Fabián Canobbio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabián Canobbio
Informações pessoais
Nome completo Néstor Fabián Canobbio Bentaberry
Data de nasc. 8 de março de 1980 (38 anos)
Local de nasc. Montevidéu, Uruguai
Nacionalidade uruguaio
Altura 1,79 m
Apelido La Lámpara
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Meio-campista
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1997–2000
2001–2003
2003–2005
2004–2005
2005–2008
2008–2010
2010–2011
2011
2012
2013–2015
Uruguai Progreso
Uruguai Peñarol
Espanha Valencia
Espanha Celta de Vigo (emp.)
Espanha Celta de Vigo
Espanha Valladolid
Grécia Larissa
Uruguai Fénix
Uruguai Progreso
Uruguai Danubio

73 (26)
11 (1)
38 (12)
93 (17)
53 (5)
18 (3)
5 (0)
13 (4)
21 (4)
Seleção nacional
1999
2001–2007
Flag of Uruguay.svg Uruguai Sub-20
Flag of Uruguay.svg Uruguai
4 (1)
9 (0)

Néstor Fabián Canobbio Bentaberry, mais conhecido como Fabián Canobbio (Montevidéu, 8 de março de 1980)[1], é um ex-futebolista uruguaio que atuava como meio-campista.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Canobbio iniciou a carreira profissional no Progreso em 1997, aos 17 anos. Seu desempenho pelos Gauchos del Pantanoso chamou a atenção do tradicional Peñarol, que o contratou em 2001. Pelos Carboneros, jogou 73 partidas e marcou 26 gols entre 2001 e 2003. Neste ano, iniciaria uma longa trajetória no futebol espanhol ao assinar com o Valencia para substituir o argentino Kily González, recém-negociado com a Inter de Milão. Canobbio, que ganhou o apelido de La Lámpara ("A Lâmpada") depois de uma declaração do técnico Rafael Benítez ("Eu peço uma mesa e eles me trazem uma lâmpada"), atuou em apenas 11 jogos pelos Ches.

Sua melhor fase em território espanhol foi no Celta de Vigo, que o contratara por empréstimo em 2004 e o comprou em definitivo no ano seguinte. Foram, no total, 131 partidas e 29 gols marcados. Jogaria ainda 2 temporadas pelo Valladolid e outra no Larissa. Depois de ficar sem salário por 5 meses[2] antes de voltar ao Uruguai em 2011, para defender o Fénix[3], onde participou de apenas 5 jogos.

Ainda em 2011 e em boa parte de 2012, despertou o interesse de equipes brasileiras, dentre elas o Atlético Goianiense, mas o negócio não foi adiante. Canobbio regressaria ao Progreso, o primeiro clube de sua carreira, atuando em 12 partidas. Ele ainda passou 2 temporadas no Danubio. Nos Franjas, o meio-campista chegou a ficar afastado por vários meses devido a uma tendinite crônica. Em 2015, aos 35 anos, Canobbio decidiu se aposentar.

Seleção Uruguaia[editar | editar código-fonte]

La Lámpara atuou pela Seleção Uruguaia em 10 oportunidades, sendo a maioria delas no auge de sua carreira, quando jogava pelo Celta de Vigo. Participou de um jogo das eliminatórias sul-americanas para a Copa de 2002 contra a Colômbia, porém não foi convocado para o torneio. Integrou a equipe que ficou na quarta posição da Copa América de 2007, seu único torneio disputado pela equipe principal da Celeste Olímpica.

Pós-aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2017, Canobbio foi eleito o novo presidente do Progreso, sendo o primeiro ex-jogador da equipe a assumir o cargo.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Peñarol
Valencia

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências