

Empresas do grupo[editar | editar código-fonte]

Troleicarro produzido pela EFACEC/Salvador Caetano nos anos 80, ainda em serviço na cidade de Coimbra.

A Efacec desenvolve muitas das suas soluções tecnológicas e participa em inúmeros projetos de engenharia. Nos últimos anos, verificou-se um aumento significativo das suas atividades internacionais, estando presente em quase todos os continentes.[21]

  • Portugal:
    • Efacec Power Solutions, SGPS, S.A.
    • Efacec Serviços Corporativos, S.A.
    • Efacec Marketing Internacional, S.A.
    • Efacec Energia, Máquinas e Equipamentos Eléctricos, S.A.
    • Efacec Engenharia e Sistemas, S.A.
    • Efacec Electric Mobility, S.A.
  • Espanha:
    • Efacec Equipos Eléctricos, S.L.
  • Europa Central:
    • Efacec PRAHA s.r.o.
    • Efacec Central Europe, Limited S.R.L.
    • Efacec Contracting Central Europe GmbH
  • Brasil:
    • Power Solutions Brasil Sistemas de Automação e Potência, Lta.
  • Argentina:
    • Efacec Power Solutions Argentina, S.A
  • Chile:
    • Efacec Chile, S.A
  • EUA:
    • Efacec USA, inc.
  • África Austral:
    • Efacec Angola, Lda.
    • Efacec Moçambique, Lda.
    • EFASA (PTY) LTD
  • Magrebe:
    • Efacec ALGÉRIE EURL.
    • Efacec MAROC SARLAU
  • Índia:
    • Efacec India PvT. Ltd.

Tecnologia e Inovação[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento tecnológico e a inovação são essenciais para a atividade da Efacec, estando patentes na atualização do portfólio tecnológico com produtos desenvolvidos totalmente “in house”, além dos domínios do cálculo e do projecto, e na produção e nos sistemas integrados.[22] Entre os vários projetos desenvolvidos pela empresa, destacam-se:

  • 2011: O Projeto HbioS, promovido pela WeDoTech em parceria com a Efacec e a Universidade Católica, tem por objetivo a introdução de inovações biotecnológicas para a remoção do H2S presente no biogás.[23] O TICE.MOBILIDADE, desenvolvido pela METICUBE – Sistemas de Informação, Comunicação e Multimédia, LDA. e mais 28 empresas/entidades nas quais está incluída a Efacec, pretende explorar novas soluções para o transporte urbano, mais eficientes e abrangentes.[24]
  • 2012: O EFAiCharge endereçou não só a infraestrutura de carregamento que assegura o interface com os veículos, como também a interface com a gestão inteligente da rede elétrica.[25] O SCADA BT desenvolveu soluções tecnológicas e comerciais, bem como sistemas, que contribuam para uma implementação efetiva das SmartGrids.[26] O NxVERTER foi um projeto de investigação e desenvolvimento de conversor eletrónico destinado a centrais fotovoltaicas de grande potência.[27]
  • 2013: O Ipsilon foi um projeto desenvolvido pela Efacec Engenharia e Sistemas, financiado pelo QREN, no âmbito do Programa Operacional Factores de Competitividade, que criou uma nova plataforma multi-funcional e multi-serviço em que o conceito de operação e de integração é completamente inovador.[28] O MonitorBT pretendeu detetar e localizar automaticamente as falhas na rede BT e Iluminação Pública.[29] O projeto QT1 perseguiu a aquisição de know-how para o desenvolvimento de uma nova gama de transformadores de baixo ruído que cumpra a restritiva legislação acústica.[30]
  • 2014: O projeto UEB desenvolveu um autocarro urbano com motorização 100% eléctrica.[31] O Linked:PM tem como principal objetivo captar, gerir e disseminar o conhecimento gerado durante a execução dos negócios.[32] Em 2014, a subsidiária Efacec Engenharia e Sistemas foi a terceira maior investidora em inovação e desenvolvimento, de acordo com o ranking da Ignios nos serviços.[33]
  • 2015: O projeto “EVolution” visa desenvolver soluções inovadoras de carregamento de veículos eléctricos (EVSE), entre 2015 e 2017.[34] Também nestes anos, os projetos SmarTHER CORE Transformers e SmartTransit pretendem atingir o desenvolvimento integrado e transversal de capacidades que permitam a conceção e construção a curto-prazo de transformadores termicamente mais eficientes, mais inteligentes e mais flexíveis[35]; e que a UN Transportes reforce a sua capacidade de liderança em mercados internacionais e se posicione na vanguarda das empresas portuguesas exportadoras de tecnologia e de soluções avançadas.
  • 2016: O projeto NEXTSTEP visa desenvolver um inovador Posto de Transformação – PT, entre 2016 e 2019. O DSGrid é um projecto pluridisciplinar que congrega conhecimentos das áreas de energia elétrica, automação e proteção, comunicações, sistemas de tempo real, sistemas embebidos, ciber-segurança e tecnologias de informação e software; e o EEM@Future tem como objetivo o desenvolvimento de novos produtos e direccionar eficientemente a sua capacidade de produção a normas e requisitos específicos de cada mercado onde a empresa pretende reforçar ou obter um novo posicionamento.[36] O ADMS4LV um é projeto-piloto de gestão da rede de baixa tensão, em cooperação com a EDP Distribuição e o INES TEC (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência).[37]

Destaca-se também a participação da Efacec em importantes projectos na área espacial, nomeadamente:

  • Laboratório Espacial Columbus[38]: O equipamento espacial EuTEMP, certificado pela NASA e pela Agência Espacial Europeia (ESA), foi integralmente concebido e produzido pela Efacec e integrou a missão que partiu da nave espacial ‘Atlantis’ do Cabo Canaveral, na Florida (EUA), para a Estação Espacial Internacional.
  • Instrumento para missão da ESA a Marte[39]: A componente técnica na missão ExoMars da Agência Espacial Europeia (ESA) integrou as empresas Active Space Technologies, Critical Software, Efacec e Rotacional, para várias tarefas ligadas ao desenvolvimento de hardware e software.

Sustentabilidade[editar | editar código-fonte]

A Efacec é desde 2004 membro do BCSD Portugal[40] (Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável), subsidiária portuguesa do Business Council for Sustainable Development.

A Efacec é um exemplo de sustentabilidade: utiliza 90% de tecnologia própria, desenvolve os seus produtos e sistemas, serviços e soluções e aposta fortemente na inovação, cooperando com elevado número de instituições de cariz tecnológico. A empresa tem desenvolvido os seus negócios com especial incidência naqueles que têm um impacto positivo na qualidade ambiental do planeta.[41]

A Efacec tem todas as suas Unidades de Negócio (em território nacional) certificadas pela ISO 14001[42] (certificado de qualidade, ambiente e saúde e segurança). A nível internacional, destaque para as certificações pela ISO 9001 da Efacec Contracting Central Europe, GMBH; Efacec Praha; Power Solutions Brasil; Efacec Switchgear India; Efacec Energia, Máquinas e Equipamentos Eléctricos – Sucursal España; e pela ISO 9001, pela ISO 14001, e pela OSHAS 18001 da Efacec Central Europe Limited S.R.L.[43]

Na vertente social, a Efacec participa nos programas “Porto de Futuro”[44] e “Junior Achievement”, que envolvem voluntariado e a cedência de recursos humanos.

Em abril de 2016, a empresa lançou uma nova plataforma de gestão de inovação, o “Mercado Ideias”, que permite construir soluções que respondam aos seus desafios de negócios.[45]

Reconhecimento Público[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2006, a Efacec foi reconhecida pela Associação Industrial Portuguesa (AIP), com a Medalha de Ouro, pelo contributo dado pela empresa para a economia portuguesa e para a imagem de Portugal nos mercados externos.[46]

Em 2007, a Efacec venceu o prémio Empresa Mais Familiarmente Responsável, organizado pela Deloitte e pela AESE, tendo ganho na categoria das grandes empresas (ex-aequo com a EDP).[47]

