Juan del Encina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Juan del Encina
Nascimento 12 de julho de 1468
Fermoselle
Morte 1529 (61 anos)
Leão
Cidadania Espanha
Alma mater Universidade de Salamanca
Ocupação poeta, dramaturgo, compositor, escritor
Religião Igreja Católica

Juan del Encina (Fermoselle, 12 de julho de 1468Leão, 30 de agosto de 1529) foi um poeta espanhol que, segundo diversos autores, compartilha a paternidade do teatro ibérico com Gil Vicente. Grande humanista, músico e cantor, a maior parte da sua obra lírica, escrita antes de 1500 foi escrita com a intenção de ser cantada. A sua poesia divide-se entre a profana e a sagrada, considerando a generalidade dos críticos que a primeira se sobrepõe à segunda em termos de inspiração. É caracterizado por um certo gosto popular e muita imaginação.

O seu apelido advém da cidade de onde nasceu, La Encina, perto de Ledesma.

Esteve ao serviço do Duque de Alba. Viveu em Itália, onde cantou para o Papa Leão X. De volta a Espanha, foi nomeado arcediago em Málaga. Em 1519 foi a Jerusalém, onde disse missa no Monte Sinai. Crê-se que tenha morrido em Leão.

Algumas obras[editar | editar código-fonte]

  • Triunfo de la fama (1492)
  • Cancionero (1496)
  • Tan buen ganadico (1496)
  • Más vale trocar (1496)
  • Plácida y Victoriano (1513)
  • Églogas