François Duvalier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
François Duvalier
32Presidente do Haiti
Período 22 de outubro de 1957
a 21 de abril de 1971
Antecessor Antonio Thrasybule Kébreau
Sucessor Jean-Claude Duvalier
Dados pessoais
Nome completo François Duvalier
Nascimento 14 de abril de 1907
Porto Príncipe, Haiti
Morte 21 de abril de 1971 (64 anos)
Porto Príncipe, Haiti
Nacionalidade Haitiano
Alma mater Université d'État d'Haïti
Cônjuge Simone Duvalier
Filhos Marie‑Denise Duvalier
Nicole Duvalier
Simone Duvalier
Jean-Claude Duvalier
Partido Partido da Unidade Nacional
Religião Vodu haitiano
Profissão Médico

François Duvalier (pronúncia em francês: ​[fʁɑ̃swa dyvalje]; 14 de abril de 1907 — 21 de abril de 1971), também conhecido como Papa Doc, foi um político e médico haitiano que serviu como Presidente do Haiti de 1957 a 1971.[1] Ele foi eleito Chefe de Estado da sua nação com uma plataforma populista e de nacionalismo negro. Após deter um golpe militar em 1958, seu regime tomou um caráter totalitário e despótico. Entre um dos seus atos mais notórios foi a formação de um esquadrão da morte, conhecido como Tonton Macoute (em crioulo haitiano: Tonton Makout), cujo o principal propósito era assassinar opositores do governo de Duvalier; o Tonton Macoute foi tão eficiente em suas atividades clandestinas de caçar e matar dissidentes, que a população geral haitiana ficava extremamente receosa de expressar qualquer forma de descontentamento com o governo, mesmo que em privado.[2]

Duvalier buscou consolidar seu poder ao incorporar elementos da mitologia haitiana no culto à personalidade que foi erguido a sua volta. Seu governo foi marcado por prisões arbitrárias, tortura e morte de opositores, corrupção e nepotismo. No âmbito externo, de início manteve-se alinhado aos Estados Unidos, mas quando o seu regime começou a ficar cada vez mais opressor, os americanos foram lentamente cortando seus laços com ele. Em 1962, Papa Doc anunciou que seu país rejeitaria qualquer ajuda monetária vinda do governo americano. Ele então se apropriou de toda a ajuda externa que vinha ao Haiti, desviando milhões de dólares para contas pessoais. Com o passar dos anos, seu regime foi se tornando cada vez mais repressivo. Bens privados eram apropriados pelo governo e toda a oposição era silenciada. Fome e má-nutrição se tornaram epidêmicas.[3]

Durante seu regime, a economia do Haiti sofreu, enquanto ele acumulava uma enorme fortuna pessoal. A repressão política e a falta de oportunidades fez com que houvesse uma enorme fuga de cérebros do país, com a elite intelectual haitiana fugindo em grandes números para o exterior. Ainda assim, sua popularidade permaneceu alta durante boa parte do seu governo, sustentada pela população majoritariamente rural, que dependia de subsídios do governo para se manter relevante economicamente. Sua fala de nacionalismo negro também ressoava com a classe média-baixa.[4]

Antes de se tornar presidente, Duvalier foi um médico de certo prestígio. Seu profissionalismo e conhecimento da área lhe renderam a alcunha de "Papa Doc". Uma vez no poder, foi reeleito, em 1961, numa eleição conturbada, onde ele foi o único candidato nas cédulas eleitorais. Em seguida, continuou a consolidar seu poder até o ponto onde, em 1964, se proclamou Président à vie ("presidente vitalício") após outra eleição fraudulenta, se mantendo no poder até sua morte, em abril de 1971. Ele foi sucedido por seu filho, Jean‑Claude, que foi apelidado de "Baby Doc".[5]

