Itinga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Itinga
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Itinga
Bandeira
Brasão de armas de Itinga
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Terra do Granito"
" Capital Mundial do Lítio"
Gentílico itinguense[1]
Localização
Localização de Itinga em Minas Gerais
Localização de Itinga em Minas Gerais
Mapa de Itinga
Coordenadas 16° 36' 46" S 41° 45' 54" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[2] Teófilo Otoni
Região imediata[2] Araçuaí
Municípios limítrofes Araçuaí, Itaobim, Rubelita, Medina, Ponto dos Volantes, Comercinho e Coronel Murta.
Distância até a capital 670 km
História
Fundação 10 de agosto de 1810
Emancipação 31 de dezembro de 1943 (76 anos)
Administração
Distritos
Prefeito(a) Adhemar Marcos Filho (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 1 649,622 km²
População total (estatísticas IBGE/2020[1]) 15 022 hab.
Densidade 9,1 hab./km²
Clima semiárido[4] (BSh)
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 39610-000 a 39614-999[5]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[6]) 0,600 médio
PIB (IBGE/2016[7]) R$ 120 925,23 mil
PIB per capita (IBGE/2016[7]) R$ 8 006,17
Outras informações
Padroeiro(a) Santo Antônio[8]
Sítio www.itinga.mg.gov.br (Prefeitura)
www.itinga.cam.mg.gov.br (Câmara)

Itinga é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se no Vale do Jequitinhonha e sua população em 2020 era de 15 022 habitantes.[9]

Com uma área de 1 649,622 km², encontra-se em uma região de relevos, onde é influenciada por um clima úmido e quente no verão, seco e frio no inverno.

O município é grande explorador de granito de alta qualidade, de onde é exportado para outros países. Recentemente foi descoberta uma das maiores jazidas de lítio do mundo, que será explorada pela Sigma Mineração, onde será exportado, gerando renda e empregos para toda a região.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Itinga" é um termo de origem tupi que significa "água branca", através da junção dos termos 'y ("água") e ting ("branco")[10].

História[editar | editar código-fonte]

As terras onde hoje se encontra o município de Itinga foram habitadas pelos índios botocudos. Inscrições rupestres desses grupos são encontradas em cavernas existentes no município.[11]

O primeiro explorador a desbravar o Vale do Jequitinhonha foi Francisco Bruza Espinosa em 1553, acompanhado do padre jesuíta João de Azpilcueta Navarro. A expedição chegou a Serra do Espinhaço. Outra expedição, a de Sebastião Fernandes Tourinho em 1573, partiu em busca de minerais, passando pelo rio Araçuaí. Nessa época, as terras onde hoje se encontra Itinga pertenciam a Minas Novas e faziam parte da capitania da Bahia.

Em 1735, são doadas sessões de sesmarias a família Murta, abrangendo as terras onde hoje é o município de Itinga.

Foi somente em 1810 a instalação da 7.ª Divisão Militar às margens do rio Jequitinhonha, sob o comando do alferes Julião Fernandes Leão. A partir de então, criaram vários quartéis militares, entre eles o da Água Branca, onde hoje se localiza Itinga.

Em 1825, o capitão Martiniano Antunes de Oliveira fixou residência no quartel da Água Branca, e, junto a ele, outros donos de terra deram início ao povoamento não-índio na área. Contribuíram para a criação de uma capela em 1842 e, posteriormente, da Igreja de Santo Antônio da Itinga. Com isso, muitas famílias instalaram-se naquele lugar, tornando-o um arraial, tendo sido, após alguns anos, elevado à freguesia e, posteriormente, se tornado uma vila pertencente ao então recém-criado município de Araçuaí em 1871.

A ocupação da área se intensificou propiciada pela sua localização, às margens do rio Jequitinhonha, onde havia intensa circulação das tropas do sertão. Tornou-se o ponto de encontro entre caneiros e tropeiros, tendo ali se estabelecido intenso comércio. A principal atividade era o cultivo de algodão.

Em 1880, construiu-se uma fábrica de tecidos para aproveitar a grande produção de algodão, a fábrica tornou-se a principal fonte de renda da vila, a única indústria têxtil dentro do que hoje corresponde ao médio Jequitinhonha e uma das mais importantes do norte e nordeste de Minas, mas foi desativada em 1928.

Em 1891, se tornou distrito de Araçuaí, com o nome de Itinga.