A Efacec ganhou o Premio Suministradores Iberdrola 2009 na categoria de Responsabilidade Social Corporativa.[48] e o Prémio da Academia de Engenharia em 2009 e 2010 pela “excelência da engenharia própria, nos produtos e serviços desenvolvidos que asseguram à empresa uma competitividade indiscutível a nível internacional”e o Prémio da Academia de Engenharia em 2009 e 2010 pela “excelência da engenharia própria, nos produtos e serviços desenvolvidos que asseguram à empresa uma competitividade indiscutível a nível internacional”.[49]

Em 2010, a Efacec recebeu uma Menção Honrosa na vertente transversal Inovação, por ocasião da participação no Prémio Cidadania das Empresas e das Organizações.[50] Na categoria Produto, nos European Business Awards for the Environment, o Prémio Inovação para a Sustentabilidade em Portugal foi atribuído à Efacec, com o projeto “SmartGate”.[51] Ainda em 2010, a Efacec recebe o galardão de Empresa Mais Eficiente atribuído pela Direção Geral de Energia e Geologia e pela Agência para a Energia – ADENE.[52]

Em 2011, o Efapower EV QC50 da Efacec Engenharia e Sistemas - um carregador rápido de veículos elétricos que permite minimizar os problemas associados à baixa autonomia deste tipo de veículos - venceu o Prémio Produto Inovação COTEC/UNICER.[53] No mesmo ano, a Efacec ganhou o Prémio Equipas de Melhoria da Associação Portuguesa para a Qualidade e o Prémio Segurança - Manutenção de Subestações da REN.[54]

A Efacec ganhou o Prémio de Desenvolvimento Sustentável em 2013 - uma iniciativa da Heidrick & Struggles e do Diário Económico que visa reconhecer as entidades de todos os ramos de actividade pela excelência do trabalho desenvolvido nas dimensões ambiental, social e de gestão.[55]

Em 2016, a Efacec foi eleita para o Top 20 das empresas mais atractivas para trabalhar em Portugal pela Randstad.[56]