Referências

  1. Greene, Anne (2001). «Haiti: Historical Setting § François Duvalier, 1957–71». In: Metz, Helen Chapin. Dominican Republic and Haiti. ISBN 978-0-8444-1044-9 3rd ed. Washington, D.C.: Federal Research Division, Library of Congress. ISSN 1057-5294. Country Studies. pp. 288–289. LCCN 2001023524. OCLC 46321054 
  2. «FranÇois Duvalier Biography». NotableBiographies.com. Consultado em 27 de maio de 2020 
  3. Wright, Giles. «François 'Papa Doc' Duvalier». TheDictatorship.com. Consultado em 28 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 18 de setembro de 2015 
  4. «François Duvalier: Haitian President». HaitianMedia.com. Cópia arquivada em 20 de março de 2012 
  5. «Real-Life Baron Samedi: Francois 'Papa Doc' Duvalier». Life. Cópia arquivada em 27 de junho de 2009 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Peschanski, João Alexandre (2013). «Papa Doc's Feint : the misled opposition and the consolidation of Duvalier's rule in Haiti». Consultado em 28 de agosto de 2019 
  • Fatton, Robert, Jr. (2013). «Michel-Rolph Trouillot's State Against Nation: A Critique of the Totalitarian Paradigm». Small Axe. 17 (3&#8239, 42). 208 páginas. ISSN 1534-6714. doi:10.1215/07990537-2379009 
  • Lacey, Marc (23 de março de 2008). «Haiti's Poverty Stirs Nostalgia for Old Ghosts». New York Times. ISSN 0362-4331 
  • Greene, Anne (2001). «Haiti: Historical Setting § François Duvalier, 1957–71». Dominican Republic and Haiti. Col: Country Studies 3rd ed. Washington, D.C.: Federal Research Division, Library of Congress. pp. 288–289. ISBN 978-0-8444-1044-9 
  • «Real-Life Baron Samedi: Francois 'Papa Doc' Duvalier». Life 
  • Joseph, Romel (2010). The Miracle of Music. [S.l.]: Friends of Music Education for Haiti. ISBN 978-0-9769847-0-2 
  • Abbott, Elizabeth (2011). Haiti: A Shattered Nation. New York: The Overlook Press. ISBN 978-1-59020-989-9 
  • Péan, Leslie (24 de julho de 2014). «Métaspora de Joël Des Rosiers ou l'art comme dépassement de la vie quotidienne». Le Nouvelliste 
  • Harris, Bruce (12 de outubro de 2014). «Heroes & killers of the 20th century: The Duvaliers». moreorless 
  • Haggerty, Richard A. (1991). «Haiti: Historical Setting § François Duvalier, 1957–71». Dominican Republic and Haiti. Col: Country Studies 2nd ed. Washington, D.C.: Federal Research Division, Library of Congress. pp. 232–235. ISBN 978-0-8444-0728-9 
  • Wright, Giles. «François 'Papa Doc' Duvalier». TheDictatorship.com 
  • Bryan, Patrick E. (1984). The Haitian Revolution and its Effects. Col: Heinemann CXC history 1st ed. Oxford, England: Heinemann Educational Publishers. ISBN 978-0-435-98301-7 
  • Jenkins, Everett, Jr. (2011). Pan-African Chronology II: A Comprehensive Reference to the Black Quest for Freedom in Africa, the Americas, Europe and Asia, 1865–1915. Col: Pan-African Chronologies. Jefferson, North Carolina: McFarland. ISBN 978-0-7864-4506-6 
  • Juang, Richard M.; Morrissette, Noelle Anne (2008). «François Duvalier». Africa and the Americas: Culture, Politics, and History. Santa Barbara, California: ABC-CLIO. pp. 391–393. ISBN 978-1-85109-441-7 
  • Hall, Michael R. (2012). Historical Dictionary of Haiti. Col: Historical Dictionaries of the Americas. Lanham, Maryland: Scarecrow Press. ISBN 978-0-8108-7549-4 
  • «François Duvalier: Haitian President». HaitianMedia.com 
  • Maingot, Anthony P. (1996). «Haiti: Four Old and Two New Hypotheses». Constructing Democratic Governance: Mexico, Central America, and the Caribbean in the 1990s. Col: Inter-American Dialogue. Baltimore: Johns Hopkins University Press. 136 páginas. ISBN 978-0-8018-5404-0 