Em 31 de dezembro de 1943, Itinga se tornou município.[12]

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[13] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Teófilo Otoni e Imediata de Araçuaí.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Araçuaí, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Jequitinhonha.[14]

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Seu clima é semi-árido com total pluviométrico anual é compreendido em 600mm em períodos irregularmente ao longo do ano. As chuvas concentram-se no período de outubro a março, sendo o trimestre dezembro/fevereiro responsável por mais de 50% da chuva total. Com pouca variação, a temperatura média anual fica ao redor de 21 °C a 35 °C. O mês mais quente é fevereiro e o mais frio junho. A umidade relativa do ar varia de 60% e 80%.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Jequitinhonha, Rio Itinguinha, Ribeirão Piauí, Córrego Pasmado, Córrego Jenipapo, Córrego da Água Fria, Córrego dos Veados, Córrego Corrente, Córrego Teixeira e Córrego Teixeirinha.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a população de Itinga foi contada em 14.407 habitantes com uma estimativa em 2020 de 15.022 habitantes. Segundo o censo, há 7.352 homens e 7.055 mulheres.

Religião[editar | editar código-fonte]

Na cidade, existem muitas manifestações religiosas presentes na cidade. Segundo o censo, há 12.476 católicos e 1.582 evangélicos.

Distritos e povoados[editar | editar código-fonte]

O município tem 2 principais povoados, do Pasmadinho e da Ponte do Pasmado.

Há ainda os distritos de Jacaré e de Taquaral de Minas.

Há várias comunidades: Piauí, Humaitá, Laranjeiras, Córrego dos Veados, Teixeirinha 1 e 2, Campo Queimado, Itinguinha, Corrente. Água Fria, Capão, Gangorra, Campestre, São Bento, Olhos D'água, Santo Antonio das Pindobas, Jenipapo, Lagoa Escura, entre outros.

Administração atual[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Terra do grande ceramista Ulisses Mendes, o cronista do vale do Jequitinhonha. O mestre retrata a vida do sertanejo no vale em suas obras de cerâmica que atualmente são reconhecidas em tudo mundo[15]. Suas terras são ricas em minério, setor atrativo de empresas que buscam granito. No povoado do Pasmadinho há a produção artesanal de artefatos de cerâmica, como panelas, potes, cofrinhos, entre outros artesanatos que são comercializados às margens da BR-367.

Itinga possui um dos subsolos mais ricos em minérios da região, além da produção de rochas ornamentais, a turmalina é a pedra preciosa que impulsiona o comércio de algumas comunidades do município, sendo que Taquaral, as margens da BR 367, com vários garimpos, destaca-se como principal ponto de comércio de pedras preciosas no município de Itinga.

O município também se destaca no cenário cultural por realizar o melhor carnaval do médio Jequitinhonha e ótimas festas religiosas que anualmente atrai muitos visitantes a cidade, sendo destaques a festa do padroeiro da cidade, Santo Antônio em 13 de junho, na sede, a festa de São Pedro nos dias finais do mês de junho em Taquaral e tradicional festa de Nossa Senhora D`Ajuda no bairro Porto Alegre, que se inicia no princípio de setembro e finalizar na data de 8 de setembro. Conhecida com festa de 7 de setembro, a festa de Nossa Senhora D`Ajuda é a principal festa de Itinga.

Esportes[editar | editar código-fonte]

O esporte mais popular de Itinga é o futebol. Na cidade há vários clubes pequenos de futebol, se destacando o Itinga Sport Club, fundado em 1930, atualmente extinto, o Bodão Esporte Clube, o Meridional Futebol clube, o TFC (Taquaral Futsal Clube), Monte Castelo entre outros. Há também estádios e ginásios de futebol, o Ginásio Poliesportivo Amarildo de Menezes, o Estádio Carecão e muitos outros. Itinga também possui outros esportes, como o voleibol, o futsal.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Itinga». Consultado em 6 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 3 de abril de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. Instituto de Geoinformação e Tecnologia (IGTEC) (30 de junho de 2017). «Relação de 1727 Distritos de Minas Gerais, sendo 853 Distritos Sedes Municipais». Fundação João Pinheiro (FJP). p. 70. Consultado em 6 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2018 
  4. «Clima Itinga». Consultado em 18 de julho de 2019 
  5. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  6. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 6 de setembro de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  7. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 3 de abril de 2019. Cópia arquivada em 3 de abril de 2019 
  8. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 5. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  9. «Itinga (MG) | Cidades e Estados | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  10. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  11. PINTO, Jô (2009). Memórias de Itinga. [S.l.: s.n.] p. 42 
  12. PINTO, Jô (2009). Memórias de Itinga. [S.l.: s.n.] p. 55 
  13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 6 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 6 de setembro de 2018 
  14. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 6 de setembro de 2018 
  15. Arte no Vale

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Itinga
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.