Gérson de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gérson de Abreu
Nome completo Gérson Ribeiro de Abreu Júnior
Outros nomes Gordo
Nascimento 11 de agosto de 1964
Iguape, SP
Nacionalidade Brasileiro
Morte 18 de julho de 2002 (37 anos)
Iguape, SP
Ocupação
Atividade 1984–2002
Cônjuge Luciana Barolli (c. 1991–2000)
IMDb: (inglês)

Gérson Ribeiro de Abreu Júnior (Iguape, 11 de agosto de 1964 – Iguape, 18 de julho de 2002), conhecido simplesmente como Gérson de Abreu, foi um apresentador, ator e escritor brasileiro, conhecido por seus trabalhos ao público infantis na TV Cultura e RecordTV. Sua cidade natal, Iguape, presta uma homenagem a ele dando seu nome a um espaço cultural do município chamado Oficina Cultural Regional Gérson de Abreu.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Filho de Gerson Ribeiro de Abreu e Neusa de Abreu, a primeira aparição de Gérson de Abreu na Televisão aconteceu no programa É Proibido Colar, da TV Cultura, em 1982, apresentado por Antônio Fagundes e sua esposa (na época) Clarice Abujamra, A escola em que ele estudava participou do programa, Gérson interpretou um cozinheiro e foi tão bem que a TV Cultura o convidou para fazer um teste na emissora, dois anos depois foi contratado como repórter do programa Tempo de Verão.[1] Gérson apresentou o programa infantil "X-Tudo" da TV Cultura, exibido entre 1992 e 1994, ano em que deixou o programa e foi substituído pelo ator e humorista Márcio Ribeiro. Em abril de 1995, foi contratado pela Rede Record, se tornando célebre no Agente G, exibido entre 1995 e 1997. Ainda na Record, em 1998, estrelou Vila Esperança, representando o Tio Du, que era proprietário de uma mercearia e que gostava de falar de cinema, teatro, fotografia e literatura, além de fazer esquetes contracenando com bonecos imitando os personagens da série. Escreveu também algumas crônicas e prefácios. Em seguida, trabalhou no Bambalalão Caleidoscópio, Sábado Vivo e Som Pop.

Em 1998 estrelou sua primeira telenovela, Estrela de Fogo, na RecordTV, sendo também o primeiro trabalho televisivo da carreira que não era voltado ao público infantil. No mesmo ano deixou a novela para estrelar o seriado infantil Vila Esperança, na mesma emissora. Em 2000 integrou o elenco da minissérie Aquarela do Brasil, na Rede Globo, seu último trabalho na televisão. Em 2002 realizou seu último projeto em vida, a peça de teatro Gato Preto, com Rosi Campos, que ficou em cartaz até sua morte. Faleceu em 18 de julho de 2002 de infarto na cidade de Iguape, em São Paulo. Na época de sua morte negociava com a RecordTV e produção de um novo programa infantil, o qual seria intitulado Condomínio da Alegria.[2]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem / Cargo Notas
1982 É Proibido Colar Participante Episódio: "18 de fevereiro de 1982"
1984 Tempo de Verão Repórter
1984–90 Bambalalão Vários personagens
1985 Caleidoscópio Apresentador
1988 Sábado Vivo Apresentador
1991 Som Pop Apresentador
1992–94 X-Tudo Apresentador
1994–97 Castelo Rá-Tim-Bum Flap
1995–97 Agente G Agente G
1998 Estrela de Fogo Hélio Colíbri
1998–99 Vila Esperança Tio Dú
2000 Aquarela do Brasil Pipo

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
1990 Beijo 2348/72 Rubens
1992 PR Kadeia Moscou Curta-metragem
1995 Super-Colosso: a Gincana da TV Colosso Olivieri
2000 O Barato é Ser Careta Luciano

Referências

  1. Redação - Terra (18 de julho de 2002). «Morre o ator Gérson de Abreu aos 37 anos». Consultado em 16 de junho de 2011. 
  2. «Morre o ator Gerson de Abreu». Estadão. Consultado em 6 de janeiro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]