Tiroteio em manifestação de Kenosha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Kyle Rittenhouse)
Tiroteio em manifestação de Kenosha
Guardas nacionais fazem a proteção da cidade após os incidentes e os motins públicos
Data 25 de agosto de 2020
Local Kenosha, Wisconsin,  Estados Unidos
Tipo Tiroteio
Causa Não concordância com os protestos ocorridos e/ou legitima defesa
Mortes 2
Lesões não fatais 1
Acusado(s) Kyle Howard Rittenhouse
Julgamento Absolvido de todas as acusações.

O tiroteio em uma manifestação de Kenosha nos Estados Unidos no dia de 25 de agosto de 2020, foi um tiroteio em meio aos protestos do Black Lives Matter em Kenosha, Wisconsin, após o tiro policial contra Jacob Blake, Kyle Howard Rittenhouse, um jovem de 17 anos de Antioch, Illinois, atirou e matou dois homens e feriu outro no braço durante os confrontos em dois locais.[1][2] Ele estava armado com um rifle semi-automático[3][4] AR-15,[5][6] e o indivíduo ferido por Rittenhouse também estava armado com uma arma de fogo.[7] Rittenhouse disse que estava ali para proteger uma concessionária de carros de ser vandalizada e para fornecer ajuda médica.[8][9]

No primeiro local, Rittenhouse foi perseguido por um grupo, incluindo o residente de Kenosha Joseph Rosenbaum.[10] Um tiro foi disparado para o ar por uma terceira pessoa[11] e, de acordo com uma testemunha, um Rosenbaum desarmado se lançou contra Rittenhouse e tentou pegar seu rifle.[4] Rittenhouse disparou quatro vezes em Rosenbaum, atingindo-o na virilha, na mão e na coxa, na cabeça e nas costas.[3] Com uma pelve fraturada, fígado e pulmão direito perfurados,[12] Rosenbaum morreu logo depois.[13]

No segundo local, depois que Rittenhouse tropeçou enquanto fugia, ele atirou duas vezes contra um homem não identificado que o chutou.[14][15] Os manifestantes se aproximaram de Rittenhouse enquanto ele ainda estava no chão, e Anthony M. Huber, residente de Silver Lake, atingiu Rittenhouse com um skate e lutou para controlar o rifle. Rittenhouse disparou contra Huber uma vez, com um tiro fatal no peito.[16][12] Gaige Grosskreutz, residente de West Allis[17][6] que disse pensar que Rittenhouse era um atirador ativo, abordou Rittenhouse enquanto apontava uma arma para ele; Rittenhouse atirou nele uma vez no braço direito, cortando o músculo bíceps de Grosskreutz.[16][18][6][19][20][21]

Rittenhouse foi preso e recebeu diversas denúncias de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e violação do toque de recolher.[22] Um homem de 19 anos foi preso e acusado de fornecer ilegalmente o rifle de Rittenhouse.[23] Um homem de 36 anos foi acusado de conduta desordeira com uso de arma perigosa e incêndio criminoso após admitir que disparou o tiro inicial para o ar.[11] Os advogados de Rittenhouse dizem que ele agiu em legítima defesa ao ouvir a descarga de arma de fogo e em resposta aos confrontos físicos dos manifestantes.[1] O sentimento público e a cobertura da mídia sobre os tiroteios foram polarizados.[24] O julgamento de Rittenhouse começou em 1º de novembro de 2021, em Kenosha.[25]

Rittenhouse foi inocentado de todas as acusações em 19 de Novembro de 2021.[26] Kyle e os três atingidos eram todos brancos,[27] apesar disso, alguns veículos de comunicação disseram, erroneamente, que os atingidos eram negros.[28][29]

Contexto[editar | editar código-fonte]

Em 23 de agosto de 2020, Jacob Blake, um homem afro-americano, foi baleado quatro vezes nas costas por um policial de Kenosha depois de ser eletrocutado.[30][31][32] Blake foi baleado depois de abrir a porta de um SUV e estava encostado no veículo.[33][34][35] Ele está paralisado da cintura para baixo.[36][37] O tiroteio policial foi seguido por protestos como parte do movimento Black Lives Matter, que viu um ressurgimento na sequência de vários outros assassinatos de alto perfil cometidos por policiais em 2020. Os protestos de Kenosha incluíram comícios, passeatas, danos materiais, incêndios criminosos e confrontos com a polícia.[38]

Em resposta aos protestos de George Floyd, que precederam os protestos de Kenosha, o ex-vereador de Kenosha Kevin Mathewson anunciou a formação de um grupo de milícia que ele chamou de "Kenosha Guard". Em 25 de agosto, ele fez uma chamada no Facebook para "patriotas dispostos a pegar em armas e defender (Kenosha) dos bandidos malignos", que recebeu uma forte resposta online, com mais de mil pessoas afirmando que iriam até o evento.[39] Rittenhouse não fazia parte deste grupo.[40] O prefeito de Kenosha, John Antaramian, e o xerife do condado David Beth expressaram sua desaprovação aos civis armados que patrulham as ruas,[41] enquanto policiais foram vistos em um vídeo dando-lhes água e dizendo: "Agradecemos a vocês, realmente agradecemos."[42] Mais tarde, o xerife Beth disse que antes dos protestos de terça-feira à noite, um grupo de indivíduos armados pediu-lhe que os delegasse para que pudessem patrulhar a cidade de Kenosha, o que ele recusou. Ele disse não saber se Rittenhouse fazia parte do grupo, mas a possibilidade de um incidente foi o motivo de ele ter recusado o pedido.[43]

Quatro meses antes do tiroteio, um amigo de Rittenhouse, Dominick Black, comprou um fuzil semiautomático[44] modelo AR-15[45] como um favor para ele em Wisconsin, pois Rittenhouse era jovem demais para comprar e possuir uma arma.[46][47] O padrasto de Black manteve o fuzil guardado em um cofre trancado em sua casa em Kenosha, mas moveu a arma para um local não trancado em seu porão no dia 24 de agosto,[48] o segundo dia dos protestos em Kenosha, para o caso de uma invasão.[49][50]

Kyle Rittenhouse[editar | editar código-fonte]

Rittenhouse nasceu em 3 de janeiro em 2003 na cidade de Anitoch, em Ilinois.[51][52] cidade vizinha de Kenosha, onde seu pai morava.[53] Ele havia trabalhado como salva-vidas em Kenosha, fazia parte de um programa de exploração policial e conhecia RCP e suporte básico de vida.[53]

Na época dos distúrbios em Kenosha, Rittenhouse, então com 17 anos, havia participado de programas de cadetes da polícia local e expressou apoio nas redes sociais ao movimento Blue Lives Matter e à aplicação da lei.[54][5][55] Na época, Rittenhouse morava na cidade onde nasceu, a cerca de 30 quilômetros de Kenosha.[14][5] Em 24 de agosto, Rittenhouse dirigiu para Kenosha para ficar com seu amigo Dominick Black.[56][57] No dia seguinte, 25 de agosto, Rittenhouse ajudou a limpar pichações de uma escola.[58]

De acordo com seus advogados, depois que Rittenhouse ouviu sobre um empresário local que queria ajuda para defender sua concessionária de automóveis, ele e seu amigo Dominick David Black "se armaram com rifles" e foram para o negócio.[59] Relatos divergem sobre se a ajuda de Rittenhouse e Black foi solicitada pela concessionária. Os filhos do proprietário da concessionária negaram que atiradores tivessem sido solicitados a defender o negócio,[60][61] mas várias testemunhas declararam que indivíduos armados foram procurados diretamente pelo negócio para proteger sua propriedade.[62] A concessionária havia sofrido US $ 1,5 milhão em danos incendiários na noite anterior.[63][64] Quando Richie McGinniss, repórter do The Daily Caller, perguntou a Rittenhouse por que ele estava na concessionária, ele respondeu: "Então, as pessoas estão se machucando e nosso trabalho é proteger esse negócio. Parte do meu trabalho também é ajudar as pessoas. Se há alguém ferido, estou correndo para o perigo. É por isso que tenho meu rifle, porque tenho que me proteger, obviamente. Eu também tenho meu kit médico." Em algum momento, Rittenhouse deixou a concessionária e foi impedido pela polícia de retornar.[65]

Nas horas que antecederam o tiroteio, Rittenhouse apareceu em vários vídeos feitos por manifestantes e transeuntes, incluindo em duas entrevistas: uma por um locutor na concessionária de automóveis onde ele e vários outros homens armados haviam se estacionado, o outro por McGinniss.[65] Rittenhouse foi visto conversando com policiais,[65][66] e oferecendo ajuda médica aos feridos.[65] Alguns dos homens na concessionária eram filiados ao grupo de milícia "Kenosha Guard",[67] mas negaram qualquer afiliação com Rittenhouse, e seu líder disse que nunca o conheceu ou se comunicou com ele.[68]

Sequência de eventos[editar | editar código-fonte]

O local na 60th com a Sheridan, onde Anthony Huber morreu

Eventos que levaram ao tiroteio[editar | editar código-fonte]

Durante o dia 25 de agosto de 2020, tumultos e protestos pacíficos[65][69] em Kenosha foram seguidos de caos, onde manifestantes, civis armados e outros se enfrentaram à noite e contra a polícia.[65][69] O tiroteio ocorreu pouco antes da meia-noite ao longo da Sheridan Road em Kenosha, depois que os manifestantes foram removidos do Civic Center Park após confrontos com as autoridades.[7]

O início do primeiro confronto entre Rittenhouse e Rosenbaum foi testemunhado por McGinniss, a quem parecia que Rosenbaum e outros manifestantes se moviam em direção a Rittenhouse, que tentava evitá-los; Rosenbaum então tentou envolver Rittenhouse, que conseguiu evitar isso fugindo.[12][70] Rittenhouse testemunhou no julgamento que Rosenbaum havia ameaçado matá-lo.[71] Imagens infravermelhas do FBI obtidas de um avião captaram o tiroteio de Rosenbaum e os eventos imediatamente anteriores.[72][73]

O restante do confronto de Rosenbaum e os seguintes incidentes com Huber e Grosskreutz foram registrados em imagens de celulares de vários ângulos, incluindo os momentos do tiroteio.[74] Imagens de vídeo mostraram Rittenhouse sendo perseguido em um estacionamento por Rosenbaum,[65] que jogou um saco plástico[12] na direção de Rittenhouse.[75][70] Um espectador atirou para o ar por motivos obscuros.[76] Rittenhouse parou de correr e se voltou para o som do tiro.[65] Rittenhouse testemunhou no julgamento que antes de ser perseguido por Rosenbaum, ele ouviu outro homem dizer a Rosenbaum para "pegá-lo e matá-lo", mas também sabia que Rosenbaum estava desarmado.[71] Rittenhouse testemunhou que apontou sua arma para Rosenbaum para impedi-lo de persegui-lo ainda mais.[71]

De acordo com os promotores do condado de Kenosha, Rosenbaum contratou Rittenhouse e tentou tirar seu rifle dele.[77][78][13] Rittenhouse disparou quatro tiros, acertando Rosenbaum na virilha, nas costas e na mão esquerda. As balas fraturaram a pélvis de Rosenbaum, perfuraram seu pulmão direito e fígado e causaram ferimentos leves adicionais na coxa esquerda e na testa.[79] McGinniss começou a administrar os primeiros socorros a Rosenbaum. Rittenhouse começou a fugir e, de acordo com os detetives, foi ouvido dizendo "Acabei de matar alguém" em seu celular enquanto corria.[13] Rosenbaum morreu pouco depois.[79]

Segundo grande confronto[editar | editar código-fonte]

O vídeo de outro ângulo mostrou Rittenhouse sendo perseguido na rua por vários manifestantes, um dos quais supostamente o golpeou por trás na cabeça, arrancando seu boné,[80] logo depois que Rittenhouse tropeçou e caiu no chão.[81] De acordo com a denúncia criminal, naquele momento, os manifestantes foram ouvidos em dois vídeos diferentes gritando "Bata nele!", "Pega ele! Pega aquele cara !, "e" Pega a bunda dele! "[12] Um dos homens que o perseguia saltou e chutou Rittenhouse enquanto ele ainda estava no chão – Rittenhouse disparou duas vezes, mas errou o homem não identificado.[14][82]

Em seguida, de acordo com registros do tribunal e imagens de vídeo, outro manifestante, Anthony Huber, "fez contato" com o ombro esquerdo de Rittenhouse com um skate enquanto os dois lutavam para controlar a arma.[16][12][83] Enquanto Huber puxava o rifle, Rittenhouse disparou uma vez, acertando Huber no peito, perfurando seu coração e pulmão direito, causando sua morte rápida.[12][84]

Terceiro grande confronto e saída de Rittenhouse[editar | editar código-fonte]

Gaige Grosskreutz, que testemunhou que acreditava que Rittenhouse era um atirador ativo,[85] abordou Rittenhouse enquanto ele ainda estava no chão, mas parou e ergueu as mãos quando Huber foi baleado. Uma queixa apresentada pelo Cartório de Tribunais do Condado de Kenosha afirmou que Grosskreutz parecia estar segurando uma arma,[86] que Grosskreutz mais tarde confirmou.[87] Grosskreutz moveu-se novamente para Rittenhouse uma segunda vez. Grosskreutz testemunhou no julgamento que não pretendia atirar em Rittenhouse, mas reconheceu ter apontado sua arma para ele, dizendo que Rittenhouse abriu fogo apenas quando Grosskreutz se aproximou de Rittenhouse com sua arma apontada para ele.[88] Rittenhouse então atirou em Grosskreutz no braço, cortando a maior parte do músculo bíceps direito.[16][89][90] Pelo menos 16 tiros de outras fontes foram ouvidos em vídeo durante o tempo em que Rittenhouse esteve no solo.[65]

Rittenhouse posteriormente se levantou e caminhou em direção à polícia com as mãos para cima e o rifle amarrado no peito.[65] A polícia não pareceu reconhecer Rittenhouse e disse-lhe para sair, com um policial tentando aplicá-lo com spray de pimenta,[91][92] embora várias testemunhas e manifestantes gritassem para que ele fosse preso.[74][93]

Quando questionado em uma entrevista coletiva por que Rittenhouse não foi parado, o xerife de Kenosha David Beth disse: "Em situações de alto estresse, você tem uma incrível visão de túnel" e os policiais podem não ter percebido que ele estivera envolvido no tiroteio.[94] Da mesma forma, o Chefe de Polícia de Kenosha, Daniel Miskinis, disse que "não havia nada que sugerisse que este indivíduo estava envolvido em qualquer comportamento criminoso" devido ao fato de que alguém caminhando em direção à polícia com as mãos para cima "não era mais anormal" na sequência dos protestos.[95]

Atingidos[editar | editar código-fonte]

  • Joseph Rosenbaum, de 36 anos, natural de Kenosha, morreu no local após receber disparos.
  • Anthony Huber, de 26 anos, natural de Silver Lake, morreu no local após receber um tiro no peito.
  • Gaige Grosskreutz, de 26 anos, natural de West Allis, conseguiu fugir com um ferimento no braço.[96]

Rescaldo[editar | editar código-fonte]

Os protestos não relacionados ao tiroteio em Kenosha continuaram diariamente até 29 de agosto, quando cerca de 1.000 pessoas participaram de uma passeata e manifestação. Em 26 de agosto de 2020, a Casa Branca disse que cerca de 1.000 soldados da Guarda Nacional e mais de 200 agentes federais estavam sendo destacados.[97] A Guarda Nacional de Michigan, a Guarda Nacional do Arizona e a Guarda Nacional do Alabama enviaram tropas para ajudar.[98] O presidente Donald Trump visitou Kenosha em 1 de setembro de 2020, para ver os danos causados pela agitação e para elogiar a aplicação da lei.[99]

Prisão e julgamento de Kyle Rittenhouse[editar | editar código-fonte]

A prisão preventiva de Kyle foi efetuada no mesmo dia, preso em Kenosha seu julgamento foi realizado em um fórum estadual, onde Kyle respondeu por 6 crimes, e foi absolvido de todos. Os crimes em que Kyle foi acusado foram os seguintes:[100][101][102][22]

Crime Pena Status
Homicídio doloso de primeiro grau Prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional Absolvido
Tentativa de homicídio doloso de primeiro grau 65 anos de prisão
Homicídio imprudente ou por imperícia de primeiro grau 65 anos de prisão
Primeiro grau colocando a segurança de forma imprudente em risco (x2) 8 anos e 6 meses de prisão (totalizando 17 anos por duas acusações)
Posse de arma perigosa por menor de 18 anos 9 meses de prisão e/ou multa de $10.000,00
O não cumprimento de uma ordem de emergência do governo estadual ou local Multa de $200,00
Notas: A tabela mostra as penas em Wisconsin, nos Estados Unidos, onde Rittenhouse foi julgado.

Em 29 de Agosto de 2020, a defesa de Rittenhouse emitiu um comunicado dizendo que ele agiu em legítima defesa.[103] Em 22 de setembro do mesmo ano, sua equipe legal soltou um vídeo de 11 minutos narrando os acontecimentos em detalhes.[104]

O julgamento de Rittenhouse começou em 1º de novembro de 2021, em Kenosha, presidido pelo juiz Bruce Schroeder.[105] Em uma audiência em 17 de setembro, Schroeder negou os pedidos dos promotores para admitir um encontro de Rittenhouse com membros do Proud Boys e uma briga anterior na qual ele estava envolvido como evidência, achando que os incidentes eram muito diferentes para serem usados como prova da mentalidade da Rittenhouse durante os tiroteios.[106][107] Schroeder também negou o pedido da defesa para admitir evidências do histórico criminal de Rosenbaum, que, entre outros crimes, estuprou 5 crianças entre 9 e 11 anos de idade.[108][109] Em 25 de outubro de 2021, Schroeder definiu o testemunho que seria ou não admissível tanto pela defesa quanto pela acusação.[110] Schroeder ordenou que os homens baleados por Rittenhouse não pudessem ser referidos como vítimas, mas poderiam ser descritos como incendiários ou saqueadores se a defesa pudesse estabelecer provas de que estavam envolvidos nessas atividades naquela noite.[111] Peritos legais pesaram na decisão dizendo que o termo "vítima" pode parecer prejudicial em um tribunal, influenciando fortemente um júri ao pressupor quais pessoas foram prejudicadas.

Os jurados ouviram os argumentos de abertura do julgamento de Rittenhouse em 2 de novembro, e várias gravações em vídeo dos eventos foram mostradas a eles no dia seguinte. Duas testemunhas testemunharam em 4 de novembro que Rosenbaum, o primeiro homem alvejado que morreu, estava se comportando violentamente e gritaram antes de se aproximar de Rittenhouse e ir em busca de seu rifle. Um ex-fuzileiro naval testemunhou em 5 de novembro que Rosenbaum tinha zombado dele e de outros homens armados antes dos tiroteios; ele também disse que não considerava Rosenbaum uma ameaça.[112] Rosenbaum foi visto em vídeo pouco antes do tiroteio confrontando os homens armados. Um desses homens apontou uma arma para Rosenbaum, que ficou furioso e gritou, em inglês, "Shoot me, nigga!", antes que vários manifestantes corressem para acalmá-lo.[113][114]

Grosskreutz testemunhou em 8 de novembro que quando ele se aproximou de Rittenhouse e colocou suas mãos no ar, ele acreditava ter visto Rittenhouse re-montar seu rifle, o que para Grosskreutz "significava que [Rittenhouse] puxou o gatilho enquanto as mãos [de Grosskreutz] estavam no ar, mas a arma não disparou", e que Rittenhouse "não estava aceitando a rendição [de Grosskreutz]";[115] ele então decidiu "diminuir a distância" até Rittenhouse, para empregar métodos "não letais" de "luta armada" ou de "deter" Rittenhouse. Ele ainda testemunhou que estava "tentando preservar [sua] própria vida" mas "nunca estava tentando matar" Rittenhouse.[116] Ele se aproximou de Rittenhouse e apontou a arma na sua direção. Rittenhouse, então, atirou, acertando o braço de Grosskreutz.[117]

Uma testemunha que disse ter falado com Rittenhouse após os tiroteios testemunhou em 9 de novembro que Rittenhouse estava nervoso, pálido e suando, dizendo repetidamente "acabei de atirar em alguém".[118]

Após a acusação ter arquivado seu caso, o juiz de instrução Schroeder, em 9 de novembro, rejeitou uma acusação de violação do toque de recolher contra Rittenhouse, citando a falta de provas oferecidas pela acusação.[119]

Rittenhouse testemunhou em 10 de novembro, dizendo que Rosenbaum havia ameaçado matá-lo duas vezes, e o havia emboscado antes do tiroteio fatal. A acusação convocou o testimônio de Ryan Balch, um veterano militar que também carregava um rifle tipo AR naquela noite e ele lembrou de Rosenbaum gritando: "Se eu pegar algum de vocês sozinho esta noite eu vou matar vocês". Rittenhouse não conseguiu recontar esses eventos, e o juiz ordenou um recesso. Depois disso, Rittenhouse disse que Rosenbaum o acusou, colocando a mão no cano da arma de Rittenhouse. No contra-interrogatório, Rittenhouse reconheceu o uso de força mortal para deter o ataque contra ele, ao mesmo tempo em que disse que matar não era sua intenção.[120]

Em 10 de novembro, o promotor Thomas Binger alegou que Rittenhouse não havia comentado o caso até o julgamento, para que ele pudesse adequar seu testemunho às contas de outros. O juiz reprimiu Binger por esta sugestão, chamando-a de "grave violação constitucional" do direito ao silêncio garantido pela Quinta Emenda.[121]

Antes da defesa descansar em 11 de novembro, mais três testemunhas, incluindo um policial de Kenosha, testemunharam a respeito da alegação de que Rittenhouse estava agindo em autodefesa. A acusação questionou que Rittenhouse se sentiria ameaçado ao segurar um fuzil, e o descreveu como uma ameaça armada.

Os argumentos finais foram apresentados em 15 de novembro, com duas horas e meia para cada lado, incluindo refutações.[122]

Em 15 de novembro, a acusação de posse ilegal de arma de fogo foi descartada por Schroeder com base no argumento de defesa de que a lei de Wisconsin é ambígua.

Em 16 de novembro, a defesa apresentou uma moção de anulação do julgamento por preconceito, argumentando que havia "um exagero do Ministério Público" e que o Estado agiu "de má fé".

Em 18 de novembro, Schroeder proibiu a MSNBC e qualquer pessoa filiada ao órgão de comunicação social do tribunal. Ele declarou que um produtor da empresa passou um sinal vermelho no semáforo enquanto tentava seguir um ônibus com os jurados. A polícia de Kenosha acredita que o jornalista tentou fotografar os jurados, mas a NBC negou estas alegações.[123][124]

Veredito[editar | editar código-fonte]

Em 19 de novembro, o júri anunciou que havia chegado a um veredicto após 26 horas de deliberações, que se estenderam por 4 dias. Kyle Rittenhouse foi considerado inocente em todas as acusações.[125][126][127]

Respostas ao veredito foram mistas. Como se pensava,[128] o resultado positivo para Rittenhouse gerou protestos contra a decisão em diversas cidades nos Estados Unidos, como Portland, Chicago, Raleigh, Nova Iorque, Oakland, San Diego e Los Angeles.[129][130][131][132] Personalidades contrárias à liberdade de Rittenhouse acusaram o resultado de representar a impunidade pelo homicídio das vítimas, a violência e a supremacia branca no país.[133] Os pais de um dos jovens baleados por Rittenhouse disseram aos veículos de mídia após o julgamento que "não houve justiça".[134] Ja'han Jones comentou o caso dizendo que o julgamento foi planejado para proteger conservadores brancos que matam.[135]

Apoiadores de Rittenhouse comemoraram o veredito.[136][137] Hayden Daniel comentou que o julgamento foi "uma vitória da justiça americana contra a turba woke."[138]

Nas redes sociais, as reações foram semelhantes: vários apoiadores do réu adotaram o slogan "A justiça está viva!",[139] enquanto opositores da liberdade de Rittenhouse chamaram o veredito de "nojento" e disseram não estar surpresos com o resultado, também afirmando que se o assassino fosse negro, seria condenado à prisão perpétua.[140][141]

Respostas[editar | editar código-fonte]

Um homem segura uma placa de "Kyle Livre" perto da Bradford High School durante a visita do presidente Donald Trump em 1º de setembro de 2020

O sentimento público em relação aos tiroteios foi polarizado. A cobertura foi crítica e favorável às ações de Rittenhouse, e usou termos como "vigilante" e "terrorista", mas também "voluntário" e "mantendo a paz" para descrevê-lo.[24] O Facebook rotulou o incidente como um "assassinato em massa".[142] Expressões de apoio a assassinatos em massa são proibidas no Facebook, embora o apoio a Rittenhouse geralmente não tenha sido removido.[143]

Apoio, suporte[editar | editar código-fonte]

Vários comentaristas defenderam suas ações. O apresentador da Fox News, Tucker Carlson, culpou as autoridades por não conseguirem impedir o saque e o incêndio criminoso e acrescentou: "Ficamos chocados com o fato de jovens de 17 anos com rifles terem decidido que tinham de manter a ordem quando ninguém mais o faria?"[144][145] Seus comentários foram recebidos com repercussão nas redes sociais.[146] A analista conservadora Ann Coulter e o jogador de beisebol aposentado Aubrey Huff também elogiaram Rittenhouse.[147][148]

O presidente Trump "gostou" de um tweet que incluía "Kyle Rittenhouse é um bom exemplo de por que decidi votar em Trump".[149][150][151] Em comentários públicos, Trump mostrou algum apoio à ideia de que a Rittenhouse estava agindo em legítima defesa.[152][153][154] Em novembro de 2020, logo após Rittenhouse ser libertado sob fiança, o representante do estado da Flórida Anthony Sabatini twittou "KYLE RITTENHOUSE FOR CONGRESS".[155] Sabatini foi amplamente criticado por oponentes políticos pelo tweet, com alguns instando-o a renunciar.[156][157]

Em 29 de setembro de 2020, o site de crowdfunding cristão GiveSendGo arrecadou mais de meio milhão de dólares para ajudar a pagar as taxas legais da Rittenhouse.[158] Em 17 de dezembro de 2020, esse financiamento atingiu cerca de US $ 586.000.[159]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Muitos comentaristas criticaram o fato de Rittenhouse não ter sido preso imediatamente, apesar das testemunhas gritarem que ele era o atirador.[160][74][161] A American Civil Liberties Union (ACLU) pediu a renúncia do chefe de polícia de Kenosha, Daniel Miskinis, e do xerife de Kenosha, David Beth. A declaração da ACLU argumentou que os deputados de Beth confraternizaram com "contra-manifestantes da supremacia branca" durante o dia do tiroteio e não prenderam o atirador. A declaração atacou Miskinis por culpar as vítimas no tiroteio, quando disse que a violência foi o resultado de "pessoas" envolvidas violando o toque de recolher.[162] O prefeito de Kenosha afirmou que não pediria a renúncia do xerife ou do chefe de polícia.[163]

Respostas de autoridades[editar | editar código-fonte]

A NBC News obteve um documento interno do Departamento de Segurança Interna e relatou que dirigia os policiais federais a fazerem declarações específicas sobre Rittenhouse, como observar que ele "levou seu rifle para o local do tumulto para ajudar a defender os proprietários de pequenos negócios" e que "[Rittenhouse] é inocente até que se prove sua culpa e merece um julgamento justo com base em todos os fatos, não apenas aqueles que apóiam uma determinada narrativa."[164]

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Attorneys say accused Kenosha shooter acted in self-defense». WKOW. 29 de agosto de 2020. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 22 de outubro de 2020 
  2. «Kyle Rittenhouse, 17, appears in court on murder charges in shooting of Kenosha protesters, stalls return to Wisconsin». ABC11 Raleigh-Durham. 28 de agosto de 2020. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2020 
  3. a b Bauer, Scott; Webber, Tammy; Forliti, Amy; Tarm, Michael (9 de novembro de 2021). «Pathologist: Rittenhouse shot first man at close range». AP News (em inglês). Consultado em 11 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  4. a b Forliti, Amy; Webber, Tammy (4 de novembro de 2021). «Witnesses: Threat, lunge for gun from 1st Rittenhouse victim». Associated Press. Consultado em 10 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  5. a b c Armus, Teo; Berman, Mark; Witte, Griff (27 de agosto de 2020). «Before a fatal shooting, teenage Kenosha suspect idolized the police». The Washington Post (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020  Verifique o valor de |url-access=limited (ajuda)
  6. a b c «Man shot by Kyle Rittenhouse says he pointed own gun amid fears for life». BBC News (em inglês). 9 de novembro de 2021. Consultado em 9 de novembro de 2021 
  7. a b Johnson, Annysa; Johnson, Mark; Shelbourne, Talis (28 de agosto de 2020). «Victim of Kenosha protest shooting may have been 'trying to save somebody': What we know». USA Today (em inglês). Consultado em 27 de outubro de 2020. Arquivado do original em 23 de setembro de 2020 
  8. «Antioch teen Kyle Rittenhouse appears in court on murder charges for Kenosha protest shooting, lawyers say he acted in self-defense». ABC 7 Chicago. 28 de agosto de 2020. Consultado em 1 de setembro de 2020. Arquivado do original em 31 de agosto de 2020 
  9. Richmond, Todd (29 de outubro de 2021). «Stern judge among key players in Kyle Rittenhouse trial». ABC News. Associated Press. Consultado em 1 de novembro de 2021. Video ... shows Rittenhouse on the streets with ... a medical kit slung over his shoulder. 
  10. Harrington, Adam (27 de agosto de 2020). «Criminal Complaint Against Kyle Rittenhouse Details Prosecutors' Version Of Events In Kenosha Shooting That Killed 2, Wounded 1». CBS Chicago local (em inglês). Consultado em 3 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  11. a b Levenson, Eric (4 de novembro de 2021). «FBI aerial surveillance video shows never-before-seen actions before Kyle Rittenhouse shot unarmed man». CNN. Consultado em 4 de novembro de 2021. These other videos also show that a different person fired a gunshot in the air seconds before Rittenhouse fatally shot Rosenbaum. That initial shot was fired by Joshua Ziminski, Howard testified. Afterward, Rittenhouse fired four times at Rosenbaum. There were another three shots afterward, the videos show, but Howard said investigators still do not know who fired those. Ziminski, 36, has separately been charged with disorderly conduct using a dangerous weapon, arson and obstructing an officer, and he has pleaded not guilty, court records show. A criminal complaint says he admitted to firing a "warning shot" in the air that night. 
  12. a b c d e f g Harrington, Adam (27 de agosto de 2020). «Criminal Complaint Against Kyle Rittenhouse Details Prosecutors' Version Of Events In Kenosha Shooting That Killed 2, Wounded 1». CBS Chicago. Consultado em 3 de setembro de 2020. Arquivado do original em 2 de setembro de 2020 
  13. a b c Kates, Graham (29 de agosto de 2020). «Homicide charges announced against Kyle Rittenhouse, accused of killing 2 at Kenosha protests». CBS News (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  14. a b c Williams, Paige (28 de junho de 2021). «Kyle Rittenhouse, American Vigilante». The New Yorker. Consultado em 24 de julho de 2021 
  15. Klemko, Robert; Jaffe, Greg (3 de outubro de 2020). «A mentally ill man, a heavily armed teenager and the night Kenosha burned». The Washington Post. Consultado em 10 de setembro de 2021 
  16. a b c d «Victims of shooting during Kenosha protests engaged gunman». Associated Press. 28 de agosto de 2020. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  17. «Shooting victim says he was pointing his gun at Rittenhouse». POLITICO (em inglês). Associated Press. 8 de novembro de 2021. Consultado em 11 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  18. Proctor, Clare (27 de agosto de 2020). «Gaige Grosskreutz, wounded in the shooting during the evening of August 25, 2020, in Kenosha, will need arm surgery». Chicago Sun-Times (em inglês). Sun-Times Media Group. Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2020 
  19. Chen, Nancy (8 de novembro de 2021). «Lone survivor shot by Kyle Rittenhouse at Kenosha protests says he thought he "was going to die"». CBS News (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  20. «Survivor tells US court he saw Rittenhouse as 'active shooter'». Aljazeera (em inglês). 8 de novembro de 2021. Consultado em 12 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  21. Li, David K. (11 de novembro de 2021). «Kyle Rittenhouse 'was an active shooter,' according to wounded paramedic». NBC News (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  22. a b «EXPLAINER: What charges does Kyle Rittenhouse face?». AP NEWS (em inglês). 2 de novembro de 2021. Consultado em 17 de novembro de 2021 
  23. Smith, Deneen. «Kenosha man facing felony charges for giving Kyle Rittenhouse gun used in shootings». Kenosha News (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2020. Arquivado do original em 20 de novembro de 2020 
  24. a b Noor, Poppy (28 de agosto de 2020). «Vigilante, volunteer, terrorist: how the US media covers Kyle Rittenhouse». The Guardian. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 7 de outubro de 2020 
  25. St. Clair, Stacy; Gutowski, Christy (1 de novembro de 2021). «5 takeaways from Day 1 of Kyle Rittenhouse trial». Chicago Tribune. Consultado em 2 de novembro de 2021 
  26. Sullivan, Becky (19 de novembro de 2021). «Kyle Rittenhouse is acquitted of all charges in the trial over killing 2 in Kenosha». NPR (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  27. «Black Americans see biased system in Rittenhouse verdict». AP NEWS (em inglês). 20 de novembro de 2021. Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  28. Desk, Alec Schemmel (23 de novembro de 2021). «False info about Rittenhouse case posted to James Madison University Instagram account». WSET. Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  29. Duggan, Laurel (20 de novembro de 2021). «The Independent Falsely Stated Rittenhouse Shot 3 Black Men». Shore News Network (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  30. St. Hilaire, Amanda; DeLong, Katie (26 de agosto de 2020). «DOJ identifies officer who shot Jacob Blake as Rusten Sheskey; says Blake had knife». FOX 6 Now Milwaukee (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020 
  31. Danbeck, Jackson; Durian, Tom (26 de agosto de 2020). «Department of Justice identifies Kenosha police officer who shot Jacob Blake 7 times in the back». TMJ4. Consultado em 26 de outubro de 2020. Arquivado do original em 16 de setembro de 2020 
  32. Mansell, William; Winsor, Morgan; Ghebremedhin, Sabina; Hutchinson, Bill; Deliso, Meredith (26 de agosto de 2020). «Authorities identify Kenosha cop who shot Jacob Blake, say Blake had knife». ABC News. Consultado em 26 de agosto de 2020. Arquivado do original em 26 de agosto de 2020 
  33. Stevens, Mark (26 de agosto de 2020). «DOJ: Kenosha Officer Rusten Sheskey fired weapon into Jacob Blake's back 7 times». WDJT Milwaukee. CBS. Consultado em 26 de agosto de 2020. Arquivado do original em 21 de novembro de 2020 
  34. Freiman, Jordan; Carissimo, Justin (25 de agosto de 2020). «Police in Wisconsin shoot Black man in back multiple times, sparking protests». CBS News. Consultado em 2 de novembro de 2021 
  35. Barton, Gina (5 de janeiro de 2021). «Why Kenosha Police Officer Rusten Sheskey won't be charged for shooting Jacob Blake: 5 takeaways from the announcement». USA Today. Consultado em 2 de novembro de 2021. Blake's girlfriend ... called police when Blake threatened to leave in her rented SUV. 
  36. Luthern, Ashley (25 de agosto de 2020). «'He was not treated like a human that day': Family of Jacob Blake, now paralyzed, speaks out on police shooting». Milwaukee Journal Sentinel (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020 
  37. Chavez, Nicole; McLaughlin, Eliott C.; Maxouris, Christina. «Jacob Blake needs 'a miracle' to walk again after Kenosha police shot him, attorney says». CNN. Consultado em 31 de agosto de 2020. Arquivado do original em 7 de outubro de 2020 
  38. Peiser, Jaclyn; Berman, Mark; Guarino, Mark; Firozi, Paulina; Witte, Griff (24 de agosto de 2020). «After video shows Wisconsin police shooting a Black man multiple times, National Guard is called to Kenosha». The Washington Post. Nash Holdings. Consultado em 26 de agosto de 2020. Cópia arquivada em 25 de agosto de 2020 
  39. Rosenberg-Douglas, Katherine (28 de agosto de 2020). «Fledgling militia group put out call to arms in Kenosha and 5,000 people responded. Now it's banned from Facebook after fatal shootings during protests.». The Chicago Tribune. Consultado em 31 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  40. Nast, Condé (26 de junho de 2021). «Kyle Rittenhouse, American Vigilante». The New Yorker (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2021 
  41. «'Oh Hell No': Kenosha Sheriff Says Vigilante Group Asked Him to Deputize Them». NBC Chicago. 26 de agosto de 2020. Consultado em 31 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  42. Choi, David (26 de agosto de 2020). «'We appreciate you guys': Wisconsin police in armored vehicles thanked armed militia and gave out water bottles». Business Insider. Consultado em 31 de agosto de 2020. Arquivado do original em 31 de agosto de 2020 
  43. Pagones, Stephanie (27 de agosto de 2020). «Kenosha County sheriff says shooting suspect may have been among group that sought to be deputized». Fox News. Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020 
  44. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome bbc_zurcher
  45. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome auto72
  46. Sanchez, Ray; Levenson, Eric; Jimenez, Omar (November 19, 2021). «Things we learned from Kyle Rittenhouse's trial that challenge assumptions about the case». CNN. Consultado em 1 de dezembro de 2021  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |data= (ajuda)
  47. Vielmetti, Bruce. «Kyle Rittenhouse's friend Dominick Black testifies he bought the gun used in the killings in Kenosha». Milwaukee Journal Sentinel (em inglês). Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  48. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome factcheck-Without-Weapon2
  49. Smith, Deneen (November 9, 2020). «Kenosha man facing felony charges for giving Kyle Rittenhouse gun used in shootings». Kenosha News. Consultado em November 21, 2020. Cópia arquivada em November 20, 2020  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  50. Hinkel, Dan (10 de novembro de 2021). «At the center of the Rittenhouse trial is a military-style rifle in a teenager's hands.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 1 de dezembro de 2021 
  51. Sehgal, Munish. «Who is Kyle Rittenhouse? Wiki, Biography, Age, Parents, Trial, Girlfriend, Charges & Facts» (em inglês). Consultado em 25 de novembro de 2021 
  52. Deshmukh, Junaid Khan. «Who is Kyle Rittenhouse? Age, Biography, Girlfriend, and more». mykuwaits.com (em inglês). Consultado em 25 de novembro de 2021 
  53. a b Sanchez, Ray; Levenson, Eric; Jimenez, Omar. «Things we learned from Kyle Rittenhouse's trial that challenge assumptions about the case». CNN. Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  54. Maxouris, Christina (27 de agosto de 2020). «Kenosha shooting suspect faces more homicide charges». CNN. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  55. Householder, Mike; Bauer, Scott. «17-year-old arrested after 2 killed during unrest in Kenosha». Associated Press. Consultado em 27 de agosto de 2020. Arquivado do original em 26 de agosto de 2020 
  56. «Post falsely claims that Kyle Rittenhouse's mom drove him to Kenosha». AP NEWS (em inglês). 16 de novembro de 2021. Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  57. Gore, D'Angelo (17 de novembro de 2021). «Rittenhouse Testified He Drove Himself to Kenosha Without Weapon». FactCheck.org (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  58. «How Kyle Rittenhouse went from cleaning graffiti to shooting 3 people». nationalpost (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  59. Danbeck, Jackson; Jordan, Ben (28 de agosto de 2020). «Attorneys representing Kyle Rittenhouse say he was wrongfully charged after 'acting in self-defense'». WTMJ-TV. Consultado em 1 de setembro de 2020. Arquivado do original em 31 de agosto de 2020 
  60. Newspapers, ADAM ROGAN Lee. «Did Car Source ask for armed help during Kenosha unrest? Witness testimony differs». Kenosha News (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  61. Vielmetti, Bruce. «Kenosha car dealer denies he asked gunmen to protect his business». Milwaukee Journal Sentinel (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  62. Newspapers, ADAM ROGAN Lee. «Did Car Source ask for armed help during Kenosha unrest? Witness testimony differs». Kenosha News (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  63. Kumar, Arun (31 de agosto de 2020). «Indian American owned car dealership in Kenosha burnt down». The American Bazaar (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2020. Arquivado do original em 24 de setembro de 2020 
  64. Bayatpour, A. J. (3 de setembro de 2020). «Owner of burnt Kenosha car lot says riots caused $2.5M in damages». WKOW (em inglês). Consultado em 4 de novembro de 2020. Arquivado do original em 3 de novembro de 2020 
  65. a b c d e f g h i j Willis, Haley; Xiao, Muyi; Triebert, Christiaan; Koettl, Christoph; Cooper, Stella; Botti, David; Ismay, John; Tiefenthäler, Ainara (28 de agosto de 2020). «Tracking the Suspect in the Fatal Kenosha Shootings». The New York Times. ISSN 0362-4331. Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020  Verifique o valor de |url-access=limited (ajuda)
  66. Tye, Chris (26 de agosto de 2020). «Kenosha Shooting: Video Shows Suspected Gunman Kyle Rittenhouse Being Allowed To Leave Scene». CBS Chicago (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020. With blue gloved hands in the air and the gun around his chest, the brigade member who was thanked at the start of the night was given safe passage past police. 
  67. Brandom, Russell (28 de agosto de 2020). «Mark Zuckerberg says Kenosha Guard rulings were 'an operational mistake'». The Verge (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  68. Partlow, Joshua; Stanley-Becker, Isaac; Guarino, Mark (26 de agosto de 2020). «After online warnings, armed civilians bring threat of violence to protests in Kenosha and elsewhere». The Washington Post. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  69. a b Sohyun Lee, Joyce; O'Harrow Jr., Robert; Samuels, Elyse (19 de novembro de 2020). «Kenosha: How two men's paths crossed in an encounter that has divided the nation». The Washington Post. Consultado em 11 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2020 
  70. a b Olding, Rachel; Melendez, Pilar; Ballew, Jonathan (28 de agosto de 2020). «Teen Vigilante Killed Unarmed Kenosha Protester Who Threw a Plastic Bag at Him: Court Docs». The Daily Beast (em inglês). Consultado em 29 de agosto de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2020 
  71. a b c Levenson, Eric (10 de novembro de 2021). «Kyle Rittenhouse testifies he knew Joseph Rosenbaum was unarmed when he fatally shot him». CNN. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  72. Sullivan, Becky (5 de novembro de 2021). «4 takeaways from the first week of the Kyle Rittenhouse trial». NPR (em inglês). Consultado em 7 de novembro de 2021 
  73. Richmond, Todd (3 de novembro de 2021). «Explainer: Rittenhouse plane part of widespread surveillance». AP News. Consultado em 7 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  74. a b c St. Clair, Stacy; Gutowski, Christy; McCoppin, Robert; Leventis Lourgos, Angie (26 de agosto de 2020). «What we know so far about Kyle Rittenhouse, accused vigilante in Kenosha shooting». Chicago Tribune. Consultado em 27 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020 
  75. Ailworth, Akane Otani and Erin (28 de agosto de 2020). «Kyle Rittenhouse Faces New Charges in Deadly Kenosha Shooting». Wall Street Journal (em inglês). ISSN 0099-9660. Consultado em 11 de novembro de 2020. Arquivado do original em 10 de outubro de 2020 
  76. Bock Clark, Doug; Costello, Jacqueline (10 de março de 2021). «American Battlefield: 72 Hours in Kenosha». GQ (em inglês). Consultado em 12 de novembro de 2021 [ligação inativa] 
  77. «Victims of shooting during Kenosha protests engaged gunman», Associated Press, 28 de agosto de 2020, consultado em 30 de agosto de 2020, cópia arquivada em 29 de agosto de 2020 
  78. Hinkel, Dan. «Authorities: Man says he fired 'warning shot' on night Kyle Rittenhouse allegedly shot 3 in Kenosha». chicagotribune.com. Consultado em 4 de novembro de 2020. Arquivado do original em 5 de novembro de 2020 
