Araçuaí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Araçuaí
  Município do Brasil  
Monumento em Araçuaí
Monumento em Araçuaí
Símbolos
Bandeira de Araçuaí
Bandeira
Brasão de armas de Araçuaí
Brasão de armas
Hino
Gentílico araçuaiense[1]
Localização
Localização de Araçuaí em Minas Gerais
Localização de Araçuaí em Minas Gerais
Mapa de Araçuaí
Coordenadas 16° 51' S 42° 04' 12" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[2] Teófilo Otoni
Região imediata[2] Araçuaí
Municípios limítrofes Virgem da Lapa, Coronel Murta, Francisco Badaró, Itinga, Jenipapo de Minas, Ponto dos Volantes, Padre Paraíso, Caraí e Novo Cruzeiro
Distância até a capital 678 km
História
Fundação 21 de setembro de 1871 (149 anos)[3]
Administração
Distritos
Prefeito(a) Armando Jardim Paixão (PT, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 2 236,279 km²
População total (estimativa IBGE/2018[1]) 36 705 hab.
Densidade 16,4 hab./km²
Clima semiárido[5] (BSh)
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 39600-000 a 39609-999[6]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,663 médio
PIB (IBGE/2016[8]) R$ 365 567,66 mil
PIB per capita (IBGE/2016[8]) R$ 9 796,28
Outras informações
Padroeiro(a) Santo Antônio[9]
Sítio www.aracuai.mg.gov.br (Prefeitura)
www.aracuai.mg.leg.br (Câmara)

Araçuaí é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se no Vale do Jequitinhonha e está situado a cerca de 678 km a nordeste da capital do estado. Ocupa uma área de 2 236,279 km² e sua população em 2018 era de 36 705 habitantes.[1]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

A origem do nome "Araçuaí" possui duas versões: segundo Auguste de Saint-Hilaire, o nome foi dado pelos paulistas ao rio, porque tinham encontrado nele grande quantidade de ouro, teriam exclamado eles: "ouro só ali", e que, desta frase se fez Araçuaí. A segunda versão afirma que possui origem tupi que significa "rio das araras vermelhas" (raçu - ave, provavelmente a arara vermelha, e hy - rio). [10]

Até ser elevado a categoria de vila, em 1857, o lugar foi chamado de Calhau, devido a grande quantidade de calhais existentes na região.[11]

História[editar | editar código-fonte]

Antes da chegada dos europeus, o atual município de Araçuaí foi habitado pelos índios tocoiós e botocudos.

O Padre Carlos Pereira de Moura havia fundado a Aldeia do Pontal, atualmente Itira. A aldeia se localizava ao lado do encontro de dois grandes rios: o Jequitinhonha e o Araçuaí. A aldeia tinha um conjunto de qualidades para evoluir para uma cidade, como o fácil acesso às canoas, mas o padre era excessivamente exigente e autoritário, proibindo ali bebidas alcoólicas e prostitutas.

Então, as meretrizes emigraram subindo o rio Araçuaí, e, os canoeiros mudaram de porto, atraídos por elas.[12]

As prostitutas foram abrigadas por Luciana Teixeira, proprietária da Fazenda da Boa Vista da Barra do Calhau, em suas terras à margem direita do ribeirão Calhau e do Araçuaí. Esse tornou-se o ponto de arribada das canoas que subiam o Jequitinhonha. Luciana iniciou um aldeamento em suas terras, em 1817.

Com o tempo, o local foi ganhando importância. Foi elevado a categoria de Sede de Distrito em 1857. Foi instalado sob a denominação Vila de Arassuahy em 1 de julho de 1871 e em 21 de setembro do mesmo ano foi elevada a categoria de cidade, com o nome de Araçuaí.

Até 1911, a cidade era a capital de todo o Nordeste de Minas. Em 1882, foi implantada a Estrada de Ferro Bahia e Minas, que ligava a cidade baiana de Caravelas a Araçuaí, sendo desativada e extinta em 1966. Com a abertura da BR-116, a cidade perdeu muito de sua importância.

