Edite Swannesha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edite Swannesha
Edite descobrindo o corpo de Harold Godwinson
Cônjuge Haroldo Godwinson
Descendência Goduíno
Edmundo
Magno
Gunhilda
Gita
Nascimento c. 1025
Morte c. 1086 (61 anos)
Religião Cristianismo calcedoniano

Edite Swannesha (em inglês antigo: Ealdgȳð Swann hnesce, Edite, [o] Cisne Gentil; c. 1025 – c. 1086) também conhecida como Edite Swanneschals ou Edite a Feira,[nota 1] foi a primeira esposa ou amante do rei Harold Godwinson.[1] Também é comumente conhecida como Edite Swanneck (ou Pescoço de Cisne), mas isso vem de uma má interpretação histórica que seu apelido representado em inglês antigo Swann hnecca, "pescoço de cisne".[2] É muitas vezes confundida com Edite, filha do Conde Elfgar de Mércia, e rainha consorte de Haroldo.

Consorte do Rei Haroldo[editar | editar código-fonte]

Ela pode ser idêntica a Edgiva, a Feira, que foi uma das magnatas mais ricas da Inglaterra, na véspera da conquista normanda. Seus filhos incluíam Gunhilda, que se tornou a amante de Alano, o Vermelho, e Gytha Thorkelsdóttir, que foi levado por sua avó para a Dinamarca em 1068. Gita foi tratada como "princesa" e se casou com o grão-duque de Kiev, Vladimir II Monômaco [3]

Embora o rei Haroldo II tenha dito que se casou legalmente com Edite de Mércia, a viúva do governante galês Gruffydd ap Llywelyn quem ele havia derrotado em batalha, o casamento na primavera de 1066 é visto pela maioria dos estudiosos modernos como uma conveniência política.[4] Mércia e o País de Gales foram aliados contra a Inglaterra, e o casamento deu a reivindicação inglesa em duas regiões muito problemáticas, e também deu a Haroldo Godwinesson um casamento considerado "legítimo" pelo clero, ao contrário de seu antigo concubinato com Edite, a Feira.

Edite, a Feira foi lembrada na história e folclore principalmente por ser ela quem identificou o corpo de Haroldo após a batalha de Hastings.[5] O corpo foi horrivelmente mutilado após a batalha pelo exército normando de Guilherme, o Conquistador, e, apesar dos apelos pela mãe do rei inglês, Gytha Thorkelsdóttir, ao duque de Normandia para que ele entregasse o corpo de seu filho para o enterro, o exército Normando recusou, embora a mãe de Haroldo tenha oferecido o peso de seu filho em ouro. Foi então que Edite atravessou a carnificina da batalha para que pudesse identificar o corpo de seu marido por marcas no peito conhecidas apenas por ela. Foi por causa de sua identificação do corpo de Haroldo que o rei teve um enterro cristão pelos monges na Abadia de Waltham.[6] Esta lenda é contada no poema "O Campo de Batalha de Hastings" (1855) de Heinrich Heine, que apresenta Edite, a Feira (como Edite, Pescoço de Cisne) como o personagem principal e afirma que as 'marcas conhecidas apenas por ela' eram mordidas de amor.

Ficção histórica[editar | editar código-fonte]

A relação entre Haroldo Godwinson e Edite Swanneschals é objeto de vários romances, incluindo:

Ealdgyth foi retratada por Janet Suzman no programa de televisão de duas partes Conquest (1966) da BBC, parte da série Theatre 625.

O poeta alemão Heinrich Heine escreveu Schlachtfeld bei Hastings (publicado em 1851, em Romanzero).[7] Neste poema, Edite e dois monges (Asgod e Ailrik) procuram o corpo do rei Haroldo no campo de batalha.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Edite Swannesha

Notas

  1. Seu primeiro nome também é escrito Ealdgyth, Aldgyth, Edeva ou Eddeva, e às vezes aparece como Ēadgȳð e Ēadgifu (Compare Godgifu que foi modificado para Godiva nos textos em latim).

Referências

  1. Williams, Ann (2004). «Eadgifu [Eddeua] the Fair [the Rich] (fl. 1066), magnate». Oxford Dictionary of National Biography. Oxford: Oxford University Press. doi:10.1093/ref:odnb/52349. Consultado em 8 de fevereiro de 2015 
  2. Ardagh, Philip (2011). Philip Ardagh's Book of Kings, Queens, Emperors and Rotten Wart-Nosed Commoners. Londres: Pan Macmillan. ISBN 1447212010 
  3. Poole, Russell Gilbert (1998). Old English Wisdom Poetry. Suffolk, RU: D.S.Brewer. p. 238. ISBN 978-0859915304 
  4. Jones, Kaye (2010). 1066: History in an Hour. [S.l.]: History In An Hour. p. 32 
  5. Jones, Kaye (2010). 1066: History in an Hour. [S.l.]: History In An Hour. p. 33 
  6. Mason, Emma (2004). The House of Godwine: The History of a Dynasty. Edimburgo, RU: A&C Black. p. 178 
  7. «Schlachtfeld bei Hastings» (em alemão). Projekt Gutenberg-DE. Consultado em 8 de fevereiro de 2015 

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • A History of Britain: At the Edge of the World, 3500 BC - 1603 AD por Simon Schama, BBC/Miramax, 2000 ISBN 0-7868-6675-6
  • The German Classics of the Nineteenth and Twentieth Centuries, Volume 06: Obras-primas da literatura alemã traduzidas para o inglês em vinte volumes por Kuno Francke www.gutenberg.org/etext/12473
  • Great Tales from English History: The Truth About King Arthur, Lady Godiva, Richard the Lionheart, and More by Robert Lacey, 2004 ISBN 0-316-10910-X
  • House of Godwine: The History of Dynasty por Emma Mason, 2004 ISBN 1-85285-389-1
  • Ancestral Roots of Certain American Colonists Who Came to America Before 1700 por Frederick Lewis Weis, Lines: 176-2, 176A-4, 177-1
  • 'Who Was Eddeva?' por J.R. Boyle, F.S.A.; Transações da East Riding Antiquarian Society, Volume 4 (1896); páginas 11-22