Eleições gerais no Reino Unido em 1992

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eleições gerais no Reino Unido em 1992
 

1987 ← Reino Unido → 1997


9 de abril de 1992
John Major 1996.jpg Neil Kinnock (1989).jpg ASHDOWN Paddy.jpg
Candidato John Major Neil Kinnock Paddy Ashdown
Partido Conservador Trabalhista Liberal Democrata
Natural de Huntingdon Islwyn Yeovil
Assentos no parlamento 336
Baixa 40
271
Aumento 42
20
Baixa 2
Votos 14 093 007 11 560 484 5 999 606
Porcentagem 41,9%
Baixa 0,3%
34,4%
Aumento 3,6%
17,8%
Baixa 4,8%
UK General Election, 1992.svg
Mapa dos resultados por círculo eleitoral.
Azul - Conservadores
Vermelho - Trabalhistas
Laranja - Liberal Democratas
Amarelo - Nacionalistas Escoceses

Primeiro-ministro do Reino Unido

Eleito
John Major
Conservador

As eleições gerais no Reino Unido em 1992 foram realizadas a 9 de abril para eleger os 651 assentos para a Câmara dos Comuns do Reino Unido.

O Partido Conservador sofria um período de enorme instabilidade interna, que culminou na demissão de Margaret Thatcher, primeira-ministra desde 1979, em 1990, com muitos membros conservadores a acusarem-na de pôr em risco o governo conservador[1]. Com John Major, os conservadores continuaram num clima de confronto interno, bem como, sofrendo com uma forte recessão económica no início da década e, muitos pensavam que o domínio conservador estava a chegar ao fim[2]. Apesar destas previsões, os conservadores contrariam todas as expectativas voltaram a vencer as eleições, pela quarta vez seguida, bem como mantendo a maioria absoluta na Câmara dos Comuns[3].

O Partido Trabalhista, liderado por Neil Kinnock, apresentou-se com um programa cada vez mais moderado e centrista, aceitando algumas das reformas do Thatcherismo bem como defendendo a integração do Reino Unido na União Europeia[4]. Os trabalhistas partiram para estas eleições com uma enorme confiança que iriam voltar ao governo, e, apesar das sondagens apontaram para tal acontecer, o partido obteve ganhos modestos, ficando longe de ameaçar o domínio conservador, com muitos a questionarem se os trabalhistas iriam voltar ao poder, no futuro próximo[5].

Os Liberal Democratas, partido fruto da fusão do Partido Liberal com o Partido Social Democrata, ficou-se pelos 18% dos votos e 20 deputados, distante dos resultados obtidos pela aliança liberal - social democrata[6].

Após as eleições, John Major manteve-se como primeiro-ministro britânico até 1997[7].

Resultados Oficiais[editar | editar código-fonte]

Partido Votos % +/- Deputados +/-
Partido Conservador 14 093 007
41,9 / 100,0
Baixa0,3
336 / 651
Baixa40
Partido Trabalhista 11 560 484
34,4 / 100,0
Aumento3,6
271 / 651
Aumento42
Liberal Democratas 5 999 606
17,8 / 100,0
Baixa4,8
20 / 651
Baixa2
Partido Nacional Escocês 629 564
1,9 / 100,0
Aumento0,6
3 / 651
Estável
Partido Unionista do Ulster 271 049
0,8 / 100,0
Estável
9 / 651
Estável
Partido Social Democrata e Trabalhista 184 445
0,5 / 100,0
Estável
4 / 651
Aumento1
Plaid Cymru 156 796
0,5 / 100,0
Aumento0,1
4 / 651
Aumento1
Partido Unionista Democrático 103 039
0,3 / 100,0
Estável
3 / 651
Estável
Partido Popular Unionista do Ulster 19 305
0,1 / 100,0
Estável
1 / 651
Estável
Outros 596 779
1,8 / 100,0
0 / 651
Total 33 614 074
100,0 / 100,0
651 / 651
Aumento1
Eleitorado/Participação 43 261 357
77,7 / 100,0
Aumento2,4

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre o Reino Unido é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.