João Gualberto de Barros e Cunha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde maio de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
João de Barros e Cunha.

João Gualberto de Barros e Cunha (Torres Vedras, Runa, 10 de Outubro de 1827Torres Vedras, Runa, 10 de Janeiro de 1882) foi um jornalista, político e grande proprietário.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Entre outras funções, foi Deputado às Cortes da Monarquia Constitucional Portuguesa, eleito pelo círculo de Vila Franca de Xira, e Ministro das Obras Públicas, Comércio e Indústria de Portugal de 5 de Março de 1877 a 29 de Janeiro de 1878.[1]

Foi apoiante do Duque de Loulé durante a Patuleia e um dos progressistas oriundos do Partido Histórico que se assumiram como avilista.

Foi Ministro das Obras Públicas, Comércio e Indústria no governo do Duque de Ávila, entre 5 de Março de 1877 e 29 de Janeiro de 1878. Durante este período foi fortemente atacado pelos regeneradores.[1]

Nas eleições de 13 de Novembro de 1878 foi eleito deputado pelo círculo Lisboa, já como avilista, derrotando o republicano José Elias Garcia, então apoiado pelo Partido Regenerador.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Entre muitas outras obras publicadas é autor das seguintes monografias:

  • História da Liberdade em Portugal, Lisboa, 1869;
  • Os Factos (1870)(eBook);
  • Relatório apresentado à Câmara dos Srs. Deputados da Nação Portuguesa na sessão de 1878 pelo Ministro e Secretário de Estado das Obras Públicas, Comércio e Indústria (1878).

Notas