ET & Rodolfo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ET & Rodolfo
Informação geral
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s) Pop e Funk
Período em atividade 1997 - 2001
Gravadora(s) Virgin
Integrantes Rodolfo Carlos de Almeida
Claudio Chirinian
Rodolfo
Nome completo Rodolfo Carlos de Almeida
Nascimento 30 de setembro de 1971 (46 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Comediante, radialista e repórter
ET
Nome completo Cláudio Chirinian
Nascimento 14 de agosto de 1963
São Paulo,  São Paulo
Morte 2 de fevereiro de 2010 (46 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Comediante, radialista e repórter

Rodolfo & ET foi uma dupla formada pelos humoristas Rodolfo Carlos de Almeida (São Paulo, 30 de setembro de 1971) e Cláudio Chirinian (São Paulo, 14 de agosto de 1963 — São Paulo, 2 de fevereiro de 2010).

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Rodolfo Carlos de Almeida começou a carreira como repórter na Rádio Cruzeiro, no município paulista de Cruzeiro[1]. Posteriormente, tornou-se um assistente do programa 190 Urgente apresentado por Ratinho na CNT/Gazeta[2].

Juntamente com o próprio apresentador, Rodolfo transferiu-se para a Rede Record em 1997, onde tornou-se conhecido nacionalmente ao compor a dupla humorística ET & Rodolfo[3] no programa Ratinho Livre.

O sucesso da dupla fez Rodolfo, que tinha como marca, na dupla, usar um grande microfone,[4] e seu parceiro serem contratados pelo SBT em fevereiro de 1998 para trabalharem no programa Domingo Legal[5]. No programa, a dupla possuía um quadro fixo em que acordavam artistas[6], incluindo várias tentativas frustradas de acordar o próprio dono do SBT, o empresário Sílvio Santos. O quadro chegava a dá picos de 30 pontos no Ibope para o programa até então comandado por Gugu Liberato, deixando-o, algumas vezes, em primeiro lugar.[4] Com ET, Rodolfo gravou um CD com músicas humorísticas produzido por Rick Bonadio,[7] que vendeu mais de 270 mil cópias[4], sendo premiado com Disco de Ouro pela ABPD[7]. Com o fim da dupla em janeiro de 2001, Rodolfo manteve-se como repórter do Domingo Legal até julho de 2009, quando cancelou seu contrato de pessoa jurídica, após receber a notícia que teria o salário reduzido.[4]

Em 2014, Rodolfo forneceu uma entrevista para o programa Domingo Show relatando que gostaria de ter sua dignidade de volta, após fazer o personagem Rodolfo.[carece de fontes?]

Logo após romper seu contrato, processou o SBT por encargos trabalhistas, pois não teve a sua carteira de trabalho assinada e não recebeu alguns direitos, como manda a lei, nos 11 anos que trabalhou para a empresa. No final de 2016, venceu o processo. Entretanto, devido a uma diferença, do quanto deveria ser pago, de R$ 1 milhão entre o cálculo do SBT e de um perito, que foi contestado pela empresa, não recebeu nada. Em setembro de 2017, quando estava endividado, com o pai com câncer e sem plano de saúde e com avô doente do coração, aceitou a quantia do SBT, que pretendia adiar o máximo possível o fim do processo, segundo Rodolfo.[4]

Passou, em 2010, três meses no programa Sonia Abrão (RedeTV!). Em 2015, voltou a fazer seu quadro de acordar famosos em um programa de Gugu Liberato, agora na Record, porém durou pouco tempo. Estes foram seus únicos trabalhos na televisão desde a saída do SBT.[4]

Atualmente (2017), vive de vender macadâmia orgânica, mas pretende virar fazendeiro e vender produtos orgânicos com a indenização do SBT.[4]

Falecimento de ET[editar | editar código-fonte]

Cláudio Chirinian faleceu no hospital Beneficência Portuguesa da cidade de São Paulo na madrugada de 2 de fevereiro de 2010, vitimado por uma parada cardíaca em decorrência de um choque séptico, broncopneumonia além de insuficiência renal. Cláudio estava internado desde 28 de janeiro[8].

O comediante estava com 46 anos, e sofria de problemas causados principalmente pelo tabaco.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Notas e referências