  79. a b Groves, Stephen; Bauer, Scott (28 de agosto de 2020). «Victims of Kenosha protest shooting tried to disarm Kyle Rittenhouse». Consultado em 29 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  80. Hinkel, Dan. «Could Kyle Rittenhouse show he was acting in self-defense in Kenosha shooting?». chicagotribune.com. Consultado em 4 de novembro de 2020. Arquivado do original em 5 de novembro de 2020 
  81. Guarino, Mark; Berman, Mark; Peiser, Jaclyn; Witte, Griff (26 de agosto de 2020). «17-year-old charged with homicide after shooting during Kenosha protests, authorities say». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 26 de agosto de 2020. Arquivado do original em 26 de agosto de 2020 
  82. «Explainer: Prosecutors play up Rittenhouse inexperience». AP News (em inglês). 7 de novembro de 2021. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  83. Stelloh, Tim (28 de agosto de 2020). «Two men killed at Jacob Blake protest identified by authorities». NBC. Consultado em 3 de setembro de 2020. Arquivado do original em 6 de outubro de 2020 
  84. Burke, Minyvonne; Madani, Doha (27 de agosto de 2020). «17-year-old suspect in Jacob Blake protest shooting charged with 2 counts of homicide». NBC News. Consultado em 29 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  85. Layne, Nathan (8 de novembro de 2021). «Survivor of Rittenhouse shooting says he pointed gun at U.S. teen, tried to disarm him». Consultado em 10 de novembro de 2021 
  86. Kates, Graham (30 de agosto de 2020). «Homicide charges announced against Kyle Rittenhouse, accused of killing 2 at Kenosha protests». CBS News. Consultado em 19 de setembro de 2020. Arquivado do original em 18 de setembro de 2020 
  87. «Gaige Grosskreutz, Sole Survivor Of Kenosha Shootings Says He's Still In Constant Pain; 'Both In My Arm, In My Heart'». CNN. 12 de setembro de 2020 
  88. Guarino, Mark (8 de novembro de 2021). «Gaige Grosskreutz says he feared for his life, pointed gun at Kyle Rittenhouse before getting shot». The Washington Post. The Washington Post. Consultado em 10 de novembro de 2021. In his testimony, Grosskreutz acknowledged confronting Rittenhouse with a gun in one hand but denied he ever intended to shoot him. Grosskreutz said that ran counter to his work as a former paramedic and someone who provided medical aid at demonstrations throughout the summer of 2020. But Grosskreutz admitted that he pointed his gun at the teenager, saying Rittenhouse opened fire only once he approached with his gun aimed. 
  89. BeMiller, Haley (1 de setembro de 2020). «Says video shows Kyle Rittenhouse, the 17-year-old charged with killing two protesters in Kenosha, "was trying to get away from them" ... "fell, and then they violently attacked him."». Consultado em 19 de setembro de 2020. Arquivado do original em 17 de setembro de 2020 
  90. Said, Samira; Sidner, Sara (11 de setembro de 2020). «Sole survivor of Kenosha protests shootings speaks out for first time». CNN. Consultado em 19 de setembro de 2020. Arquivado do original em 18 de setembro de 2020 
  91. Mark, Michelle (5 de novembro de 2021). «Kenosha police officer explains why he didn't arrest Kyle Rittenhouse when he tried to surrender after the shootings». Insider. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  92. «Witness: Kenosha victim was belligerent but no threat». AP News (em inglês). 5 de novembro de 2021. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  93. Mathers, Matt (27 de agosto de 2020). «What we know about Kyle Rittenhouse, the teenager accused of killing two people at Jacob Blake protest». The Independent. London. Consultado em 27 de agosto de 2020. Arquivado do original em 27 de agosto de 2020 
  94. McEvoy, Jemima (26 de agosto de 2020). «Video Of Police Ignoring Suspected Kenosha Shooter Sparks Calls Of Injustice». Forbes. Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2020 
  95. Dudek, Mitch (28 de agosto de 2020). «My officers did nothing wrong in allowing teen gunman to walk away after allegedly killing 2 protesters, Kenosha police chief says». Chicago Sun-Times (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  96. CNN, Christina Maxouris. «Kyle Rittenhouse's trial is coming to a close. Here's what we know about the 3 men he shot». CNN. Consultado em 17 de novembro de 2021 
  97. Linton, Caroline (26 de agosto de 2020). «Federal agents being sent to Kenosha, Wisconsin, after protests turn deadly». CBS News. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  98. Moran, Darcie (27 de agosto de 2020). «Michigan National Guard on its way to troubled Kenosha, Wisconsin». Detroit Free Press. Consultado em 30 de agosto de 2020 
  99. Sonmez, Felicia; Itkowitz, Colby; Wagner, John (1 de setembro de 2020). «Trump delivers law-and-order message in Kenosha, Wis.». The Washington Post. Consultado em 11 de novembro de 2021. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2021 
  100. «Wisconsin Circuit Court Access». wcca.wicourts.gov. Consultado em 17 de novembro de 2021 
  101. Treisman, Rachel (27 de agosto de 2020). «Kenosha Shooting Suspect Faces Homicide Charges In Protesters' Deaths». NPR (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2021 
  102. «Kyle Rittenhouse charged with homicide in Kenosha shootings that killed two protesters». TMJ4 (em inglês). 27 de agosto de 2020. Consultado em 17 de novembro de 2021 
  103. «Criminal Complaint Against Kyle Rittenhouse Details Prosecutors' Version Of Events In Kenosha Shooting That Killed 2, Wounded 1» (em inglês). 27 de agosto de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2021 
  104. Litke, Eric. «Kyle Rittenhouse's defense team released a narrated video from the night of the shooting. Here's what we know about it». Milwaukee Journal Sentinel (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  105. Gutowski, Stacy St Clair, Christy. «5 takeaways from Day 1 of Kyle Rittenhouse trial». chicagotribune.com. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  106. Vielmetti, Bruce. «Kenosha County judge denies prosecutor's request to use evidence of Kyle Rittenhouse's mindset in trial». Milwaukee Journal Sentinel (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  107. CNN, Omar Jimenez and Bill Kirkos. «Judge denies admission of evidence allegedly connecting Kyle Rittenhouse to Proud Boys». CNN. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  108. «Rittenhouse attorney wants to show victim was sex offender». AP NEWS (em inglês). 6 de julho de 2021. Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  109. McBride, Jessica (20 de novembro de 2021). «Joseph Rosenbaum: 5 Fast Facts You Need to Know». Heavy.com (em inglês). Consultado em 2 de dezembro de 2021 
  110. «Judge sets final ground rules for Rittenhouse trial evidence». AP NEWS (em inglês). 25 de outubro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  111. «Men shot by Kyle Rittenhouse cannot be called 'victims' in court, judge rules». the Guardian (em inglês). 27 de outubro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  112. Reuters (15 de novembro de 2021). «TAKEAWAYS Latest developments in the U.S. murder trial of Kyle Rittenhouse». Reuters (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  113. «A mentally ill man, a heavily armed teenager and the night Kenosha burned». Washington Post (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  114. «Rittenhouse trial witness says prosecutors pressured him to change police statement». The Independent (em inglês). 11 de novembro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  115. CNN, Eric Levenson. «Armed paramedic who was shot by Kyle Rittenhouse testifies he thought teen was an active shooter». CNN. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  116. Sullivan, Becky (8 de novembro de 2021). «The only person who survived being shot by Kyle Rittenhouse takes the stand». NPR (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  117. «Shooting victim says he was pointing his gun at Rittenhouse». AP NEWS (em inglês). 8 de novembro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  118. Reuters (15 de novembro de 2021). «TAKEAWAYS Latest developments in the U.S. murder trial of Kyle Rittenhouse». Reuters (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  119. Reuters (15 de novembro de 2021). «TAKEAWAYS Latest developments in the U.S. murder trial of Kyle Rittenhouse». Reuters (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  120. Reuters (15 de novembro de 2021). «TAKEAWAYS Latest developments in the U.S. murder trial of Kyle Rittenhouse». Reuters (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  121. Forliti, Amy; Bauer • •, Scott. «EXPLAINER: What's Behind Rittenhouse Mistrial Requests?». NBC Chicago (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  122. «Defense rests its case at Kyle Rittenhouse trial». www.cbsnews.com (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  123. Bogel-Burroughs, Nicholas; Hsu, Tiffany (18 de novembro de 2021). «Judge bans MSNBC from Kenosha courthouse after report of producer following jurors.