Jenipapo de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município de Jenipapo de Minas
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 22 de dezembro de 1995
Gentílico jenipapense [1]
Prefeito(a) Carlos José de Jesus Sena (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Jenipapo de Minas
Localização de Jenipapo de Minas em Minas Gerais
Jenipapo de Minas está localizado em: Brasil
Jenipapo de Minas
Localização de Jenipapo de Minas no Brasil
17° 04' 58" S 42° 15' 28" O17° 04' 58" S 42° 15' 28" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Jequitinhonha IBGE/2008[2]
Microrregião Capelinha IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Francisco Badaró, Araçuaí, Novo Cruzeiro e Chapada do Norte[3]
Distância até a capital 734[4] km
Características geográficas
Área 284,861 km² [5]
População 7 531 hab. Est. IBGE/2014[6]
Densidade 26,44 hab./km²
Clima tropical tropical [7]
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,618 médio PNUD/2000[8]
PIB R$ 24 603,939 mil IBGE/2008[9]
PIB per capita R$ 3 427,69 IBGE/2008[9]
Página oficial

Jenipapo de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais que faz parte do Circuito Turístico das Pedras Preciosas.

História[editar | editar código-fonte]

Jenipapo de Minas não existia no início do século XX. Contam os antigos moradores que existia na localização onde hoje se encontra a Praça Bom Pai, um antigo cemitério, onde também se encontrava enterrado o venerado "Pai Joaquim", escravo que, segundo dizem os moradores mais velhos, muito sofrera antes de morrer e a quem muitos moradores atribuem milagres e curas. Na década de 40, algumas pessoas começaram a construir suas casas em local próximo ao antigo cemitério, onde foi se constituindo o lugarejo, dentre essas pessoas David Lisboa, Manoel Rodrigues, Manoel Porfírio, Natalino Lisboa, Santos de Caldas, Terezinha Vaz, Bernardo Pinheiro, entre outros, que construiram a Capela de São Sebastião, primeira igreja da localidade, que ainda existe na referida praça. A localidade foi crescendo e a população lutou, conseguindo trazer escolas, Padres (vários párocos vieram depois á localidade e ficaram muito conhecidos como Padre Bernardino, Padre Jaime, Frei Celeste, Padre Vítor, Padre Willy, entre outros). A localidade passou a existir como distrito na décadade 60 do século passado (século XX). Jenipapo, na década de 80 era um distrito pertencente ao município de Francisco Badaró. Durante as décadas de 80 e 90 a população, através de Associações e lutas não conseguiu, durante várias tentativas, lograr êxito no desejo de ver a cidade emancipada. No entanto, foi criada uma Associação de moradores, a AMOJE, nos anos 90, que através de muita luta de seus membros fundadores conseguiu levar o então distrito a se emancipar… O resultado desta luta saiu no ano de 1997 e a cidade teve sua emancipação, quando foi também sua primeira eleição para prefeito, onde Epaminondas Sena Oliveira (Nondas de Maria do Amparo)foi eleito o primeiro prefeito do recém-criado município. Depois de Nondas foi eleito para prefeito Edson Honorato Figueiró, ex-prefeito de Francisco Badaró (cidade vizinha, da qual Jenipapo se emancipou), tendo este mandatário sido reeleito. Para sucedê-lo, elegeu-se Márlio Geraldo Costa que é o prefeito atual.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Encontro de bandas realizado em 2015

Sua população estimada em 2014 era de 7 531 habitantes.[6]

Encontra-se numa região de cerrado e está cercado por uma cadeia de pequenas montanhas das quais se destacam: o monte Alegre e Tamanduá sua flora é constituída de arvores não perenes de tronco grosso e retorcidos as principais espécies encontradas são o: ipê amarelo, ipê o roxo, o pequiseiro, o jenipapeiro (que dá nome a cidade) entre uma série de outras sua fauna é constituída de animais típicos do cerrado como o tatú, veado campeiro, tamanduás, jacarés, emas, canários, jaguatirincas e outros.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Cortado pelo rio Setúbal de porte pequeno que vem a desembocar no rio Araçuaí e posteriormente no rio Jequitinhonha O Rio Setúbal, teve no ano de 2010, inaugurada sua barragem no município de Jenipapo de Minas com o Presidente da República Luis Inácio Lula da Silva que relembrou a importância da obra para a perenização do rio e também do processo que desencadeou na construção da mesma. O presidente creditou a barragem não somente aos recursos vindos da união e do estado mas principalmente a duas mulheres, Terezinha Vaz Lisboa e Lucia Batista, que fizeram por essa barragem uma campanha que se iniciou no ano de 1991.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «IBGE Cidades@». O Brasil Município por Municipio. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 19 de agosto de 2009 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. «Jenipapo de Minas». Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Consultado em 12 de junho de 2017 
  4. «Distâncias entre Municípios de Minas e Belo Horizonte». Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais. Consultado em 12 de junho de 2017 
  5. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  6. a b «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1 de julho de 2014» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2014. Consultado em 13 de dezembro de 2014 
  7. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». World Map of the Köppen-Geiger climate classification. Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 24 de fevereiro de 2010 
  8. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  9. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.