Hoje, Araçuaí é considerado um centro comercial e um polo educacional do Médio Jequitinhonha.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Relação dos prefeitos e vices[editar | editar código-fonte]

Eleições diretas no Brasil em 1920
  • 1º - Franklin Fulgêncio Alves Pereira (Dentista) - 1930 a 1945
  • 2º - Odin Indiano do Brasil Americano – Juiz de Direito
  • 3° - Raul de Matos Paixão (comerciante) poucos meses
  • 4° - Mário Freitas da Silva (Advogado) até dezembro de 1946
  • 5° - Cantidio Amaral (comerciante) - Vice - prefeito: Monsenhor Clóvis Vieira da Fonseca
  • 6° - José Zaiter Tanure (comerciante) 1951 a 1954 - Vice - prefeito: Narciso Colares (Farmacêutico)
  • 7º - Geraldo da Cunha Melo (Advogado) - Vice - prefeito: Nuno Austragesilo Fernandes Murta (Fazendeiro)
  • 8° - Mucio Sévola Gonzaga Jayme (Médico) - Vice- prefeito: Tulo Hostilio Gonzaga Jayme (Advogado)
  • 9° - Geraldo da Cunha Melo (Advogado) 1963 a 1966 - Vice - prefeito: Bitenil Martins da Silva (Comerciante)
  • 10° - João Rodrigues de Oliveira (Comerciante) - Vice - prefeito: Hamilton Fernandes Murta (Fazendeiro)
  • 11° - Hamilton Fernandes Murta (Fazendeiro) 1970 a 1973 - Vice - prefeito: Ariene Chaves de Souza (Fazendeiro)
  • 12° - Nazir Tanure (comerciante) 1973 a 1976 - Vice - prefeito: Hider Jardim Tanure (Fazendeiro)
  • 13° - João Rodrigues de Oliveira 1977 a 1982 - Vice - prefeito: Mario Timo do Amaral
  • 14° - Arthur Berganholi (Médico) 1983 a 1988 - Vice - prefeito: Pedro da Costa Almeida (Fazendeiro)
  • 15° - José Cordeiro Barroso (comerciante) 1989 a 1992 - Vice - prefeito: Aécio Silva Jardim (Médico)
  • 16° - Manoel Messias Marques Dias (Médico) 1993 a 1996 - Vice - prefeito: Leonardo Santos Oliveira
  • 17° - Maria do Carmo Ferreira da Silva (Assistente Social) 1997 a 2000 - Vice - prefeito: José Antônio Martins (Comerciante)
  • 18° - Maria do Carmo Ferreira da Silva 2001 a 2004 - Vice - prefeito: José Antônio Martins
  • 19° - José Antônio Martins (Comerciante) 2004 a 2008 - Vice - prefeito: Armando Paixão (Médico)
  • 20° - Aécio Silva Jardim (Médico) 2009 a 2012 - Vice - prefeito: Leonardo Santos Oliveira
  • 21° - Armando Paixão (Médico) 2013 a 2016 - Vice - prefeita: Rita Capdeville (Médica Pediatra)

Administração atual[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[13] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Teófilo Otoni e Imediata de Araçuaí.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Araçuaí, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Jequitinhonha.[14]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Seu clima é semiárido ao úmido com total pluviométrico anual de 755 milímetros(mm) distribuídos irregularmente ao longo do ano as chuvas concentram-se no período de outubro a março com pouca variação a temperatura média anual fica ao redor de 25° a 37° a umidade relativa do ar vária de 60% a 80%.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1978, 1980 a 1985 e a partir de 1987, a menor temperatura registrada em Araçuaí foi de 6,5 °C nos dias 23 e 30 de julho de 1962,[15] mas o recorde mínimo absoluto desde 1918 foi de 1,8 °C em 12 de julho de 1927.[16] Já a maior temperatura atingiu 44,0 °C em 8 de outubro de 2020.[17] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 129,1 milímetros (mm) em 7 de dezembro de 2000. Outros grandes acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram: 108,4 mm em 4 de dezembro de 1983, 106,3 mm em 24 de fevereiro de 1968, 105 mm em 25 de novembro de 1996, 103,6 mm em 29 de novembro de 1987 e 13 de novembro de 2000 e 100,9 mm em 5 de novembro de 2002.[18] Dezembro de 1989, com 459 mm, foi o mês de maior precipitação.[19] O menor índice de umidade relativa do ar foi de 13%, registrado nas tardes dos dias 6 de setembro, 3 de novembro e 4 de novembro de 2008.[20]