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  124. Bogel-Burroughs, Nicholas; Hsu, Tiffany (18 de novembro de 2021). «Judge bans MSNBC from Kenosha courthouse after report of producer following jurors.». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  125. «Kyle Rittenhouse found not guilty on all charges». www.aljazeera.com (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  126. «Jury finds Rittenhouse not guilty in Kenosha shootings». AP NEWS (em inglês). 19 de novembro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  127. Povo, Gazeta do. «Kyle Rittenhouse é absolvido de todas as acusações». Gazeta do Povo. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  128. «Veredicto de Rittenhouse ameaça reacender a violência racial nos EUA». EntornoInteligente (em espanhol). 19 de novembro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  129. «Hundreds protest Rittenhouse acquittal across US». The Associated Press. November 20, 2021. Consultado em November 20, 2021. Cópia arquivada em November 21, 2021  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  130. Bauman, Ali (November 20, 2021). «Rittenhouse Acquittal: Hundreds March Through Brooklyn, Block Traffic On Brooklyn Bridge To Protest Verdict». CBS New York. Consultado em November 20, 2021. Cópia arquivada em November 20, 2021  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  131. «Police Arrest 5 Amid NYC Protests After Kyle Rittenhouse Verdict». NBC New York. November 20, 2021. Consultado em November 20, 2021. Cópia arquivada em November 21, 2021  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  132. Pruitt-Young, Sharon (November 20, 2021). «Kyle Rittenhouse verdict prompts protests in several cities». NPR. Consultado em November 20, 2021. Cópia arquivada em November 20, 2021  Parâmetro desconhecido |url-status= ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  133. «Reactions to not guilty verdict in Kyle Rittenhouse trial». Reuters (em inglês). 19 de novembro de 2021. Consultado em 26 de novembro de 2021 
  134. «Família de manifestante antirracista morto por branco, declarado inocente, reage a veredito: 'Não houve justiça'». O Globo. 19 de novembro de 2021. Consultado em 19 de novembro de 2021 
  135. «Kyle Rittenhouse trial was designed to protect white conservatives who kill». MSNBC.com (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  136. Fox, Megan. «Kenosha Crowd Reacts to Rittenhouse Verdict...and It's Not What the Lying Media Told You Would Happen». pjmedia.com (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  137. Fox, Megan. «Kenosha Crowd Reacts to Rittenhouse Verdict...and It's Not What the Lying Media Told You Would Happen». pjmedia.com (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  138. «DANIEL: The Kyle Rittenhouse Verdict Was A Victory For The American Legal System Against The Woke Mob». dailycaller.com (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  139. «'Justice Is Alive': Social Media Erupts In Reaction To Not Guilty Rittenhouse Verdict». The Daily Wire (em inglês). Consultado em 19 de novembro de 2021 
  140. «Kyle Rittenhouse: Furious reaction to verdict as 'disgusted' and 'not surprised' trend on Twitter». www.msn.com. 19 de novembro de 2021. Consultado em 26 de novembro de 2021 
  141. Suciu, Peter (19 de novembro de 2021). «Justice Served? Many On Social Media React With Outrage To Rittenhouse Verdict». Forbes (em inglês). Consultado em 26 de novembro de 2021 
  142. Thorbecke, Catherine (23 de setembro de 2020). «Facebook hit with lawsuit over Kenosha protest deaths». ABC News (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020. Arquivado do original em 7 de outubro de 2020 
  143. Wong, Julia Carrie (27 de agosto de 2020). «Praise for alleged Kenosha shooter proliferates on Facebook despite supposed ban». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 27 de setembro de 2020. Arquivado do original em 8 de outubro de 2020 
  144. O'Kane, Caitlin (28 de agosto de 2020). «Tucker Carlson draws backlash after saying 17-year-old Kenosha shooting suspect "maintain[ed] order when no one else would"». CBS News (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  145. Mackey, Robert (27 de agosto de 2020). «Trump Supporters Rush to Defend One of Their Own Who Killed Protesters in Kenosha». The Intercept. Consultado em 1 de setembro de 2020. Arquivado do original em 31 de agosto de 2020 
  146. «Tucker Carlson defends actions of teen charged in killings of Kenosha protesters». The Guardian (em inglês). 27 de agosto de 2020. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  147. Vallejo, Justin (27 de agosto de 2020). «Ann Coulter sparks outrage after tweeting that she wants the accused Kenosha shooter for president». The Independent (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 29 de agosto de 2020 
  148. Pesce, Nicole Lyn (27 de agosto de 2020). «Ann Coulter, Tucker Carlson and Aubrey Huff slammed for defending the teen suspected of killing two Kenosha protestors». MarketWatch. Consultado em 29 de agosto de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2020 
  149. Baker, Peter (30 de agosto de 2020). «Trump Embraces Fringe Theories on Protests and the Coronavirus». The New York Times. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  150. Breuninger, Kevin (31 de agosto de 2020). «Trump suggests Kyle Rittenhouse acted in self defense in deadly Kenosha shootings». CNBC. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 2 de outubro de 2020 
  151. Smith, Allan (30 de agosto de 2020). «Trump rails against protesters following unrest in Portland». NBC News. Consultado em 2 de setembro de 2020. Arquivado do original em 2 de setembro de 2020 
  152. Korecki, Natasha; Cadelago, Christopher (1 de setembro de 2020). «With a hand from Trump, the right makes Rittenhouse a cause célèbre». Politico. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 10 de outubro de 2020 
  153. Wise, Alana (31 de agosto de 2020). «Trump Defends Kenosha Shooting Suspect». NPR. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 9 de outubro de 2020 
  154. BeMiller, Haley (1 de setembro de 2020). «Trump paints false picture of Kyle Rittenhouse shootings ahead of Kenosha visit». PolitiFact. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 10 de outubro de 2020 
  155. @AnthonySabatini (November 21, 2020). «KYLE RITTENHOUSE FOR CONGRESS» (Tweet) – via Twitter  Verifique data em: |data= (ajuda)
  156. Embury-Dennis, Tom (23 de novembro de 2020). «Republican lawmaker calls for Kyle Rittenhouse, who is on trial for murder, to be elected to Congress». The Independent. Consultado em 24 de novembro de 2020 – via MSN 
  157. Ardrey, Taylor (22 de novembro de 2020). «AOC calls out Kyle Rittenhouse's $2 million bail release as 'protection of white supremacy'». Insider. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  158. Deese, Kaelan (29 de setembro de 2020). «Christian Crowdfunding Site Raises $500K for Rittenhouse Legal Defense». The Hill. Consultado em 8 de outubro de 2020. Arquivado do original em 2 de outubro de 2020 
  159. «Raise money for Kyle Rittenhouse Legal Defense». 19 de novembro de 2020. Cópia arquivada em 17 de janeiro de 2021 
  160. Mihalopoulos, Dan (27 de agosto de 2020). «Kenosha Shooting Suspect Fervently Supported 'Blue Lives,' Joined Local Militia». NPR (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2020 
  161. Marley, Patrick; Volpenhein, Sarah (26 de agosto de 2020). «2 shot dead and 1 injured in Kenosha during protests; police looking for man armed with a long gun». Milwaukee Journal Sentinel. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  162. «ACLU calls for the immediate resignation of Kenosha Police Chief Daniel Miskinis and Kenosha County Sheriff David Beth.». aclu.org. American Civil Liberties Union. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 30 de agosto de 2020 
  163. Nickell, Katrina (28 de agosto de 2020). «Kenosha leaders prepare for weekend ahead after days of protests». Fox 11 News. Consultado em 30 de agosto de 2020. Arquivado do original em 9 de outubro de 2020 
  164. Ainsley, Julia (1 de outubro de 2020). «Internal document shows Trump officials were told to make comments sympathetic to Kyle Rittenhouse». NBC News. Consultado em 9 de outubro de 2020. Arquivado do original em 8 de outubro de 2020