Epsilon Pegasi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ε Pegasi
Dados observacionais (J2000)
Constelação Pegasus
Asc. reta 21h 44m 11,2s[1]
Declinação 09° 52′ 30,0″[1]
Magnitude aparente 2,399[2]
Características
Tipo espectral K2 Ib[1]
Cor (U-B) 1,722[2]
Cor (B-V) 1,527[2]
Variabilidade variável irregular lenta tipo LC[3]
Astrometria
Velocidade radial 3,39 ± 0,06 km/s[1]
Mov. próprio (AR) 26,92 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) 0,44 mas/a[1]
Paralaxe 4,73 ± 0,17 mas[1]
Distância 690 ± 20 anos-luz
211 ± 8 pc
Magnitude absoluta –4,142[4]
Detalhes
Massa 11,7 ± 0,8[5] M
Raio 185[6] R
Gravidade superficial 1,01 (log g)[4]
Luminosidade 5 000[7] L
Temperatura 4 337[4] K
Metalicidade [Fe/H] –0,04[4]
Rotação 8 km/s[8]
Idade 20,0 ± 4,5 milhões[5] de anos
Outras denominações
Enif, 8 Peg, BD+09 4891, FK5 815, HD 206778, HIP 107315, HR 8308, SAO 127029.[1]
Epsilon Pegasi
Pegasus constellation map.png

Epsilon Pegasi (ε Peg, ε Pegasi) é a estrela mais brilhante da constelação de Pegasus, com uma magnitude aparente de 2,399.[2] É conhecida também pelo nome tradicional Enif, que é derivado da palavra árabe para nariz, devido à sua posição na constelação.[9] A distância a ela pode ser estimada usando medições de paralaxe da missão Hipparcos, dando um valor de 690 anos-luz (211 parsecs) da Terra, com uma margem de erro de 20 anos-luz.[1]

Epsilon Pegasi é uma estrela evoluída que está no estágio de supergigante, confome indicado pela classificação estelar de K2 Ib.[1] Estima-se que tenha 12 vezes a massa do Sol.[5] Seu diâmetro angular, após correções de escurecimento de bordo, é de 8,17 ± 0,09 milissegundos de arco,[10] o que, combinado com a distância, dá um tamanho enorme de 185 vezes o raio solar.[6] Está irradiando de sua atmosfera 5 000 vezes a luminosidade do Sol[7] a uma temperatura efetiva de 4 337 K.[4] Com essa temperatura, tem a coloração alaranjada típica de estrelas de classe K.[11]

Em algumas ocasiões, o brilho de Epsilon Pegasi aumentou radicalmente, ficando até mais brilhante que Altair, a estrela mais brilhante da constelação de Aquila.[9] É uma variável irregular lenta de tipo LC que varia entre +0,7 e +3,5 em magnitude.[3] Seu espectro mostra abundância de estrôncio e bário, o que pode ser resultado do processo S de nucleossíntese na atmosfera externa da estrela.[7] Tem uma velocidade peculiar relativamente alta de 21,6 km/s.[5]

Como uma supergigante, Epsilon Pegasi está no fim de sua vida, porém, como sua massa está na divisa entre estrelas destinadas a explodir ou não, não se sabe se irá explodir em uma supernova ou se tornar uma rara anã branca de neônio e oxigênio com menos da metade do tamanho da Terra.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j «SIMBAD query result - eps Peg». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 24 de setembro de 2012 
  2. a b c d Cousins, A. W. J. (1984), «Standardization of Broadband Photometry of Equatorial Standards», South African Astronomical Observatory Circulars, 8: 59, Bibcode:1984SAAOC...8...59C 
  3. a b «eps Peg», Centre de Données astronomiques de Strasbourg, General Catalogue of Variable Stars, consultado em 24 de abril de 2011 
  4. a b c d e Soubiran, C.; et al. (2008), «Vertical distribution of Galactic disk stars. IV. AMR and AVR from clump giants», Astronomy and Astrophysics, 480 (1): 91–101, Bibcode:2008A&A...480...91S, arXiv:0712.1370Acessível livremente, doi:10.1051/0004-6361:20078788 
  5. a b c d Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M. (janeiro de 2011), «A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun», Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, 410 (1): 190–200, Bibcode:2011MNRAS.410..190T, arXiv:1007.4883Acessível livremente, doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x 
  6. a b Lang, Kenneth R. (2006), Astrophysical formulae, ISBN 3-540-29692-1, Astronomy and astrophysics library, 1 3 ed. , Birkhäuser . O raio (R*) é dado por:
  7. a b c Smith, Verne V.; Lambert, David L. (junho de 1987), «Are the red supergiants Epsilon Peg and 12 PUP victims of mild s-processing?», Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, 226: 563–579, Bibcode:1987MNRAS.226..563S 
  8. Bernacca, P. L.; Perinotto, M (1970). «A catalogue of stellar rotational velocities». Contributi Osservatorio Astronomico di Padova in Asiago. 239 (1). Bibcode:1970CoAsi.239....1B 
  9. a b c Kaler, James B. «ENIF (Epsilon Pegasi)». Stars. Consultado em 24 de setembro de 2012 
  10. Richichi; Percheron, I.; Khristoforova, M. (fevereiro de 2005), «CHARM2: An updated Catalog of High Angular Resolution Measurements», Astronomy and Astrophysics, 431: 773–777, Bibcode:2005A&A...431..773R, doi:10.1051/0004-6361:20042039 
  11. «The Colour of Stars», Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Australia Telescope, Outreach and Education, 21 de dezembro de 2004, consultado em 16 de janeiro de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.