Ernest Mason Satow

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ernest Mason Satow
Nascimento 30 de junho de 1843
Upper Clapton
Morte 26 de agosto de 1929 (86 anos)
Exeter
Cidadania Reino Unido
Filho(s) Hisayoshi Takeda
Alma mater University College London, Mill Hill School
Ocupação botânico, diplomata, tradutor
Prêmios Cavaleiro Grã-Cruz da Ordem de São Miguel e São Jorge
Empregador The Japan Times

Ernest Mason Satow GCMG, (Londres, 30 de junho de 1843 - Exeter, 26 de agosto de 1929) foi um acadêmico e diplomata britânico nascido de pai alemão (Hans David Christoph Satow, nascido em Wismar, naquela época sob o comando da Suécia, naturalizado britânico em 1846) e de mãe britânica (Margaret, apelido de solteira Mason) em Clapton, norte de Londres. Ele foi educado na Mill Hill School e na University College London (UCL). Era um excelente botânico e japonólogo. Era amigo de Itō Hirobumi e residiu no Japão entre 1862 e 1883.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Caligrafia japonesa feita por Satow. Os caracteres kanji leem-se "敬和" (Kei-Wa), literalmente "respeito e harmonia".

Serviu como embaixador em Sião (Tailândia) entre 1884 e 1887, Uruguai (1889-1893) e Marrocos (1893-1895). Satow desempenhou um papel crucial em toda a diplomacia britânica no Extremo Oriente, particularmente como embaixador no Japão e durante as eras Bakumatsu (1853–1867) e Meiji (1868–1912), e também na China (1900-1906) depois da rebelião dos boxers. Representou o Reino Unido na Convenção de Haia de 1907.

Satow foi um excecional linguista, um enérgico viajante, escritor de livros de viagens, compilador de dicionários, montanhista, entusiasta botânico e grande colecionador de livros e manuscritos japoneses de todos os temas. Em conjunto com William George Aston e Basil Hall Chamberlain, Satow forma o conjunto dos grandes estudiosos sobre o Japão no século XIX.

Era um amante da música clássica, gostava dos trabalhos de Dante (o seu cunhado Henry Fanshawe Tozer era uma autoridade em Dante) e manteve um diário durante toda a sua vida adulta, com 47 volumes, a maioria escritos à mão. Era uma celebridade, mas não dava grande importância à fama. Foi retratado numa caricatura pela revista britânica Vanity Fair, em 23 abril de 1903.

Casou com uma japonesa, e o seu filho Hisayoshi Takeda foi um eminente botânico japonês.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ernest Mason Satow