Lactalis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lactalis
Empresa de capital fechado
Atividade Lacticínios
Fundação 19 de Outubro de 1933
Fundador(es) André Besnier
Sede Laval, Mayenne, França
Área(s) servida(s) Mundo (com mais de 145 países)
Proprietário(s) Família Besnier via holding belga BSA International SA
Pessoas-chave Emmanuel Besnier, diretor executivo
Empregados 75,000
Produtos Queijo, manteiga, leite
Subsidiárias Itambé
Faturamento €16.5 bilhões (2015)
Antecessora(s) la société Besnier
Website oficial lactalis.fr/en/

Lactalis é uma multinacional francesa de produtos lácteos, de propriedade da família Besnier. A sede da empresa localiza-se em Laval, Mayenne. É o maior grupo de laticínios do mundo, e é o segundo maior grupo de produtos alimentícios na França.[1]

O grupo é também um dos maiores produtores de queijos do mundo.[2][3] A companhia é dona das marcas Itambé, Sorrento, Société, Bridel, Président, Galbani, Rachel's Organic, Parmalat, Valmont, Cotochés, Poços de Caldas, Elegê e Batavo.[4][5][6]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1933 foi criado a Société Laitière de Laval, que deu origem ao Grupo Lactalis em 1999. Foi André Besnier que começou a coletar leite e a produzir queijos em Laval. Besnier criou a marca Le Petit Lavallois. Com o crescimento da empresa a partir da década de 1940, e com o número cada vez maior de agricultores interessados nos negócios, Besnier ultrapassou em 1948 a barreira dos 10.000 litros de leite coletados e processados ​​por 25 funcionários.[7][8]

Na década de 1950 a empresa Besnier S.A. entrou no mercado de comercialização de manteiga, nata e leite fluido.[5][9] Em 1955 Michel Besnier assumiu a direção da empresa. Em 1967 a empresa passou a produzir leite em pó. Em 1968 foi lançado a marca Président, sendo comercializada em toda a França.

Em em 1981 adquiriu uma fábrica de queijos de Wisconsin, nos Estados Unidos. Entre 1984 e 1988 o grupo adquiriu a marca Lactel. Em 1990 a Besnier adquiriu o grupo Bridel. Entre 1992 e 1993, a Besnier adquiriu a maioria da empresa Société produtora de um queijo Roquefort.

Em 1998, o grupo Besnier adquiriu a Locatelli, subsidiária da Nestlé e se estabeleceu na Itália. Em 1999 a Besnier alterou sua denominação para Lactalis. Em 2000 Emmanuel Besnier assumiu a presidência do grupo.[5]

Em 2006 a Lactalis comprou o grupo italiano Galbani.[10][11] A Lactalis comprou os ativos da Parmalat Italia em 2011.[12]

Unidade Batavo, da Lactalis, no município de Carambeí, no Paraná, Brasil.

No Brasil, a Lactalis adquiriu a Balkis em 2013 por 70 milhões de reais.[13][14] Em 2014, a Lactalis comprou as marcas Elegê e Batavo da BRF por 1,8 bilhão de reais.[4] Antes desta aquisição, ela havia oferecido por 5 UPIs da LBR, R$250 milhões, ante uma oferta de R$150 milhões. Este novo valor proposto incluiria o direito de usar a marca Parmalat no Brasil.[15] O negócio foi aprovado pelo CADE.[16] Em 2019 a Lactalis adquiriu a Itambé, tradicional laticínio mineiro.[17][6]

Em 2021 a Lactalis comprou as operações da cooperativa paranaense Cativa, de Londrina, incluindo a marca Polly.[18][19]

Funcionários[editar | editar código-fonte]

A Lactalis possui mais de 80 mil funcionários em cerca de 50 países.[20][21][22] 15.500 funcionários somente na França.[5]

Unidades produtivas[editar | editar código-fonte]

Em 2020 a Lactalis possuía aproximadamente 260 fábricas no mundo,[20][21] sendo 63 unidades na França,[5] atingindo um volume de negócios de 21,1 mil milhões de euros.[23] A marca Président, vendida em 140 países, passou a ser produzida no Brasil a partir de 2016.[17][24]

No Brasil, com a conclusão da aquisição dos ativos da BRF e Itambé, em 2014 e 2019, respectivamente, a empresa passou a ter 19 fábricas.[6] Em 2020 a Lactalis do Brasil teve um faturamento de 9,8 bilhões de reais e um volume de captação de 2,7 bilhões de litros de leite.[19]

