Gruit

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cerveja feita a partir de uma receita do século 13 que utiliza ervas do gruit

Gruit é o nome que se dá a uma antiga mistura de ervas usadas para dar amargor e aroma à cerveja, que era popular antes do uso extensivo do lúpulo. Gruit ou Grut ale também pode referir-se à bebida produzida usando gruit.[1][2]

Gruit era uma combinação de ervas, comumente incluindo sweet gale (Myrica gale), artemísia (Artemisia vulgaris), aquiléia (Achillea millefolium)[1][3], erva-de-são-joão (Glechoma hederacea), marroio (Marrubium vulgare), e urze (Calluna vulgaris). Cada produtor de gruit incluía ervas diferentes para produzir sabores únicos. Outras ervas que eram adicionadas: bagas de zimbro, gengibre, sementes de cominho, anis, noz-moscada, canela, e até mesmo o lúpulo em proporções variáveis.[2]

Algumas formas tradicionais de cerveja sem lúpulo sobreviveram, como a sahti na Finlândia.

Contexto Histórico[editar | editar código-fonte]

O uso exclusivo de gruit foi sendo gradualmente eliminado em favor do uso do lúpulo em toda a Europa entre o século 11 (no sul e no leste do Sacro Império Romano) e final do século 16 (na Grã-Bretanha). No século 16 na Grã-Bretanha, era feita uma distinção entre Ale, que era sem lúpulo, e cerveja, trazido por mercadores holandeses, que era lupulada.[2] 

Uso Moderno[editar | editar código-fonte]

O movimento cervejeiro dos anos 1990 nos EUA e na Europa viu um interesse renovado em cervejas sem lúpulo e vários cervejeiros tentaram reviver cervejas fabricadas com gruit. Exemplos comerciais incluem "Fraoch" (usando flores de urze, sweet gale e gengibre) e "Alba" (usando galhos de pinheiros e abestos) dos Irmãos Williams na Escócia; "Myrica" (usando sweet gale) de O'Hanlons na Inglaterra; "Gageleer" (também usando sweet gale) de Proefbrouwerij na Bélgica; "Cervoise de Lancelot" na Bretanha (usando um gruit contendo flores de urze, especiarias e lúpulo); "Artemis" de Moonlight Brewing Company em Santa Rosa, Califórnia (usando artemísia, bergamota selvagem e erva-cidreira); "Alasca Winter Ale" da Alasca Brewing Company, "Our Special Ale" da Anchor Brewing Company, "Spruce Tip Ale" da Haines Brewing Company (todas as empresas do Alasca, com exceção Anchor), utilizando espruce;[4][5][6] .Brasserie Dupont em Walllonia na Bélgica produz uma gruit (Cerevesia) para o The Archeosite D'Aubechies - um museu a céu aberto que interpreta a vida na Europa entre a era do ferro e a era romana. A receita é baseada em evidências arqeuológicas. Nos Estados Unidos a cerveja é vendida com o nome de Posca Rustica.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Cervejas Extremas: Gruit - Cervejas sem Lúpulo». www.cervejasextremas.com.br. Consultado em 21 de outubro de 2015. 
  2. a b c Beer in the Middle Ages and the Renaissance. [S.l.: s.n.]  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  3. «Cervejas Extremas: Lúpulo é Só Mais Uma Erva, Cara!». www.cervejasextremas.com.br. Consultado em 21 de outubro de 2015. 
  4. Beer Blotter editors (November 12, 2010), «Alaskan Winter Ale is released», Seattle Post-Intelligencer  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. James Roberts (June 4, 2014), "Spruced Up", Anchorage Press 
  6. Oliver & Colicchio 2011, p. 655.