Edson Moreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edson Moreira
Delegado Edson Moreira em 2010
Deputado Federal por Minas Gerais Minas Gerais
Período 1º de fevereiro de 2015
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 16 de abril de 1959 (58 anos)
São Paulo, SP
Partido PR
Profissão Delegado

Edson Moreira da Silva, mais conhecido como Delegado Edson Moreira (São Paulo, 16 de abril de 1959) é um delegado e político brasileiro filiado ao Partido da República (PR). Ganhou notoriedade por trabalhar no Caso Eliza Samudio e elegeu-se vereador de Belo Horizonte em 2012, sendo o terceiro mais bem votado naquelas eleições.[1] Em 2014, foi eleito deputado federal (2015-2019), por Minas Gerais, com 49.391 votos.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Edson Moreira da Silva nasceu no dia 16 de abril de 1959 em São Paulo. Seu pai havia migrado do Nordeste com destino à capital paulista para atuar na Força Nacional. Na adolescência, Edson trabalhou numa gráfica, e aos 21 anos ingressou na Polícia Militar do Estado de São Paulo, mesmo assim prosseguiu com os estudos a fim de trabalhar na Polícia Civil. Graduou-se em direito na Faculdade de Direito de Guarulhos em 1988, e dois anos mais tarde foi aprovado no concurso da Polícia Civil do estado de Minas Gerais, onde fixou residência.

Carreira policial[editar | editar código-fonte]

Como delegado de polícia, desde 1990 prestou serviços na PCMG[3] na capital mineira e em outras cidades como Uberaba [4][5], envolvido em investigações de casos de grande repercussão nacional[6] e internacional[1], como: Caso José Cleves (2001); Emílio Beletti (1999)[7];Caso Viviane Brandão ([2002]])[2]; Maníaco de Contagem (2009)[8]; Caso do Sion[3] ou Bando da Degola (2010)[9][10]; Caso Bruno (2010) [4] [5][11], Prisão de Bruno Rodrigues de Souza, o Quén-Quén [6](2011)[12], Érica Passarelli (2012)[13], dentre outros.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Em 2012, ingressou na vida política candidatando-se ao cargo de Vereador na cidade de Belo Horizonte, pelo partido PTN[7], sendo eleito em terceiro lugar geral (084% de votos) [8], [9],com a plataforma política Segurança Pública [10], vez que é especializado pela UFMG desde 2000 em Estudos de Criminalidade e Segurança Pública. No primeiro semestre de mandato, o Vereador Delegado Edson Moreira apresentou os seguintes projetos de lei em benefício do município de Belo Horizonte:

  • Criação do Departamento de Operação do Sistema Viário – DSV, um órgão municipal específico que deverá promover o desenvolvimento da circulação segura e eficaz, corrigindo falhas na administração pública.[[11]][[12]]
  • Criação do Serviço de Verificação de Óbito – SVO em BH, com a finalidade de investigar as causas de mortes naturais, para contribuir com a Polícia Civil - responsável pelo Instituto Médico Legal (IML), e agilizar o atendimento aos familiares de vítimas de falecimento.IML deverá ficar responsável somente pela investigação de mortes violentas e/ou acidentais.[[13]]
  • Tornar obrigatória, por parte das empresas de transporte intermunicipais e interestaduais, a identificação do comprador de passagens, por meio de documentos oficiais e comprovante de endereço, a fim de reduzir e prevenir assaltos a ônibus.
  • Instalação e conservação de banheiros públicos obrigatória onde se concentre grande número de pessoas.
  • Criação da Área Escolar de Segurança, para proporcionar tranquilidade aos alunos, pais e professores da cidade. O projeto prevê que, em um círculo de 100 metros ao redor das escolas, seja assegurada a fiscalização dos comércios, policiamento, placas, iluminação, limpeza de terrenos e outras providências que garantam a segurança e incentivem a cultura da não violência. Obriga o Poder Executivo a sinalizar, por meio de placas, sempre que identificado um local com altos índices de acidentes e atropelamentos.
  • Criação do Programa de Informações sobre Vítimas de Violência no município, para identificar áreas de risco e causas mais frequentes dos crimes, a partir de dados coletados em hospitais da rede pública e privada, em outras unidades de atendimento de urgência e emergência, e demais serviços públicos que possam atender pacientes.

Deputado federal[editar | editar código-fonte]

Foi eleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[14] Posteriormente, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[14] Em abril de 2017 votou a favor da Reforma Trabalhista.[14] [15] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[14][16]

Experiências profissionais[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. «Delegado do caso Eliza Samudio é eleito vereador em Belo Horizonte». G1.com. 10 de outubro de 2012 
  2. «Composição dos mineiros na Câmara dos Deputados.» 
  3. «Acadepol - Academia de Polícia Civil do Estado de Minas Gerais». www.acadepol.mg.gov.br. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  4. «Prefeitura Municipal de Uberaba». www.uberaba.mg.gov.br. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  5. «Equipe do delegado Edson Moreira retoma apuração do caso Stacciarini». Jm Online. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  6. «Polícia investiga morte de promotora em mansão de Belo Horizonte». noticias.r7.com. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  7. «TJMG condena Ernane Abritta por morte de Beletti - Notícias UJ». uj.novaprolink.com.br. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  8. «Maníaco de Contagem é condenado a mais 36 anos de prisão». Consultado em 13 de setembro de 2016 
  9. «Uai - Esporte, Minas, política, tecnologia, fotos, internacional, cultura». Consultado em 13 de setembro de 2016 
  10. «Acusado de degolar duas pessoas em BH vai a júri popular». 9 de setembro de 2011. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  11. «Polícia diz que inquérito do caso Eliza foi concluído e indicia Bruno». Consultado em 13 de setembro de 2016 
  12. «Polícia confirma prisão de suspeito de tráfico de drogas em SP». 5 de outubro de 2011. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  13. «Mulher suspeita de matar o pai por causa de seguro é presa, diz delegado». 29 de março de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2016 
  14. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  15. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  16. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  17. «Prefacio do Livro» 
  18. «Vermelho Escarlate»