Referências

  1. Lusa, RTP, Rádio e Televisão de Portugal -. «Efacec passa a ser presidida Ângelo Ramalho, RTP Notícias». www.rtp.pt. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  2. «EFACEC: empregos e estágios • Emprego Pelo Mundo». Emprego Pelo Mundo. 25 de novembro de 2015 
  3. ECO. «Efacec: "A banca é uma limitação ao crescimento das empresas"». ECO 
  4. «Efacec carrega Porsche eléctrico com potência recorde» 
  5. «Jornal de Negócios». Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  6. «Quem Somos | Efacec». Efacec 
  7. «EFACEC | Wikiwand». Wikiwand (em inglês) 
  8. S.A., RTP, Rádio e Televisão de Portugal - © 2006 LUSA - Agência de Notícias de Portugal,. «Efacec pronta a entrar em Bolsa assim que accionistas decidirem - Economia - RTP Notícias». www.rtp.pt. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  9. «Grupo José de Mello». www.josedemello.pt. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  10. «Efacec com encomendas de 211 milhões de euros» 
  11. http://web3.cmvm.pt/sdi/emitentes/docs/fsd7862.pdf
  12. «IPE vende participação na Efacec ao Grupo José de Mello» 
  13. «José de Mello e TMG lançam OPA sobre Efacec a 3,15 euros» 
  14. «Como a Efacec está a conquistar os Estados Unidos». Jornal Expresso 
  15. Villalobos, Luís. «Isabel dos Santos formaliza compra da Efacec Power Solutions». PÚBLICO. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  16. ECO. «Efacec: "A banca é uma limitação ao crescimento das empresas"». ECO 
  17. Group, Global Media (9 de maio de 2017). «Economia - Efacec fecha 2016 com lucro de 4,3 ME, primeiros resultados positivos desde 2012». DN 
  18. Group, Global Media (9 de maio de 2017). «Economia - Efacec fecha 2016 com lucro de 4,3 ME, primeiros resultados positivos desde 2012». DN 
  19. ECO (9 de maio de 2017). «Efacec volta aos lucros, três anos depois, com 4,3 milhões». ECO. Consultado em 26 de maio de 2017 
  20. «Infografia Resultados Efacec - Plano de Transformação». Efacec 
  21. «Contactos e Delegações | Efacec». Efacec 
  22. «Tecnologia e Inovação | Efacec». Efacec 
  23. «HBioS - Dessulfurização biológica de Biogás». Revista Indústria e Ambiente. 05 dezembro 2016. Consultado em 27 janeiro 2017  Verifique data em: |data= (ajuda)
  24. «TICE MOBILIDADE». tice.mobilidade.ipn.pt. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  25. «Tecnologia e Inovação | Efacec». Efacec 
  26. «Desenvolvimento de um sistema de comando e controlo adequado às smart grids em baixa tensão». Laboratório INESCTEC. 2013. Consultado em 27 janeiro 2017 
  27. «Tecnologia e Inovação | Efacec». Efacec 
  28. http://www.efacec.pt/wp-content/uploads/2015/12/Relat%C3%B3rio-e-Contas-2014.pdf
  29. «..:: Monitor BT ::..». www.monitor-bt.com. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  30. «ANI - Agência Nacional de Inovação». projectos.adi.pt. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  31. «Notícias». www.poci-compete2020.pt. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  32. «Linked:PM – Um projeto de Partilha do Conhecimento | Efacec». Efacec. 11 de agosto de 2015 
  33. «Inovação. Efacec. Duplo ataque em I&D». Dinheiro Vivo 
  34. «Tecnologia e Inovação | Efacec». Efacec 
  35. «SmarTHER em Workshop na Efacec | Efacec». Efacec. 16 de setembro de 2016 
  36. «Tecnologia e Inovação | Efacec». Efacec 
  37. SOL, Jornal. «Efacec assina acordo com EDP para gestão de rede de baixa tensão». Semanario SOL 
  38. S.A., RTP, Rádio e Televisão de Portugal - © 2007 LUSA - Agência de Notícias de Portugal,. «Laboratório espacial europeu leva tecnologia portuguesa produzida pela Efacec» 
  39. INEGI. «Lançado primeiro satélite europeu com isolamento térmico totalmente feito em Portugal». www.inegi.up.pt. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  40. «BCSD Portugal :: Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável». www.bcsdportugal.org. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  41. «Efacec, INOV-Inesc Inovação e EDP Distribuição desenvolvem projecto de investigação em Smart Grids | Efacec». Efacec. 9 de julho de 2014 
  42. mariana. «A Efacec é a primeira empresa portuguesa a obter a certificação IRIS». www.apcergroup.com. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  43. «Sustentabilidade | Efacec». Efacec 
  44. «Renováveis: patente portuguesa vendida por cinco milhões de euros». portodefuturo.blogs.sapo.pt. Consultado em 27 de janeiro de 2017 
  45. «Pessoas | Efacec». Efacec 
  46. https://www.yumpu.com/pt/document/view/14501282/medalhas-de-ouro-concedidas-pela-aip
  47. «Empresas Mais Familiarmente Responsáveis | Deloitte Portugal | Iniciativas». Deloitte Portugal. Consultado em 20 de março de 2017 
  48. http://www.josedemello.pt/gjm_tdf_01.asp?lang=pt&artigo=583
  49. http://www.construir.pt/2010/02/08/premio-academia-de-engenharia-distingue-efacec/
  50. «AESE Business School - AESE - Prémios - Cidadania - 2ª Edição do Prémio de Cidadania». www.aese.pt (em pt_PT). Consultado em 20 de março de 2017 
  51. «Ambiente.pt - Vencedores dos European Business Awards for the Environment 2009» (PDF) 
  52. «Fibra - Sonaecom distinguida com prémio "Empresa mais Eficiente"» 
  53. «COTEC - Vencedores e menções honrosas do Prémio Produto Inovação» (PDF) 
  54. «Sustentabilidade | Efacec». Efacec 
  55. «"Prémio Desenvolvimento Sustentável 2013" para Cascais | Município é a única entidade pública distinguida pela Heidrick & Struggles e Diário Económico | Câmara Municipal de Cascais». www.cm-cascais.pt. Consultado em 20 de março de 2017 
  56. «vencedores | Randstad Portugal». www.randstad.pt (em inglês). Consultado em 20 de março de 2017