Lagoa de Velhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Lagoa de Velhos
"Princesa do Potengi"
Bandeira de Lagoa de Velhos
Brasão de Lagoa de Velhos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de Maio
Fundação 11 de Maio de 1962 (Lei Nº 2797/62)
Gentílico lagoa-velhense
Prefeito(a) Sonyara Ribeiro (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Lagoa de Velhos
Localização de Lagoa de Velhos no Rio Grande do Norte
Lagoa de Velhos está localizado em: Brasil
Lagoa de Velhos
Localização de Lagoa de Velhos no Brasil
06° 00' 14" S 35° 52' 19" O06° 00' 14" S 35° 52' 19" O
Unidade federativa Rio Grande do Norte
Região intermediária

Natal IBGE/2017[1]

Região imediata

São Paulo do Potengi IBGE/2017[1]

Municípios limítrofes São Paulo do Potengi, Sítio Novo, Barcelona e Serra Caiada
Distância até a capital 91 km
Características geográficas
Área 113 km² [2]
População 2 699 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 23,88 hab./km²
Altitude 181 m
Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,589 baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 14 340,113 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 162,03 IBGE/2008[5]

Lagoa de Velhos, município no estado do Rio Grande do Norte (Brasil), localizado na microrregião da Borborema Potiguar. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2000, sua população é de 2.651 habitantes. Área territorial de 112 km². Seus habitantes são ditos lagoa-velhenses.

História[editar | editar código-fonte]

Em terras pertencentes a Carlos da Rocha, nos idos de 1706, no riacho dos Velhos que desaguava no rio Potengi, teve início o povoamento da área. A propriedade chamada popularmente de Lagoa de Velhos é banhada pelo riacho São Pedro, um afluente da ribeira do Potengi.

As terras da localidade podem ter sido incluídas nas sesmarias pertencentes a dona Joana Gomes Freire, grande latifundiária da região por volta de 1754, chegando a dar o seu nome à serra de Joana Gomes.

No ano de 1830, o proprietário da localidade chamava-se José Correia, mas João Anselmo veio a ser o primeiro morador do sítio, em 1837, onde se erguera o futuro núcleo populacional.

Há uma tradição dos mais antigos da localidade de que um casal de velhos morava às margens da lagoa, entre os anos de 1800 e 1820, e a referência do povo sobre a presença deles na área serviu de batismo para o povoado. Mas é forte a influência no nome do povoado, posteriormente cidade, a partir do nome do riacho chamado dos Velhos por volta de 1706.

Lentamente, o povoado foi crescendo. Em 1862, Lagoa de Velhos já era uma fazenda desenvolvida e famosa na região, contando com vários aspectos de uma povoação simples.

Em 11 de maio de 1962, através da Lei nº 2.797, Lagoa de Velhos foi desmembrado de Sítio Novo, tornando-se município do Rio Grande do Norte, cuja primeira prefeita constitucional foi a Senhora Fausta Carvalho de Lira, esposa de Inácio José de Lira, grande líder político local e apoiador do Coronel Teodorico Bezerra.[6] Reverbera-se que a Senhora Fausta Carvalho de Lira tornar-se-ia cidadã benemérita da pequena cidade que surgia, pois, em 14 de Agosto de 1963, viria a tomar posse, na condição de primeira presidente, da Casa de Caridade Nossa Senhora da Conceição, cujo objetivo precípuo era conceder assistência aos jovens e idosos carentes da localidade.[7] Dona Fausta, como popularmente ficou conhecida, era bisneta de João Anselmo, patriarca do clã responsável pelo povoamento das terras que hoje constituem o município de Lagoa de Velhos-RN, sendo filha de João Marinho de Carvalho e de Ana Catarina de Carvalho.[8] Salienta-se, que as terras onde se ergueram a Prefeitura Municipal de Lagoa de Velhos, bem como a Câmara Municipal dos Vereadores, o Colégio Velho, a Escola João Paulo Segundo, o Poço da CAERN, o Ginásio Esportivo, o Conjunto João Leonardo, dentre outras instituições públicas, foram todas doadas pela Sr.ª Fausta Carvalho de Lira, em terras que esta recebeu por herança de seu falecido marido, Inácio José de Lira, também descendente dos primeiros povoadores da região, visto que era neto de Firmiano Ferreira de Lira e Ana Ferreira da Silva, cunhada de João Anselmo, que se estabeleceram na área no início da segunda metade do século XIX.[9]

