Honda CB 400

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Honda CB-400
Fabricante Honda
Apelido CB-400
Produção 1980 - 1984
Sucessora CB450
Tipo Custom
Motor Bi-cilíndrico, 4 tempos, 400 cc, alimentação por carburador e partida elétrica e pedal.
Potência 40 CV a 9.500 rpm
Torque 3,2 m.kgf a 8.000 rpm
Freios Disco na frente; tambor de lona na traseira.
Similar Honda CB 400 Four

A CB400 foi uma motocicleta estilo custom fabricada pela Honda em diversos locais do mundo.

História[editar | editar código-fonte]

Iniciou a sua fabricação em solo brasileiro em 1980, quando existia somente através de importação, a CB 400 Four, com motor 4 cilindros em linha.

Quando lançada em junho de 1980, teve todo seu estoque adquirido. A CB400 nacional era derivada do modelo de dois cilindros, conhecida como CB400 Twin (1977-1986), disponível no mercado Europeu como CB400T Dream e CB400N Super Dream e nos Estados Unidos como CB400T Hawk, uma estradeira moderna, mas com certa performance. No ano seguinte saiu a CB II.

Em agosto de 1983 a CB 400 era remodelada (projeto chamado de CB II) ficando ao estilo da 450 que foi lançada no mesmo ano, sendo mantida por algum tempo (esta apelidada de "Tucunaré", em alusão a um peixe da Amazônia). Mas em outubro de 1984 cedia lugar à 450 básica, encerrando assim a sua produção.

É a segunda moto mais vendida da marca no país.

Mecânica[editar | editar código-fonte]

Com potência de 40 cv a 9.500 rpm, com torque máximo de 3,2 m.kgf a 8.000 rpm levando a máquina a uma velocidade máxima próxima a 160 km/h e aceleração de 0 a 100 km/h em 7 segundos. Contava com motor de dois cilindros paralelos, com diâmetro de 70,5mm e curso de 50,6mm, quatro tempos, refrigeração a ar e dois carburadores de 32mm, contava ainda com três válvulas por cilindro, duas para admissão e uma para escapamento. Na época era a única com comando de válvulas acionados por sistema de corrente no comando das válvulas, e com um sistema de balanceamento no cames para anular vibrações. Contava com uma largo banco, partida elétrica e pedal de partida, afogador localizado no painel em vez de próximo ao motor.