Giovanni Battista Pittoni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dioniso e Ariadne (1730-1735). Pintura de Giovanni Battista Pittoni (Museu de Arte de São Paulo, São Paulo).

Giovanni Battista Pittoni, também chamado Giambattista Pittoni (Veneza, 1687 — Veneza, 1767), foi um pintor do Rococó italiano.

Originário de uma família de pintores de Veneza, Pittoni executa seus primeiros quadros, Morte de Agripina (destruída) e Sêneca (Gemäldegalerie, Dresden) a partir de meados de 1720.

Após essa fase inicial, sensível ao luminismo dramático de G.B. Piazetta (1683-1754) e de Federico Bencovich (1677-1756), Pittoni é progressivamente atraído, a partir de 1730, pela pintura de Sebastiano Ricci, de Tiepolo e de Antonio Balestra (1666-1740).

Juntamente com Pellegrini e Amigoni, Pittoni representou o momento mais internacional da pintura veneziana do Setecentos. Em 1762, Alessandro Longhi, célebre por seus retratos de artistas, pintou e gravou o de Pittoni, confirmando seu renome internacional.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • MARQUES, Luiz (org). Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand: Arte Italiana. São Paulo: Prêmio, 1998.