Ernesto Korrodi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ernesto Korrodi (nascido Ernst Korrodi) (Zurique, 30 de janeiro de 1870 - Leiria, 3 de fevereiro de 1944)[1] foi um arquiteto de origem suíça que se naturalizou português. É um dos pioneiros e dos mais bem sucedidos arquitetos da Arte Nova em Portugal, tendo recebido o Prémio Valmor por duas vezes. É autor de cerca de 400 projetos em Portugal.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Korrodi veio para Portugal através de um concurso lançado na Embaixada de Portugal em Berna, em que se procuravam professores de desenho para as escolas portuguesas. Antes, Korrodi completara os cursos de escultor decorador e de professor de desenho, na Escola de Arte Industrial de Zurique. Após uma breve estadia em Itália, candidatou-se às escolas portuguesas, e em 1889 começou a exercer funções na Escola Industrial e Comercial de Braga, onde ficaria até 1894. Neste ano foi transferido para a Escola Industrial e Comercial de Leiria, lecionando Desenho Ornamental e [3] Modelagem.

Em 1921 o desenhador suíço foi nomeado diretor de obras da comissão de Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais.

Em 1897 Korrodi publica um pequeno estudo sobre São Fructuoso de Montélius, intitulado “Um monumento Bizantino-Latino em Portugal”, no Boletim de Arquitectura da Associação dos Arquitectos Civis e Arqueólogos Portugueses. Dois anos depois, em 29 de Abril de 1901, casa-se com Quitéria da Conceição Maia, professora do Ensino Primário,[4] na freguesia dos Marrazes, desde 1892 a 1901. O casal teve dois filhos e uma filha, sendo que o primeiro morreu logo após o nascimento em 1902. Os outros são Maria Teresa (1903-2002) e Camilo Korrodi (1905-1985). Em 1919 projetou o Santuário de Nossa Senhora da Assunção, em Monte de Córdova, Santo Tirso.[5]

Obras[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ernesto Korrodi

Entre os seus projetos arquitetónicos, destacam-se:

Após a derrocada parcial de um dos muros no Castelo de Leiria, Korrodi foi nomeado diretor das obras, em 1921, à frente de uma comissão sujeita à Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN), em caráter de urgência. O seu trabalho desenvolveu-se até 1934, quando se desligou. As obras, porém, prosseguiram na década de 1930, com base nos seus desenhos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. de Jesus, Davide (2012). O Edifício da Companhia Leiriense de Moagem, antigo Convento de S. Francisco de Leiria. Coimbra: [s.n.] 
  2. «Roteiro Korrodi apresentado em Leiria». 2004. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  3. Romãozinho, Mónica (Maio de 2015). «Modernidade e tradição no design de interiores: A casa de Ernesto Korrodi (1870-1944)». www.vitruvius.com.br. Vitruvius. Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  4. «Ernesto Korrodi» (PDF). Consultado em 4 de janeiro de 2017 
  5. «Santuário de Nossa Senhora da Assunção – Monte Córdova» 
  6. A república das artes : centenário da república 1910-2010. [S.l.]: Tugaland. 2010. ISBN 978-989-8179-85-2 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.