Liberal Democratas (Reino Unido)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Liberal Democratas
Liberal Democrats
Líder Jo Swinson
Fundação 1988
Sede 8–10 Great George Street, Londres,
 Reino Unido
Ideologia Liberalismo social
Social-democracia
Liberalismo económico
Pró-europeísmo
Espectro político Centro (historicamente)[1][2][3]
a Centro-esquerda (atualmente)[4][5][6]
Fusão Partido Liberal
Partido Social Democrata
Afiliação internacional Internacional Liberal
Afiliação europeia ELDR
Grupo no Parlamento Europeu Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa
Câmara dos Comuns
13 / 650
Câmara dos Lordes
95 / 800
Parlamento Europeu
16 / 73
Assembleias Locais
2 538 / 20 249
Assembleia de Londres
2 / 25
Cores Laranja

Os Liberais Democratas ou LD (em inglês: Liberal Democrats) são um partido político do Reino Unido, formado pela fusão do Partido Liberal com o Partido Social Democrata.

Em 2010 garantiu a maioria parlamentar ao primeiro-ministro conservador David Cameron, formando uma coalização onde o liberal-democrata Nick Clegg foi indicado como vice-primeiro-ministro.

Desde a década de 1980, se conservava como o terceiro partido político mais importante no Reino Unido, sendo superado pelos Trabalhistas e pelos Conservadores. Contudo, nas eleições gerais de 2015, os LibDems se tornaram apenas a quarta força política mais votada. Porém, mais importante que isso, acabaram perdendo 48 assentos no Parlamento. O Partido Conservador, com quem mantinham uma coalizão para governar desde 2010, conquistaram a maioria absoluta, dispensando assim a necessidade de uma aliança com os Liberais Democratas. Este foi o pior resultado do partido desde 1970.[7]

Resultados Eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Líder CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1992 Paddy Ashdown 3.º 5 999 384
17,8 / 100,0
20 / 651
Oposição
1997 Paddy Ashdown 3.º 5 242 947
16,8 / 100,0
Baixa1,0
46 / 659
Aumento26 Oposição
2001 Charles Kennedy 3.º 4 814 321
18,3 / 100,0
Aumento1,5
52 / 659
Aumento6 Oposição
2005 Charles Kennedy 3.º 5 985 454
22,0 / 100,0
Aumento3,7
62 / 646
Aumento10 Oposição
2010 Nick Clegg 3.º 6 836 248
23,0 / 100,0
Aumento1,0
57 / 650
Baixa5 Governo
2015 Nick Clegg 4.º 2 415 888
7,9 / 100,0
Baixa15,1
8 / 650
Baixa49 Oposição
2017 Tim Farron 4.º 2 371 772
7,4 / 100,0
Baixa0,5
12 / 650
Aumento4 Oposição

Eleições europeias[editar | editar código-fonte]

Data CI. Votos % +/- Deputados +/-
1989 4.º 986 292
6,2 / 100,0
0 / 81
1994 3.º 2 552 730
17,0 / 100,0
Aumento10,8
2 / 87
Aumento2
1999 3.º 1 266 549
12,7 / 100,0
Baixa4,3
10 / 87
Aumento8
2004 4.º 2 452 327
14,9 / 100,0
Aumento2,2
12 / 78
Aumento2
2009 4.º 2 080 613
13,8 / 100,0
Baixa1,1
11 / 72
Baixa1
2014 5.º 1 087 633
6,6 / 100,0
Baixa7,2
1 / 73
Baixa10
2019 2.º 3 367 284
19,6 / 100,0
Aumento13,0
16 / 73
Aumento15

Referências

  1. Mark Kesselman; Joel Krieger; William A. Joseph (2018). Introduction to Comparative Politics: Political Challenges and Changing Agendas. [S.l.]: Cengage Learning. p. 71. ISBN 978-1-337-67124-8 
  2. «Britain's anti-Brexit Liberal Democrats name Jo Swinson as new leader». Reuters. 22 de julho de 2019. Consultado em 27 de julho de 2019 
  3. «Lib Dems aim for centrist voters with tax platform». Financial Times. Consultado em 18 de fevereiro de 2017 
  4. Alistair Clark (2012). Political Parties in the UK. [S.l.]: Palgrave Macmillan. pp. 86–93. ISBN 978-0-230-36868-2 
  5. Thomas Quinn; Judith Bara; John Bartle (2013). «The UK Coalition Agreement of 2010: Who Won?». In: Justin Fisher; Christopher Wlezien. The UK General Election of 2010: Explaining the Outcome. [S.l.]: Routledge. p. 180. ISBN 978-1-317-96554-1 
  6. Peter King (2011). The New Politics: Liberal Conservatism Or Same Old Tories?. [S.l.]: Policy Press. p. 1. ISBN 978-1-84742-853-0 
  7. «David Cameron, reeleito com maioria absoluta, vai formar governo». Diário de Notícias. Consultado em 8 de maio de 2015. Arquivado do original em 18 de maio de 2015 

Referências gerais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]