Juliusz Słowacki

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Juliusz Słowacki
Nascimento 4 de setembro de 1809
Kremenets
Morte 3 de abril de 1849 (39 anos)
Paris
Sepultamento Cemitério de Montmartre, Catedral de Wawel
Cidadania Polónia
Etnia Polacos
Progenitores
  • Euzebiusz Słowacki
  • Salomea Slowacka
Alma mater
Ocupação poeta, diplomata, tradutor, dramaturgo, escritor, filósofo,
Empregador Universidade de Vilnius
Obras destacadas Kordian, Balladyna
Causa da morte tuberculose
Assinatura
Juliusz Słowacki signature 1.svg

Juliusz Słowacki (Krzemieniec, 4 de setembro de 1809Paris, 3 de abril de 1849) foi um poeta e dramaturgo polonês.

Vida[editar | editar código-fonte]

Foi um poeta romântico polonês. Ele é considerado um dos "Três Bardos" da literatura polonesa - uma figura importante no período romântico polonês e o pai do drama polonês moderno. Suas obras geralmente apresentam elementos de tradições pagãs eslavas, história polonesa, misticismo e orientalismo. Seu estilo inclui o emprego de neologismos e ironia. Seu gênero principal era o drama, mas ele também escreveu poesia lírica. Suas obras mais populares incluem os dramas Kordian e Balladyna e os poemas Beniowski, Testament mój e Anhelli.

Słowacki passou sua juventude nas "Terras Roubadas", em Kremenets (polonês: Krzemieniec; agora na Ucrânia) e Vilnius (polonês: Wilno, na Lituânia). Ele trabalhou brevemente para o governo do Reino da Polônia. Durante a Revolta de novembro de 1830, ele foi um mensageiro do governo revolucionário polonês. Quando a revolta terminou em derrota, ele se viu no exterior e depois, como muitos compatriotas, viveu a vida de um emigrado. Ele se estabeleceu brevemente em Paris, França, e mais tarde em Genebra, Suíça. Ele também viajou pela Itália, Grécia e Oriente Médio. Eventualmente, ele voltou para Paris, onde passou a última década de sua vida. Ele retornou brevemente à Polônia quando outro levante estourou durante a Primavera das Nações (1848).[1][2][3][4][5][6]

Trabalhos selecionados[editar | editar código-fonte]

Drama[editar | editar código-fonte]

  • Balladyna (1834, publicado em 1839, realizado em 1862)
  • Fantazy (1841, publicado em 1866, realizado em 1867)
  • Horsztyński (1835, publicado em 1866, encenado em 1871)
  • Kordian (1833, publicado em 1834, realizado em 1899)
  • Ksiądz Marek (Padre Marek, 1843, publicado no mesmo ano, realizado em 1901)
  • Książę niezłomny ( O Príncipe Constante, em homenagem a Pedro Calderón de la Barca, 1843, publicado em 1844, realizado em 1874)
  • Lilla Weneda (1839, publicado em 1840, realizado em 1863)
  • Maria Stuart (1830, atuação em 1862)
  • Mazepa (1839, publicado em 1840, realizado em húngaro em 1847, realizado em polonês em 1851)
  • Sen srebny Salomei (The Silver Dream of Salomea, 1843, publicado em 1844, realizado em 1900)
  • Samuel Zborowski (1845, publicado em 1903, encenado em 1911

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Anhelli (1838)
  • Arab (1830)
  • Lambro, powstańca grecki (Lambro, um insurgente grego, 1833)
  • Beniowski (1841-1846)
  • Genezis z Ducha (Gênesis do Espírito, 1844)
  • Godzina myśli (Uma hora de pensamento, 1832-1833)
  • Hugo. Powieść krzyżacka (Hugo. Teutonic Order Novel, 1830)
  • Król-Duch (O Rei dos Espíritos, partes publicadas em 1847, publicado na íntegra em 1925)
  • Ojciec zadżumionych (O Pai do Atingido pela Peste, 1838)
  • Podróż do ziemi świętej ("Viagem à Terra Santa", 1866)
  • Testament mój (My Last Will, 1839-1840)
  • W Szwajcarii (na Suíça, 1835, publicado em 1839)
  • Wacław (1838)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «"Z MONTMARTRE NA WAWEL: W 200. rocznicę urodzin i 160. rocznicę śmierci Juliusza Słowackiego"» (PDF). web.archive.org. 27 de setembro de 2011. Consultado em 5 de setembro de 2021 
  2. «CBN Polona». web.archive.org. 28 de junho de 2011. Consultado em 5 de setembro de 2021 
  3. Makowski, Stanisław; Sudolski, Zbigniew (1967). W kręgu rodziny i przyjaciół Słowackiego: szkice i materiały (em polaco). [S.l.]: Państw. Instytut Wydawn 
  4. Halina Gacowa (2000). Juliusz Słowacki (em polonês). Zakład Narodowy im. Ossolińskich Wydawn. p. 17. ISBN 978-83-04-04555-2
  5. Hertz, Paweł (1969). Portret Słowackiego (em polaco). [S.l.]: Państwowy Instytut Wydawniczy 
  6. Warner, Charles Dudley; Mabie, Hamilton Wright; Runkle, Lucia Isabella Gilbert; Warner, George Henry (1902). Library of the World's Best Literature, Ancient and Modern (em inglês). [S.l.]: J. A. Hill 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Juliusz Słowacki
Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.