Eleanor Marx

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eleonora Marx

Eleanor Marx (Londres, 16 de janeiro, 1855 — Londres, 31 de março, 1898) foi uma activista política e autora marxista, filha de Karl Marx.

Nasceu na Inglaterra, foi a menor dos filhos de Karl Marx. Foi educada em sua casa por seu pai; com o passar do tempo se converteu em sua secretaria, passando logo a ser professora em um colégio de Brighton. Teve uma relação amorosa com Hippolyte Lissagaray, autor da História da Comuna de 1871; sem ajuda, a relação não floresceu devido ao rechaço de seu pai.

Em 1884, uniu-se à Federação Social Democrata e foi eleita para entrar em sua executiva, empregando parte de seu tempo em dar conferências sobre socialismo. Esse mesmo ano chegaria a ser um dos fundadores da Liga Socialista (formação rival da Federação) como seu companheiro de então, Edward Aveling.

No fim da década de 1880 e na década de 1890, Marx converteu-se em ativista sindical, apoiando greves como a de Bryant & May e a do porto de Londres. Ajudou a organizar a Gasworkers' Union e escreveu numerosos livros e artigos.

Traduziu diversas obras literárias, como Madame Bovary, assim como A dama do mar e Um Inimigo do Povo, de Henrik Ibsen.

Em 1898, descobriu que Aveling havia casado secretamente com uma jovem, atriz. Propôs a ele um suicídio pactado, mas Aveling votou atrás. Em troca, proporcionou-lhe o ácido prússico que usou para suicidar-se, e abandonou a casa. Embora tenha sido publicamente reprovada sua atitude, não seria acusada de nenhum delito.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]