Jovem Bósnia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gavrilo Princip na prisão de Terezín

A Jovem Bósnia (em servo-croata Млада Босна / Mlada Bosna) foi um termo usado no Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos após a Primeira Guerra Mundial para fazer referência a indivíduos, grupos e organizações que fomentavam a relação violenta contra a dominação do Império Austro-Húngaro e a união dos eslavos do sul com a Sérvia, na formação da Iugoslávia.[1]

Foi um grupo cujos adeptos incluíam bósnios, bósnios-croatas e sérvios-bósnios; foi formado na Bósnia e Herzegovina antes da Primeira Guerra Mundial. Duas organizações notáveis são muitas vezes referidas como apoiadoras da Jovem Bósnia: o "Narodna Odbrana" e a "Mão Negra".

Seu mais célebre integrante foi Gavrilo Princip, jovem estudante que matou o arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do trono austríaco que estava em visita à cidade de Sarajevo, na Bósnia. O atentado é geralmente considerado como o estopim da Primeira Guerra Mundial.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Stevan K. Pavlowitch (2002). Serbia: The History of an Idea. [S.l.]: New York University Press. pp. 90–91. ISBN 978-0-8147-6708-5 
Ícone de esboço Este artigo sobre a história da Europa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.