Elevado á categoria de município com a denominação de Lagoa de Velhos, pela lei estadual nº 2797, de 11 de maio de 1962, desmembrado de Sítio Novo. Sede no atual distrito de Lagoa de Velhos ex-povoado. Constituído do distrito sede. Instalado em, 20 de junho de 1962.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Alto da Conceição

Conjuntos[editar | editar código-fonte]

  • Conjunto Habitacional João Leonardo

Comunidades[editar | editar código-fonte]

  • Ligação
  • Bom Descanso
  • Arapuá
  • Jucuri
  • Umari
  • Bom Destino
  • Queimadas
  • Arisco I
  • Arisco II

Distritos[editar | editar código-fonte]

  • Agrovila São Pedro (Iguatú)

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Telecomunicações[editar | editar código-fonte]

Internet Banda Larga Fixa[editar | editar código-fonte]

O Acesso a Internet Banda Larga no Município se dá por meio de cinco empresas, das quais:

Internet Banda Larga Móvel[editar | editar código-fonte]

A cidade dispõe da cobertura de rede móvel em 2G e 3G da operadora Oi e somente 3G da operadora Vivo sendo que estas cobrem 100% da sede e 89% do município, ambas utilizam a tecnologia HSPA em suas redes de Terceira Geração.

Televisão e Rádio[editar | editar código-fonte]

Devido sua geografia única, além de captar os dois canais que são retransmitidos na cidade, consegue-se receber sem maiores problemas os todos canais digitais da capital, Natal, Rio Grande do Norte.

Canais Digitais (Captados de Natal)[editar | editar código-fonte]
Canais Analógicos (Retransmissão local)[editar | editar código-fonte]
Rádio[editar | editar código-fonte]

Assim como os canais de televisão, todas as estações de rádio da Capital do estado conseguem ser captadas sem maiores dificuldades. Até o inicio dos Anos 2000 a cidade dispôs de uma rádio comunitária de baixa potencia, assim como um sistema de auto-falantes na rua principal da sede do município o qual transmitia musicas e informes aos cidadães.

Midia local[editar | editar código-fonte]

A cidade possui um periódico impresso com a tiragem de 1.000 exemplares, dois blogs e um grupo no Facebook com cerca de 5.000 membros.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O atendimento básico de saúde do município é provido pelo SUS, sendo realizado por uma unidade de atendimento a família do programa saúde da família (PSF) e uma unidade mista de saúde a qual disponibiliza desde atendimento básico de emergência até partos.

Serviços Básicos[editar | editar código-fonte]

Água e esgotos[editar | editar código-fonte]

A sede do município, bem como as comunidades de Ligação, Bom Descanso, Arapuá, Jucuri e a Agrovila São Pedro (Iguatu) são atendidas pela rede de águas da CAERN, sendo que esta apenas realiza a distribuição de água por meio da Adutora Monsenhor Expedito;
O município ainda não está saneado com uma rede de captação de esgotos.

Energia[editar | editar código-fonte]

A COSERN é a responsável pelo atendimento energético do município com fornecendo energia com a voltagem nominal de 220 volts.

Outros[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser uma pequena cidade do interior potiguar, é encontrar vários estabelecimentos comerciais sendo eles:

  • 03 - Mercados de médio porte;
  • 05 - Mercearias;
  • 10 - Bares;
  • 02 - Farmácias;
  • 01 - Agência dos correios;
  • 01 - LanHouse;
  • 01 - Reprografia;
  • 02 - Oficinas para motos;
  • 01 - Oficina para carros;
  • 01 - Mercado Público (Em reforma);
  • 03 - Cabeleireiros;
  • 01 - Pousada;
  • 01 - Casa de show;
  • 01 - Bookafé;
  • 01 - Loja de motopeças e conveniência;
  • 01 - Açai;
  • 10 - Lojas de confecções/roupas.

Educação[editar | editar código-fonte]

Lagoa de Velhos tem apenas o sistema de educação público sendo este composto por:

Escolas Estaduais[editar | editar código-fonte]

Escolas Municipais e Creches[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 29 de março de 2019 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 4 de setembro de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. FERREIRA NETO, IVO (1993). Genealogia e Antropologia de um povo. Natal: Manimbu. pp. 130–131 
  7. Rio Grande do Norte, Diário Oficial (28 de janeiro de 1999). «Diário Oficial do Rio Grande do Norte» (PDF). Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Consultado em 8 de novembro de 2018 
  8. FERREIRA NETO, Ivo (1993). Genealogia e Antropologia de um povo. Natal: Manimbu. pp. 136–138 
  9. FERREIRA NETO, Ivo (1993). Genealogia e Antropologia de um povo. Natal: Mandimbu. pp. 156–157 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.