Gusztáv Sebes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gusztáv Sebes
Informações pessoais
Nome completo Gusztáv Sebes
Data de nasc. 22 de janeiro de 1906
Local de nasc. Budapeste, Áustria-Hungria
Nacionalidade húngaro
Falecido em 30 de janeiro de 1986 (80 anos)
Local da morte Budapeste, Hungria
Informações profissionais
Posição Defensor
Clubes profissionais
Anos Clubes
MTK Hungária FC
Seleção nacional
1936 Hungria

Gusztáv Sebes, nascido Gusztáv Scharenpeck (Budapeste, 22 de janeiro de 1906 — Budapeste, 30 de janeiro de 1986), foi um futebolista e treinador de futebol húngaro. A forma nativa de seu nome é Sebes Gusztáv.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sua carreira como jogador estendeu-se por vinte anos, de 1925 a 1945, 18 deles no MTK, onde foi três vezes campeão do campeonato húngaro. É mais lembrado no mundo do futebol, entretanto, por ser o técnico da Seleção Húngara de Futebol (pela qual jogou uma única vez) na melhor fase do selecionado, o início dos anos 50, quando estava repleta de jogadores lendários.

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

Sebes, assim como outro grande treinador húngaro, Béla Guttmann (judeu como ele) foi um pioneiro no esquema 4-2-4, desenvolvido o que ele chamava de "futebol socialista": todos os jogadores, exceto obviamente o goleiro, deveriam ser hábeis em qualquer posição no campo, sendo uma versão anterior do "futebol total" exibido pelos Países Baixos nos anos 70.

Treinou a Hungria de 1949 a 1957, conquistando o ouro olímpico nos Jogos de 1952, marcando na campanha 20 gols e sofrendo 2. Causou grande impacto nos ingleses vencendo-os em Wembley, e por 6 a 3 (a Inglaterra até então jamais havia perdido para times não-britânicos jogando em casa, desconsiderando-se a Seleção Irlandesa)

Sebes havia planejado cuidadosamente o jogo contra os inventores do futebol; fez seus jogadores treinarem com um tipo mais pesado de bola comum no futebol inglês, em campos com dimensões similares aos de Wembley, e contra equipes húngaras ordenadas por ele a jogar seguindo o "padrão inglês". A derrota causou grande consternação aos ingleses, que exigiram uma revanche, em Budapeste. Agora seriam derrotados por 7 a 1.[1]

A Hungria de Ferenc Puskás, Zoltán Czibor, Sándor Kocsis, Nándor Hidegkuti, József Boszik, László Budai e Gyula Grosics abriria uma invencibilidade de 32 jogos, um recorde que dura até hoje para uma seleção. A derrota viria justamente quando não podia, na final da Copa do Mundo de 1954, quando a Alemanha Ocidental, um adversário vencido por 8 a 3 na primeira fase, venceria, de virada, por 3 a 2. A mesma seleção derrotaria o "futebol total" neerlandês futuramente. Sebes continuaria como técnico até junho 1956, após uma derrota de 5 a 4 para a Bélgica.

Meses depois, em outubro, ocorreria a Revolução Húngara e parte da equipe húngara se exilaria. Sebes, comunista, permanecera no país, onde morreu oito dias após seu 80º aniversário, no mesmo ano em que a Hungria disputaria sua última Copa do Mundo.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Elenco na Copa de 54 na Worldfootball». Consultado em 16 de fevereiro de 2016 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]