Dados climatológicos para Araçuaí
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 41,2 41,6 40,6 39 38,6 36,6 36,2 38,5 41,2 44 42 41,7 44
Temperatura máxima média (°C) 33,4 34,4 33,3 32,2 30,8 29,5 29,4 30,5 32,3 33,5 32 32,1 32
Temperatura média compensada (°C) 26,5 27,1 26,4 25,5 23,7 22,2 21,9 23,2 25,3 26,8 26 25,8 25
Temperatura mínima média (°C) 21,5 21,7 21,6 20,5 18,2 16,4 15,9 16,9 19,6 21,5 21,6 21,5 19,7
Temperatura mínima recorde (°C) 15,4 16,4 13 11 8 6,6 6,5 6,6 10 13,2 13,7 16,4 6,5
Precipitação (mm) 109,3 78,2 110,2 30,7 15,6 3,5 4,6 6,6 13,9 58 154,3 170,2 755,8
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 8 6 9 4 2 1 1 1 1 5 10 12 60
Umidade relativa compensada (%) 66,8 62,4 66 64,4 64 62 58,9 55,5 53,7 55,9 65,5 70,4 62,1
Horas de sol 220 210,9 188,9 175,2 183,1 177,3 189 194,2 175,8 190,8 169,6 181,1 2 255,9
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[21] recordes
de temperatura: 01/01/1961 a 31/12/1978, 01/01/1980 a 31/12/1985 e 01/01/1987-presente)[15][22][23][17]

Educação[editar | editar código-fonte]

  • Colégio Nazareth
  • Escola Infantil Teixeira e Miranda (Escola Infantil Primeiros Passos)
  • Educminas
  • Instituto Educacional Antônio Cosenza Leite (INEACLE)
  • Instituto Educacional Ômega
  • Instituto Federal do Norte de Minas Gerais
  • Escola Estadual Industrial São José
  • Escola Estadual Frei Rogato
  • Escola Estadual Dom José de Haas
  • Escola Estadual Hilário Pinheiro Jardim
  • Escola Estadual Professor Leopoldo Pereira
  • Escola Estadual Arthur Berganholi
  • Escola Estadual Professora Aparecida Dutra
  • Escola Estadual Isaltina Cajubi Fulgêncio
  • Escola Família Agroecológica de Araçuaí( EFA ARAÇUAÍ )

Referências

  1. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Araçuaí». Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 20 de março de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Araçuaí - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 1 de novembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 1 de novembro de 2013 
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Araçuaí - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 20 de março de 2019 
  5. http://www.sudene.gov.br/delimitacao-do-semiarido  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  6. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  7. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  8. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 20 de março de 2019 
  9. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 4. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  10. «IBGE | Biblioteca». biblioteca.ibge.gov.br. Consultado em 4 de julho de 2020 
  11. «Portal IFNMG - Historia da cidade de Araçuai». www.ifnmg.edu.br. Consultado em 4 de julho de 2020 
  12. Comunicação, Assessoria de. «AraçuaÍ - Conheça nossa História, nossa Origem.». Prefeitura Municipal Araçuaí. Consultado em 4 de julho de 2020 
  13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 30 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2017 
  14. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 30 de outubro de 2017 
  15. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Araçuaí». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  16. Fundação João Pinheiro (1994). «Anuário Estatístico de Minas Gerais 1990-1993». Belo Horizonte (MG). Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral. 8: 54–55. ISSN 0101-7918. Consultado em 20 de março de 2019. Cópia arquivada em 20 de março de 2019 
  17. a b INMET. «Gráficos». Consultado em 10 de outubro de 2020 
  18. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Araçuaí». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  19. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Araçuaí». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  20. «BDMEP - série histórica - dados horários - umidade relativa (%) - Araçuaí». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  21. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 8 de julho de 2018 
  22. «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Araçuaí». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  23. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Estação: Araçuaí 83442». Consultado em 10 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Araçuaí