  • Abbott, Elizabeth (1988). Haiti: The Duvaliers and Their Legacy 1st ed. New York: McGraw-Hill. ISBN 978-0-07-046029-4 
  • «A Weird, Fatal Dash into Turbulent Haiti». Life. 45 (6): 22–23. 11 de agosto de 1958. ISSN 0024-3019 
  • Tartter, Jean (2001). «Haiti: National Security § The Duvalier Era, 1957–86». Dominican Republic and Haiti. Col: Country Studies 3rd ed. Washington, D.C.: Federal Research Division, Library of Congress. 464 páginas. ISBN 978-0-8444-1044-9 
  • Peschanski, João Alexandre (2013). «Papa Doc's Feint: the misled opposition and the consolidation of Duvalier's rule in Haiti». Teoria e Pesquisa. 22 (2): 1–10. ISSN 0104-0103. doi:10.4322/tp.2013.016 
  • «Haiti: Papa Doc's concordat (1966)». Concordat Watch 
  • Lentz, Harris M. (2014). «Haiti». Heads of States and Governments. Abingdon, England: Routledge. 357 páginas. ISBN 978-1-884964-44-2 
  • Von Tunzelmann, Alex (2011). «Cuba Libre § 'Our Real Friends'». Red Heat: Conspiracy, Murder, and the Cold War in the Caribbean 1st ed. New York: Henry Holt and Company. 236 páginas. ISBN 978-0-8050-9067-3 
  • Shaw, Karl (2005). Šílenství mocných. Prague: Metafora. ISBN 978-80-7359-002-4 
  • Murray, Rolland (2008). «Black Crisis Shuffle: Fiction, Race, and Simulation». African American Review. 42 (2): 215–233 
  • Smucker, Glenn R. (1991). «Haiti: Government and Politics § Foreign Relations». Dominican Republic and Haiti. Col: Country Studies 2nd ed. Washington, D.C.: Federal Research Division, Library of Congress. pp. 346–349. ISBN 978-0-8444-0728-9 
  • Štraus, Stane. «Biographies: François Duvalier (1907–1971)». PolymerNotes.org 
  • Inskeep, Steve; Green, Nadege (6 de outubro de 2014). «Duvalier's Death Causes Mixed Reactions In Miami's Little Haiti». Morning Edition 
  • Report on the situation of human rights in Haiti. Col: OEA/Ser.L/V/II.46. Washington: General Secretariat. 1979. ISBN 978-0-8270-1094-9 
  • Nicholls, David (1996). From Dessalines to Duvalier: Race, Colour, and National Independence in Haiti Revised ed. New Brunswick, New Jersey: Rutgers University Press. ISBN 978-0-8135-2240-1 
  • Kofele-Kale, Ndiva (2006). «The Cult of State Sovereignty». The International Law of Responsibility for Economic Crimes 2nd ed. Aldershot, England: Ashgate Publishing. 261 páginas. ISBN 978-1-4094-9609-0 
  • Fourcand, Jean M. (1964). Catechisme de la révolution. Port‑au‑Prince: Edition imprimerie de l'étatCategory:Articles containing French-language text 
  • «Haiti: The Living Dead». Time. 82 (4): 20–21. 26 de julho de 1963 
  • Shaw, Karl (2005). Power Mad!. Praha: Metafora. ISBN 978-80-7359-002-4 
  • Greene, Graham (1966). The Comedians. New York: The Viking Press 
  • French, Howard W. (27 de abril de 1991). «Haiti Recalls Greene With Gratitude». New York Times. ISSN 0362-4331 
  • Whicker, Alan (17 de junho de 1969). Papa Doc: The Black Sheep. Col: Whicker's World. London: [s.n.] 
  • Diederich, Bernard; Burt, Al (1969). Papa Doc: Haiti and Its Dictator. London: The Bodley Head. ISBN 978-0-370-01326-8 
  • Lemoine, Patrick (2011). Fort-Dimanche, Dungeon of Death. Bloomington, Indiana: Trafford Publishing. ISBN 978-1-4269-6624-8 
  • Marquis, John (2007). Papa Doc: Portrait of a Haitian Tyrant. Kingston, Jamaica: LMH Publishing. ISBN 978-976-8202-49-9 
  • «Bahamas Director of Information given death sentence in Haiti 1968». Bahamianology 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.