Referências

  1. «"Le Groupe Lactalis of France to purchase Tirumala Milk Products for $275 million "». Economic Times. Consultado em 4 de Setembro de 2014 
  2. Kira Mitrofanoff (10 de janeiro de 2014). «Comment Lactalis s'impose comme le n°1 mondial des produits laitiers devant Nestlé et Danone» (em francês). Challenges. Consultado em 9 de maio de 2022 
  3. Mathieu Paris (14 de março de 2018). «En pleine crise de l'élevage, les grandes familles du lait plus prospères que jamais» (em francês). Observatoire des multinacionais. Consultado em 9 de maio de 2022 
  4. a b «"Conheça a Lactalis nova dona da Batavo e Êlege em números "». Exame (Brasil). Consultado em 4 de Setembro de 2014 
  5. a b c d e Marine Rabreau (31 de agosto de 2016). «Président, Lactel, Bridel... : plongée dans l'univers des marques de Lactalis» (em francês). Le Figaro. Consultado em 9 de maio de 2022 
  6. a b c Marta Vieira (10 de julho de 2019). «Itambé agora é da francesa Lactalis». Estado de Minas. Consultado em 9 de maio de 2022 
  7. Philippe Boulet-Gercour (15 de julho de 1990). «Michel Besnier, empereur du lait=» (PDF) (em francês). Nouvel Obs. Consultado em 9 de maio de 2022 
  8. «Dans le secret des laiteries» (em francês). disclose.ngo. 20 de outubro de 2020. Consultado em 9 de maio de 2022 
  9. «Lactalis avale totalement Parmalat : qui est le n°1 mondial du lait ?» (em francês). Capital. 27 de dezembro de 2016. Consultado em 9 de maio de 2022 
  10. «Lactalis buys Galbani for Italian cheese» (em inglês). Dairy. 16 de janeiro de 2016. Consultado em 9 de maio de 2022 
  11. Brad Meikle (1 de janeiro de 2016). «Lactalis buys Galbani» (em inglês). Buyouts. Consultado em 9 de maio de 2022 
  12. «"BRF deve anuncias hoje venda de operação a Lactalis "». Exame. Consultado em 4 de Setembro de 2014 
  13. «Lactalis compra Balkis e começa a produzir no Brasil». Alfonsin. 1 de agosto de 2013. Consultado em 9 de maio de 2022 
  14. Valor OnLine (31 de julho de 2013). «Lactalis do Brasil adquire Balkis por cerca de R$ 70 milhões». G1. Consultado em 9 de maio de 2022 
  15. «Lactalis aumenta oferta por unidades da LBR». Pecuária. 5 de agosto de 2014. Consultado em 9 de maio de 2022 
  16. «Cade aprova compra da LBR pela francesa Lactalis». JC. 1 de outubro de 2014. Consultado em 9 de maio de 2022 
  17. a b «Grupo francês Lactalis, dono da Président, compra 100% da Itambé». Veja. 6 de dezembro de 2017. Consultado em 9 de maio de 2022 
  18. Marcela Caetano (31 de março de 2021). «Lactalis compra operações da cooperativa paranaense Cativa». Valor Econômico. Consultado em 9 de maio de 2022 
  19. a b «Lactalis firma parceria para receber toda captação de leite da Cativa». Globo Rural. 31 de março de 2021. Consultado em 9 de maio de 2022 
  20. a b «"Conheça a Lactalis nova dona da Batavo e Êlege em números "». Exame (Brasil). Consultado em 4 de Setembro de 2014 
  21. a b Jean-Claude Bourbon (27 de setembro de 2020). «Le géant laitier Lactalis double de taille aux États-Unis» (em francês). La Croix. Consultado em 9 de maio de 2022 
  22. «Lactalis rachète les fromages de Kraft Heinz» (em francês). La Presse. 15 de setembro de 2020. Consultado em 9 de maio de 2022 
  23. Marie-Josée Cougard (18 de maio de 2021). «Lactalis anticipe un prix du lait au plus haut en France en 2021» (em francês). Les Echos. Consultado em 9 de maio de 2022 
  24. Luciane Daux (10 de novembro de 2016). «Président, marca francesa de laticínios, passa a produzir no Brasil». ND Mais. Consultado em 9 de maio de 2022