Killzone: Liberation

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Killzone: Liberation
Desenvolvedora(s) Guerrilla Games
Publicadora(s) Sony Computer Entertainment
Diretor(es) Mathijs de Jonge
Produtor(es) Steven Ter Heide
Projetista(s) Mathijs de Jonge
Escritor(es) Philip Lawrence
Dennis Zopfi
Mathijs de Jonge
Programador(es) Frank Compagner
Artista(s) Arjen Bokhoven
Compositor(es) Joris de Man
Série Killzone
Plataforma(s) PlayStation Portable
Lançamento
  • AN 31 de outubro de 2006
  • EU 3 de novembro de 2006
Gênero(s) Shoot 'em up
Modos de jogo Um jogador
Multijogador
Killzone
Killzone 2

Killzone: Liberation é um jogo eletrônico de tiro em terceira pessoa sequência direta de Killzone.[1] Killzone: Liberation foi lançado exclusivamente para a PlayStation Portable em 31 de Outubro de 2006 na América do Norte e 3 de Novembro na Europa distribuído pela Sony Computer Entertainment. Em 5 de Março de 2009 o jogo foi avaliado para download na PlayStation Store.

História[editar | editar código-fonte]

Dois meses após o primeiro Killzone, os helghast foram abordados num pesado golpe, mas a guerra está longe de acabar. O inimigo ainda controla grande parte do planeta Vekta e embora as tropas I.S.A. estejam lutando arduamente, estão perdendo cada vez mais territórios. O Imperador Helghast, Scolar Visari, contratou Armin Metrac para fortalecer ainda mais sua posição. Controlando Jan Templar, os jogadores serão enviados em uma operação para salvar reféns capturados por Metrac, enquanto as tropas da I.S.A. continuam lutando para manter seus territórios. São 5 capítulos divididos em 4 fases onde os jogadores deverão eliminar a resistência Helghast.

Referências

  1. «Killzone: Liberation» (em inglês). Metacritic. Consultado em 28 de novembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.