Eleições gerais no Reino Unido em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eleições gerais no Reino Unido em 2010
 

2005 ← Reino Unido → 2015


6 de maio de 2010
David Cameron St Stephen's Club 2 cropped.jpg Gordon Brown official.jpg Nick Clegg.jpg
Candidato David Cameron Gordon Brown Nick Clegg
Partido Conservador Trabalhista Liberal Democrata
Natural de Witney Kirkcaldy & Cowdenbeath Sheffield Hallam
Assentos no parlamento 306
Aumento 108
258
Baixa 97
57
Baixa 5
Votos 10 703 754 8 606 527 6 836 825
Porcentagem 36,1%
Aumento 3,70%
29%
Baixa 6,19%
23%
Aumento 0,98%
2010UKElectionMap.svg
Mapa dos resultados por círculo eleitoral.
Azul - Conservadores
Vermelho - Trabalhistas
Laranja - Liberal Democratas
Amarelo - Nacionalistas Escoceses

Primeiro-ministro do Reino Unido

As eleições gerais britânicas em 2010 foram realizadas no dia 6 de maio para eleger um Membro do Parlamento para representar cada um dos 650 círculos eleitorais na Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento do Reino Unido.

O Partido Conservador, liderado por David Cameron desde 2006, modernizou-se, tornando-se um partido mais liberal em questões sociais, como disso é exemplo o apoio à legalização do casamento de pessoas do mesmo-sexo[1]. Além de mais, os conservadores seguiram uma linha mais moderada em questões económicas[2], com muitos a sugerirem que Cameron pretendia seguir o modelo seguido por Tony Blair, em seguir uma linha mais centrista em questões económicas e sociais[3]. Os conservadores, após 13 anos na oposição, voltaram a vencer umas eleições, conquistando 36,1% dos votos e 306 assentos, mais de 100 assentos em relação a 2005. Apesar deste resultado, os conservadores ficaram longe da maioria absoluta, ou seja, seria a primeira vez desde 1974, que a Câmara dos Comuns não tinha nenhum partido com a maioria dos assentos[4].

O Partido Trabalhista, liderado por Gordon Brown que, em 2007, substituiu Tony Blair, primeiro-ministro desde 1997, chegou às eleições, ensombrado por diversos maus resultados eleitorais em eleições regionais e locais, bem como, muitos membros duvidando da liderança de Brown, dúvidas causadas pela sua incapacidade em reagir à crise financeira de 2008[5]. Os resultados finais para os trabalhistas foram maus, perdendo 97 assentos em relação a 2005, ficando-se pelos 29% dos votos e 258 assentos[6].

Os Liberal Democratas, liderados por Nick Clegg, partiram para estas eleições confiantes que iriam obter o seu melhor resultado de sempre, algo reforçado pelas sondagens, que, inclusivamente, chegaram a indicar que podiam ser o partido mais votado[7]. Os resultados finais foram, porém, uma grande desilusão para os liberais que, apesar de terem obtido 23% dos votos, perderam 5 assentos, ficando-se pelos 57 assentos, bastante longe das previsões iniciais[8].

Após dias de negociação, os conservadores e os liberais chegaram a acordo para formar um governo de coligação, o primeiro governo de coligação desde 1945, com David Cameron como primeiro-ministro e Nick Clegg como vice primeiro-ministro[9].

Resultados Oficiais[editar | editar código-fonte]

Partido Votos % +/- Deputados +/-
Partido Conservador 10 703 754 36,1 Aumento3,7
306 / 650
Aumento108
Partido Trabalhista 8 609 527 29,0 Baixa6,2
258 / 650
Baixa97
Liberal Democratas 6 836 825 23,0 Aumento1,0
57 / 650
Baixa5
Partido de Independência do Reino Unido 919 546 3,1 Aumento0,9
0 / 650
Estável
Partido Nacional Britânico 564 331 1,9 Aumento1,2
0 / 650
Estável
Partido Nacional Escocês 491 386 1,7 Aumento0,2
6 / 650
Estável
Partido Verde 265 247 0,9 Baixa0,1
1 / 650
Aumento1
Sinn Féin 171 942 0,6 Estável
5 / 650
Estável
Partido Unionista Democrático 168 216 0,6 Baixa0,3
8 / 650
Baixa1
Plaid Cymru 165 394 0,6 Estável
3 / 650
Estável
Partido Social Democrata e Trabalhista 110 970 0,4 Baixa0,1
3 / 650
Estável
Independente 56 334 0,2 Baixa0,3
1 / 650
Estável
Partido Aliança 42 762 0,1 Estável
1 / 650
Aumento1
Speaker 22 860 0,1 -
1 / 650
-
Outros 558 510 1,7
0 / 650
Total 29 687 604 100
650 / 650
Aumento4
Eleitorado/Participação 45 603 078 65,1 Aumento3,7

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Gay Marriage Becomes Legal In The UK Because Conservative David Cameron Had The Guts To Stand Up To His Own Party». Business Insider (em inglês) 
  2. «David Cameron's speech: Modern Conservatism». The Guardian (em inglês). 30 de janeiro de 2006. ISSN 0261-3077 
  3. «Heirs to Blair's Third Way? David Cameron's Triangulating Conservatism». ResearchGate (em inglês). Consultado em 2 de julho de 2017 
  4. Baston, Lewis (7 de maio de 2010). «Hung parliament: what happens now?». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  5. «BBC News - Brown quits: The political career of Gordon Brown». news.bbc.co.uk (em inglês). Consultado em 2 de julho de 2017 
  6. «BBC News - Brown quits: The political career of Gordon Brown». news.bbc.co.uk (em inglês). Consultado em 2 de julho de 2017 
  7. «General Election 2010: Lib Dems take lead in new poll». Telegraph.co.uk (em inglês) 
  8. Stratton, Allegra (7 de maio de 2010). «UK election results: Liberal Democrats acknowledge failure for Cleggmania». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  9. «BBC News - David Cameron and Nick Clegg pledge 'united' coalition». news.bbc.co.uk (em inglês). Consultado em 2 de julho de 2017