Lista aberta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A lista aberta é um sistema de votação de representação proporcional onde os eleitores votam em partidos e na ordem dos candidatos na lista desse partido.

No sistema de lista fechada, cada partido apresenta previamente uma lista de candidatos com o número correspondente ao círculo eleitoral, onde esses candidatos são colocados ordenados crescentemente. O eleitor vota na lista de um partido e o número de eleitos será proporcional ao número de votos que o partido obteve. Nesse sistema os candidatos no topo da lista tendem a se eleger com mais facilidade. No sistema de lista aberta, a lista só é definida após a apuração dos votos. Dessa forma, se um candidato específico obtiver um número de votos grande o suficiente, isso se refletirá em um maior número de cadeiras para seu partido e portanto possibilitará a entrada de outros candidatos desse partido mesmo que estes últimos tenham recebido poucos votos.

No Brasil, o cálculo do número de cadeiras que serão distribuídas entre cada partido após as eleições é feito com base no Método D'Hondt.

Lista de países com representação proporcional de lista aberta[editar | editar código-fonte]

Note que alguns desses países podem usar outros sistemas além da lista aberta. Por exemplo, a lista aberta pode só ser utilizada em eleições da câmara baixa enquanto outro método é usado para a câmara alta, como é o caso do Brasil.

Outras eleições[editar | editar código-fonte]

Para eleições regionais nos estados de Bremen e Hamburgo, e eleições municipais em diversos estados

Para eleições do Parlamento Europeu, regionais e municipais; também em eleições para o parlamento nacional antes das reformas eleitorais[6]


Referências

  1. a b c d e f g h «Electoral Systems in Europe: An Overview». European Parliament in Brussels: European Centre for Parliamentary Research and Documentation. October 2000. Consultado em 6 de Julho de 2012. 
  2. «Izborni zakon BiH, članovi 9.5 i 9.8» (PDF). Consultado em 2 de Setembro de 2012. 
  3. a b c Mainwaring, Scott (1991). «Politicians, Parties, and Electoral Systems: Brazil in Comparative Perspective» (PDF). Comparative Politics [S.l.: s.n.] 24 (1): 21–43.  Parâmetro desconhecido |month= ignorado (|data=) (Ajuda)
  4. Bruno, Greg (February 5, 2009). «Reshuffling the Political Deck». Backgrounder: Iraq's Political Landscape. Council on Foreign Relations. Consultado em 8 de Julho de 2012. 
  5. ja:非拘束名簿式
  6. Miriam A. Golden, Lucio Picci (2008). «Pork-Barrel Politics in Postwar Italy, 1953-94» (PDF). American Journal of Political Science [S.l.: s.n.] 52 (2).  Parâmetro desconhecido |month= ignorado (|data=) (Ajuda)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Erro de citação: existem marcas <ref> para um grupo chamado "CEPPS", mas nenhuma marca <references group="CEPPS"/> correspondente foi encontrada (ou uma marca de fechamento </ref> está faltando)