Isabel Silvestre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Isabel Silvestre
Nascimento 4 de março de 1946 (75 anos)
Manhouce
Cidadania Portugal
Ocupação cantora, professora, folclorista
Prêmios Comendador da Ordem do Infante Dom Henrique

Isabel Gomes Silvestre ComIH (São Pedro do Sul, Manhouce, c. 4 de Março de 1946), é uma cantora portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Professora do Ensino Primário, Isabel Silvestre fundou em 1978 o Grupo Cantares e Trajes de Manhouce, com o qual gravou alguns discos. [1]

Convidada por Rão Kyao, acompanhou este músico em concertos na Alemanha, Estados Unidos da América e Canadá[1]. Mas seria em 1992, através da sua participação na música dos GNR, Pronúncia do Norte, que se daria a conhecer ao grande público.

Ao lado de nomes como Sérgio Godinho, Mão Morta, Madredeus, Delfins participou no disco de homenagem a António Variações.

O seu primeiro álbum a solo foi produzido por João Gil e composto de várias canções populares, cujas raízes remontam aos locais onde cresceu. As suas músicas são pautadas da mesma simplicidade, naturalidade e força expressiva, sugerida pela cantora. O guitarrista Mário Delgado, que co-produziu este disco, teve na realização do disco uma influência notável.

O trabalho de Isabel Silvestre parte da ideia de registar o canto de Manhouce e das terras da sua infância. Na faixa Senhora da Saúde, do álbum Eu, contou com a participação de Rão Kyao dando voz a uma nova aposta no retrato para as gerações futuras da herança tradicional da região viseense.

Participou em Pangea, o hino da Expo 98 composto por Nuno Rebelo.

Com Pedro Barroso e Vitorino, colaborou na campanha da Fenprof para colocar novamente a funcionar o sistema educativo timorense. No disco Uma Escola Para Timor, de 2000, são interpretadas canções do professor e músico Rui Moura.

Participou ainda no CD Bom Jesus - Alegria dos Homens, produzido na Ilha da Madeira, com música popular religiosa.

Em 2006 lançou o álbum Cantar Além.

Com a Banda Futrica participou numa versão de Menino do Bairro Negro, incluída no disco Com Zeca No Coração, de 2007.

Em Novembro de 2010 é editado o livro "Memória de um Povo" pela Temas & Debates [2]. O livro é acompanhado de um cd com o cantar dos reis de 1982.

Em 2015 é lançado pela Tradisom o álbum "Cânticos da Terra e da Vida". O disco inclui arranjos originais de canções tradicionais portuguesas e de "Asa de vento", com poema de Amália Rodrigues, "Chapéu de preto", de Arlindo Carvalho, e "Além, além", composto pelo seu irmão, José Gomes Silvestre. [3] Os músicos que a acompanham são José Barros, Miguel Tapadas, Catarina Anacleto, Helena Mendes, João Balão, José Manuel David, Vasco Sousa, Carlos SantaClara, Armindo Neves, Eduardo Monteiro, Chuchu Repas, Sandra Camilo, Andreia João e ainda Rão Kyao que foi convidado especial.

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

A 9 de Junho de 2005 foi feita Comendadora da Ordem do Infante D. Henrique. [2]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1996 - A portuguesa (EMI)
  • 2000 - Eu( EMI)
  • 2006 - Cantar Além (Emiliano Toste/Compact Records)
  • 2015 - Cânticos da Terra e da Vida (Tradisom)
Compilações
"Grandes Êxitos", "Eu/A Portuguesa" (2CD) - Colecção Originals, "Essencial"

Colaborações[editar | editar código-fonte]

  • GNR (1992) - Pronúncia do Norte
  • As Canções de António (1993) - Estou Além
  • Nuno Rebelo (1998) - Pangaea Hino Expo 98
  • José Barros & Navegante (1999) - Silvaninha
  • Uma Escola Para Timor (2000) -
  • Bom Jesus - Alegria dos Homens
  • Tanto Porto (2006) - Hino Do FC Porto (A Capella)
  • Banda Futrica (2007) - Menino do Bairro Negro
  • Fátima: Tradição E Fé (2010) - Súplica A Nossa Senhora Da Paz (Miraculosa Rainha Dos Céus)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

É autora dos livros: [3]

  • 1996 - Memórias de um Povo [4]
  • 1994 - Cancioneiro Popular de Manhouce [5]
  • 2006 - Doçuras de Manhouce [6]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Poeira Cósmica: Grupo Etnográfico de Cantares e Trajes do Manhouce - Cantares da Beira». Poeira Cósmica. 24 de novembro de 2008. Consultado em 15 de dezembro de 2020 
  2. «ENTIDADES NACIONAIS AGRACIADAS COM ORDENS PORTUGUESAS - Página Oficial das Ordens Honoríficas Portuguesas». www.ordens.presidencia.pt. Consultado em 15 de dezembro de 2020 
  3. «Biblioteca Nacional de Portugal». catalogo.bnportugal.pt. Consultado em 15 de dezembro de 2020 
  4. «Memória de um Povo». www.goodreads.com. Consultado em 15 de dezembro de 2020 
  5. «Mpart; música participada». anossamusica.web.ua.pt. Consultado em 15 de dezembro de 2020 
  6. «Doçuras». www.goodreads.com. Consultado em 15 de dezembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]