Gavrilo Princip

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gavrilo Princip
Gavrilo Princip
Nome Gavrilo Princip
(Гаврило Принцип)
Data de nascimento 25 de julho de 1894
Local de nascimento Obljaj, Áustria-Hungria
Data de morte 28 de abril de 1918 (23 anos)
Local de morte Terezín, Boémia
Nacionalidade(s) Sérvio
Crime(s) Assassinato de Sarajevo (28 de junho de 1914)
Situação Falecido

Gavrilo Princip (em sérvio: Гаврило Принцип; Obljaj, 25 de julho de 1894Terezín, 28 de abril de 1918) foi um militante e estudante sérvio-bósnio que foi responsável pelo assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do Império Austro-Húngaro, e sua esposa Sofia, Duquesa de Hohenberg, em Sarajevo, em 28 de junho de 1914.[1]

Princip nasceu no oeste da Bósnia em uma família sérvia pobre. Aos 13 anos de idade ele foi mandado para Sarajevo, a capital da Bósnia ocupada pela Áustria, para estudar. Foi na escola que ele começou a engajar com movimentos políticos. Em 1911, Gravilo se juntou ao grupo Jovem Bósnia, uma sociedade local secreta com o objetivo de libertar a Bósnia do domínio austríaco e alcançar a unificação do eslavos do sul. Depois de participar de manifestações anti-austríacas em Sarajevo, ele foi expulso da escola e viajou até Belgrado, na Sérvia, para continuar seus estudos. Durante a Primeira Guerra Balcânica, Princip viajou para o sul da Sérvia para se alistar no exército irregular para lutar contra o Império Otomano mas foi rejeitado por ser muito pequeno e fraco.[1]

Em 1913, após o sucesso inesperado dos sérvios na guerra contra os otomanos, o governador militar austríaco na Bósnia declarou um estado de emergência, dissolvendo o parlamento, impondo a lei marcial e banindo todas as sociedades públicas, culturais e educacionais sérvias. Inspirado por uma série de tentativas de assassinato contra oficiais imperiais por nacionalistas e anarquistas eslavos, Princip convenceu dois outros jovens bósnios para se juntar a ele no planejamento para matar o herdeiro da Dinastia de Habsburgo durante sua anunciada visita a Sarajevo. A Mão Negra, uma sociedade secreta sérvia com laços com a inteligência militar da Sérvia, forneceu armas e treinamento aos conspiradores antes de facilitar sua reentrada na Bósnia.[2][3]

No domingo de 28 de junho de 1914, durante a visita do casal real (Francisco Ferdinando e Sofia Chotek) a Sarajevo, o jovem Princip feriu mortalmente o arquiduque austriaco e sua esposa com sua pistola FN Model 1910, disparando contra o veículo do casal, que havia, inesperadamente, parado na sua frente a 1,5 metros de distância. O casal faleceu no mesmo dia. Princip foi preso imediatamente e foi julgado ao lado de vinte e quatro outros indivíduos, todos bósnios e, portanto, súditos austro-húngaros. No julgamento, Gavrilo Princip afirmou: "Eu sou um nacionalista iugoslavo, visando a unificação de todos os iugoslavos, e não me importo com qual forma de estado, mas deve ser livre da Áustria." Princip foi poupado da pena de morte devido a sua idade (19 anos) e foi sentenciado a apenas vinte anos de prisão. Ele foi aprisionado na Fortaleza de Terezín. O próprio governo sérvio não instigou o assassinato, mas o governo e o exército austro-húngaro utilizaram a morte do arquiduque como pretesto para lançar uma ataque preventivo contra a Sérvia, começando a Primeira Guerra Mundial.[4][5]

Princip faleceu em 28 de abril de 1918 de tuberculose agravada pelas más condições prisionais que já haviam causado a perda de seu braço direito.

Legado[editar | editar código-fonte]

O legado deixado por Princip é um tema controverso e comunidades da Bosnia e da Sérvia continuam incapazes de concordar como tanto o evento de Sarajevo quanto Princip devem ser lembrados.[6][7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Fabijančić, Tony (2010). Bosnia: In the Footsteps of Gavrilo Princip. Edmonton: University of Alberta. ISBN 978-0-88864-519-7 
  2. Roider, Karl (2005). «Princip, Gavrilo (1894–1918)». In: Tucker, Spencer C.; Roberts, Priscilla Mary. The Encyclopedia of World War I : A Political, Social, and Military History. Santa Barbara, Califórnia: ABC-CLIO. ISBN 978-1-85109-420-2 
  3. Sageman, M. (2017). Turning to Political Violence: The Emergence of Terrorism. [S.l.]: University of Pennsylvania Press, Incorporated. ISBN 978-0-8122-4877-7 
  4. Butcher, T. (2015). The Trigger: Hunting the Assassin Who Brought the World to War. Col: Vintage Books. [S.l.]: Vintage Publishing. ISBN 978-0-09-958133-8 
  5. Clark, Christopher (2013). The Sleepwalkers: How Europe Went to War in 1914. [S.l.]: HarperCollins. ISBN 978-0-06219-922-5 
  6. «Gavrilo Princip's Legacy Still Contested». Institute for War and Peace Reporting (em inglês). Consultado em 20 de junho de 2020 
  7. Dzidic, Denis; Ristic, Marija; Domanovic, Milka; Ivanovic, Josip; Peci, Edona; Marusic, Sinisa Jakov (6 de maio de 2014). «Gavrilo Princip: hero or villain?». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
Ícone de esboço Este artigo sobre criminosos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.